Início » Aplicativos e Software » Microsoft Teams, rival do Slack, chega ao Linux em versão de testes

Microsoft Teams, rival do Slack, chega ao Linux em versão de testes

Microsoft Teams para Linux está disponível em pacotes .deb e .rpm

Emerson Alecrim Por

Lançado em 2016 como um promissor concorrente para o Slack, o Microsoft Teams vem ganhando cada vez mais participação no mercado. Em breve, esse cenário poderá ficar ainda mais favorável para o serviço. Isso porque a Microsoft está lançando uma versão da ferramenta para Linux.

Trata-se de uma versão experimental, mas que aparenta ser bastante funcional. Ela está disponível publicamente no site do Microsoft Teams em pacotes .deb e .rpm de 64 bits. Com isso, o serviço passa a cobrir todas as principais plataformas do mercado: Windows, macOS, Android, iOS e, agora, Linux.

Microsoft Teams para Linux

A interface remete às versões já existentes do Microsoft Teams. Todas as principais funcionalidades estão lá, incluindo recursos para videoconferências, chamadas e trabalhos colaborativos online em documentos.

É claro que, por ainda não estar em versão final, o Microsoft Teams para Linux pode apresentar falhas ou inconsistências. A companhia afirma, porém, que está trabalhando para deixar tudo nos conformes. Os usuários poderão dar feedback no fórum do Microsoft Teams.

Um detalhe que chama atenção — e que é enfatizado pela própria Microsoft — é que esta é a primeira ferramenta do Office 365 a ser disponibilizada para Linux. A companhia não revelou, porém, se pretende levar softwares como Word, Excel e PowerPoint para a plataforma.

Que fique claro que não é necessário ter uma assinatura do Office 365 para usar o Microsoft Teams. A ferramenta é gratuita mesmo para não assinantes e traz funções básicas. Existe uma versão paga que oferece mais capacidade de armazenamento e integração com diversos serviços.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

zephyr1an

"portar" uma aplicação Electron não é "mérito"

mérito haveria se ela portasse uma aplicação nativa do desktop Windows para Linux

mas não existe razão de mercado para ela fazer isso, visto que o mercado de desktops Linux é praticamente inexistente (não é totalmente inexistente, já que é possível comprar um desktop Dell com Linux instalado)

compare com aplicações server: existe razão mercadólogica para o porte, que são as vms Linux rodando na Azure, por isso a MS portou o SQL Server para Linux (e neste caso imagino que tenha sido um trabalho verdadeiro de porte)

João Victor

O que não diminui o mérito, já que também é open-source. Microsoft é open-source agora :D

Baio-kun

Office tem até na web, porque não levariam? Pagando a assinatura ta valendo.

Baio-kun

Sim, um discord com algumas funções extras e integração com Office 365.

zephyr1an

essa aplicação é desenvolvida na plataforma Electron (Chromium + Node.js) então ela já é quase automaticamente cross-platform, o esforço pra rodar no Linux é praticamente zero....mesma coisa do Visual Studio Code

Trovalds

Fato.

Keaton

É tipo um Discord, só que pra trabalho?

Lucas Santos

Pra empresas seria um custo a menos. Em vez de pagar sistema+office, só pagariam o Office.

Samuel Oliveira

Pior que em uma das minhas inúmeras tentativas acho que consegui rodar no 18.04. O que mata mesmo é a dependência lazarenta do java e IE, já que browser nenhum que se prese ainda dá suporte a isso.

Matheus Alexandre

2020 será o ano do Linux

José Vieira

Não seja radical, rs... o Writer segura as pontas legal... rs

José Vieira

Estamos no mesmo pacote deb/rpm ... rs

José Vieira

Nem me fale, rs... Até o Ubuntu 16, consegui fazer funcionar a partir daí o pacote deb do certisign não funciona mais... rs

Fernando Val

Tokens de certificados da Huelândia? Espera sentado. Até hoje todos exigem Internet Explorer e applet Java pra baixar e instalar o certificado A1.

Fernando Val

A galinha dos ovos de ouro agora se chama Azure.

Exibir mais comentários