Tecnoblog
Início » Brasil » São Paulo deve adotar pagamento com cartão NFC e celular em todo ônibus

São Paulo deve adotar pagamento com cartão NFC e celular em todo ônibus

Ônibus de SP permitem usar cartões contactless de crédito e débito; há pagamento com Apple Pay, Google Pay e Samsung Pay

Os ônibus da cidade de São Paulo testam, desde setembro, um novo validador que aceita pagamento via NFC: isso inclui cartão de crédito, débito e carteiras digitais como Samsung Pay, Apple Pay e Google Pay. Mastercard e Visa dizem que o projeto será expandido em 2020 para todas as linhas da capital paulista, podendo trazer uma novidade importante: viagens com integração, assim como no Bilhete Único.

Paulo Frossard, executivo da Mastercard para o Cone Sul, disse à Exame: “deu tudo certo nos testes, e a expectativa é que a iniciativa seja levada para todos os ônibus em 2020”. A Folha confirmou essa informação com a Visa.

O celular ou cartão com NFC permite pagar a tarifa de R$ 4,30 por aproximação: basta encostá-lo no validador, sem necessidade de digitar senha. É algo útil especialmente para os 2 milhões de turistas estrangeiros que visitam São Paulo a cada ano, pois é possível usar cartões emitidos em outros países.

Atualmente, é possível fazer pagamento contactless em cerca de 200 ônibus em 12 linhas de São Paulo. Quanto à segurança, vale lembrar que cartões com NFC são limitados a pagamentos de R$ 50 sem senha, no máximo 5 vezes ao dia; e no celular, você terá que confirmar a operação usando biometria.

SP pode adotar integração de tarifa no pagamento via NFC

Por enquanto, existe uma limitação no pagamento via NFC: não há integração tarifária. Ou seja, se você pegar outro ônibus, terá que pagar mais R$ 4,30. No bilhete único, é possível pagar uma tarifa para até 4 viagens em três horas (2 viagens no caso do vale-transporte).

Percival Jatobá, vice-presidente de produtos da Visa, explica à Folha que é possível implementar essa integração no pagamento com NFC, além de gratuidade para idosos e desconto para estudantes.

Temos como exemplo o modelo usado em Londres, no Reino Unido. Viagens de ônibus custam £1,50 com integração dentro de uma hora, mas a TfL (Transport for London) coloca um limite diário de cobrança: você não gastará mais de £4,50 por dia, mesmo pagando com cartão contactless. (Os valores são diferentes para metrô e trem.)

Há como fazer algo semelhante no Brasil: Percival menciona a possibilidade de “fazer a cobrança das viagens ao final do dia ou de dado período e aplicar descontos de acordo com o total de viagens feitas”.

Com informações: Exame, Folha.

Comentários da Comunidade

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação