Início » Comportamento » Dados de localização “anonimizados” são um mito

Dados de localização “anonimizados” são um mito

12 milhões de celulares têm histórico de localização revelado. Dados eram anonimizados, mas foi possível identificar indivíduos

Paulo Higa Por

A gente sabe que é muito difícil não ser rastreado na internet, mas uma extensa reportagem do New York Times coloca a nossa privacidade em xeque outra vez: o jornal obteve um banco de dados com 50 bilhões de localizações de 12 milhões de cidadãos. A matéria também defende que a anonimização de dados como esses é impossível: eles conseguiram até mesmo identificar uma pessoa e os locais que ela mais frequenta.

Olhando assim, é fácil achar que você é só um pontinho num mapa

Olhando assim, é fácil achar que você é só um pontinho num mapa

O New York Times acessou informações fornecidas por “fontes que pediram para permanecer anônimas porque elas não estavam autorizadas a compartilhá-las e poderiam sofrer punições severas por isso”. Os arquivos contém dados anonimizados com as localizações de GPS (latitude e longitude) obtidas de smartphones durante certos meses de 2016 e 2017.

Empresas com discursos pró-privacidade fazem o que chamamos de anonimização: elas guardam a sua localização, termos de busca ou pesquisas por voz, por exemplo, mas de uma forma que a informação em si não esteja diretamente relacionada a um usuário específico. Na teoria, isso evita que uma pessoa seja facilmente rastreada na internet, mesmo que os dados sejam roubados, ou usados indevidamente pela própria empresa.

Mas aqui está o problema: é “absolutamente impossível anonimizar” dados de localização, como defende o pesquisador Paul Ohm ao jornal. A única coisa mais difícil de anonimizar que isso seria, provavelmente, o DNA, segundo Ohm.

Isso porque os locais que você frequenta dizem muito sobre quem você é, ainda que a informação de localização no banco de dados não esteja diretamente ligada a um usuário. Por meio de informações como endereços residenciais e os horários de cada localização, é possível determinar quem é uma pessoa, onde trabalha e quais são seus hábitos (provavelmente não existe nenhum outro smartphone que faz o trajeto da sua casa até o seu trabalho todos os dias, afinal de contas).

Parece que não diz nada, mas dá para tirar muitas conclusões

Parece que não diz nada, mas dá para tirar muitas conclusões

E o jornal conseguiu, com a permissão das pessoas envolvidas, rastrear militares voltando para casa e advogados poderosos voando em jatos particulares com seus respectivos clientes, por exemplo. Uma das pessoas é identificada pelo nome: Mary Millben, uma cantora que se apresentou para três presidentes americanos. Ela era uma das convidadas para um evento na manhã seguinte à posse de Trump e, a partir dessa informação, foi possível obter todo o seu histórico.

Naturalmente, esse tipo de informação pode ser utilizada das mais variadas formas: é possível encontrar casamentos que não estão indo bem, evidências de dependência química, visitas a psiquiatras e outras conclusões mais sensíveis. Para algumas pessoas, a circulação de dados de localização pode representar um inconveniente ou constrangimento, enquanto para outras é até um risco de segurança.

O uso mais óbvio de dados de localização é para direcionamento de publicidade, mas há inúmeras possibilidades, tanto que empresas especializadas em dados chegam a pagar mais de US$ 1 milhão por uma pequena quantidade de informações.

E não há muito o que possamos fazer, já que as leis dos Estados Unidos, onde boa parte dessas companhias está sediada, permitem a venda, troca e negociação dos dados entre qualquer empresa ou órgão. Na prática, é como se o governo obrigasse toda a população a usar um dispositivo que monitorasse sua localização 24 horas por dia. Isso seria um escândalo, mas as pessoas já estão fazendo isso inconscientemente.

Vale a pena ler a matéria completa.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Fabio Santos

Sempre haverá um super User pra te monitorar, aceite a internet tem monitoramento pesado, quer usa-la vai cair em algum momento no que muitos acham lenda e conspiração.

Rod

Não se engane.

Vitor Saggioro Lins

Ninguém é caridoso a troco de nada.

Baio-kun

Nem perca tempo desativando. Empresas conseguem te identificar até pelo modo que você digita. Quantidade de vírgulas, palavras usadas, erros comuns, acentuação, etc. Tudo isso é algo bem pessoal. Isso em PC, em celulares é ainda pior. Locais onde você encosta na tela, tempo que você olha pra uma coisa antes de passar pra próxima, brilho da tela em horário X, etc. Tudo isso pode ser usado pra te identificar.

Adrian Dérick

Ih rapaz..

marcos_5000

SIM! Se você se conecta na internet, você já está sendo rastreado. E não é só o Google, tem muita empresa que consegue seus dados quando você visita.
Não adianta ficar perdendo tempo desativando essas opções e desligando GPS, da de saber sua localização por IP, analisando as redes Wi-Fi ao redor... E tudo isso o próprio celular diz que vai fazer! :P

Felipe Liʍa

nem q seja a câmera d elevador

aa aa

Filme ótimo, mas essa cena até o pessoal que trabalha na NSA(real) se surpreendeu!kkkk
https://m.youtube.com/watch...

Adrian Dérick

Quando se desliga o compartilhamento de dados, eles continuam mostrando anúncios, porém genéricos. Eles continuam ganhando dinheiro. Eu, além de desativar qualquer forma de compartilhamento de dados, eu uso bloqueador de anúncios, tanto no PC como no celular. O famoso filtro EasyList bloqueia anúncios e o filtro EasyPrivacy bloqueia rastreadores. Se, depois de tudo isso, eles ainda conseguirem alguma informação minha pra lucrar, vou ficar impressionado.

Baidu feat MC Brinquedo

Pra mim, todos os botões de "desligar compartilhamento" do Google, Facebook, Amazon, Microsoft e etc são fakes!

Os caras vivem de propaganda ou de estratégias de marketing que precisam de muitos dados.

Adrian Dérick

Quando desativei a localização, eu também desativei o atividade da web e de apps, então estou seguro (espero). Embora o Google fale que isso pode prejudicar a minha experiência, eu não sinto falta, mesmo depois de 6 meses depois da alteração, inclusive tá tudo limpo. Uma opção que o Google deveria colocar em seu navegador é o de limpar todos os dados, como o histórico, depois de fechado o navegador, embora não sei se isso poderia eventualmente prejudicar na navegação.

Rod
Adrian Dérick

Eu tenho pouquíssimas contas na Internet e não tenho redes sociais, (Disqus é rede social!?) e a conta que tenho que mais precisa de informações do usuário, o Google, eu desabilito tudo que diz ser para melhorar a experiência do usuário, como atividade da web e de apps e histórico de localização, inclusive deixo o GPS desativado sempre. Será que corro o mesmo risco?

Adrian Dérick

"Quando o produto é grátis, você é o produto."

7csP9tkb

Quando comprei meu primeiro smartphone, bem baratinho, uma das coisas que mais me chamaram atenção é tinha GPS. Todos os modelos, mesmos os mais baratos vinham com GPS. Eu sempre achei isso curioso pq um aparelho dedicado era muitas vezes mais caro que um celular de entrada.

Eu já suspeitava que os fabricantes colocavam o GPS justamente com segundas intenções, agora temos certeza.

Exibir mais comentários