Tecnoblog
Início » Computador » Notebook Lenovo Ideapad S145: um basicão com poder de fogo

Notebook Lenovo Ideapad S145: um basicão com poder de fogo

Versão mais cara do Lenovo Ideapad S145 oferece ótimo desempenho, mas nenhuma sofisticação

Ao procurar por notebooks convencionais neste finzinho de 2019 ou começo de 2020, você poderá se deparar com o Lenovo Ideapad S145, modelo de baixo custo que traz tela de 15,6 polegadas e corpo relativamente leve, com peso abaixo dos 2 kg.

Na verdade, o quesito custo varia conforme a versão escolhida. Os preços oficiais do Lenovo Ideapad S145 oscilam entre R$ 1.829 e R$ 3.899. Pois bem, este é o review da opção mais cara, a 81S9000EBR, que vem com processador Intel Core i7-8565U, GPU Nvidia GeForce MX110, 8 GB de RAM e SSD Intel 660p de 512 GB.

Será que vale a pena pagar quase R$ 4.000 por essa configuração? É o que você descobrirá a seguir.

Análise do Lenovo Ideapad S145 em vídeo

Design, acabamento e conectividade

De certa forma, o Ideapad S145 substitui o Lenovo Ideapad 330S, notebook lançado em 2018 no Brasil. Não por acaso, ambos os modelos são muito parecidos no design. Porém, o acabamento do Ideapad S145 é mais simples. A tampa de alumínio que caracteriza o Ideapad 330S, por exemplo, não marca presença aqui.

O Lenovo Ideapad S145 é todo de plástico

Além disso, o corpo do notebook é todo feito de plástico. Se fosse um plástico firme, tudo bem, mas este me pareceu frágil. Pelo menos essa caraterística contribui para deixar o computador leve (se considerarmos o tamanho dele): o Ideapad S145 pesa 1,85 kg.

Mas a pior parte está nas conexões. O laptop traz três portas USB convencionais (tipo A), duas das quais são USB 3.0 (no manual, essas portas são identificadas como USB 3.1 de 1ª geração; entenda o porquê aqui). Elas foram posicionadas na lateral esquerda, junto à conexão HDMI.

Mas nem uma portinha USB-C?

Eu esperava que a lateral direita trouxesse pelo menos uma porta USB, mas ali a gente encontra o leitor para cartões SD, a conexão para fones / microfone e um orifício para reset do equipamento.

Só? Só. Apesar de ser grande, o Ideapad S145 não conta com conexão Ethernet. Nem porta USB-C existe aqui, coisa que o Lenovo Ideapad 330S traz.

Como você deve ter percebido, conectividade não é o ponto forte do modelo. Isso fica perceptível até na comunicação sem fio: o Lenovo Ideapad S145 vem com Wi-Fi 802.11ac, mas Bluetooth 4.2 em vez de uma versão mais atual.

Tela

O Ideapad S145 vem com tela de 15,6 polegadas do tipo TN LCD. É um painel que exibe cores realistas e tem brilho forte, mas que pode perder tonalidade facilmente de acordo com o ângulo de visualização. Acontece, por exemplo, de o preto assumir um aspecto esbranquiçado quando você olha para a tela sem estar de frente a ela.

Apesar disso, o painel consegue oferecer boa experiência. Primeiro porque o tratamento antirreflexo ameniza o problema do ângulo de visão. Segundo porque o display tem resolução full HD (1920×1080 pixels), portanto, os elementos ficam mais bem definidos aqui.

Mas é preciso prestar atenção em um detalhe: o painel full HD só está disponível nas versões com processador Core i7 do Lenovo Ideapad S145. As demais opções trazem tela com resolução de 1366×768 pixels.

O Lenovo Ideapad S145 tem abertura de 180 graus na tela (ou quase)

Teclado e touchpad

O teclado é praticamente o mesmo que aparece no Ideapad 330S. A única diferença visível é que, no Ideapad S145, o componente incorpora o botão de liga / desliga ali no canto superior direito.

Por conta disso, repito o que eu disse no review do 330S: as teclas são confortáveis e não me pareceram moles demais, tampouco excessivamente rígidas. Note também a presença do teclado numérico. Ele fica meio exprimido, mas não deixa de ser prático — pena não existir uma tecla para ponto ali.

Mas o que faz falta mesmo no teclado é a retroiluminação. Sei que a ausência desse recurso é frequente entre notebooks básicos, no entanto, a unidade testada aqui é a versão mais cara do Ideapad S145. Pelo menos essa deveria ter teclas com LED.

Se o teclado é o mesmo da geração anterior, o touchpad parece ter mudado. E para pior. Por ser grande, ele pode ser alcançado facilmente com as mãos, mas a minha impressão é a de que os dedos aderem demais a ela.

Não é nada que prejudique o uso, mas, nas primeiras horas com o laptop, estranhei a execução de gestos: eu uso muito o movimento de deslizar dois dedos sobre o touchpad para fazer rolagem de tela, mas parecia que a minha mão ficada “enroscada” no componente.

Felizmente, era uma questão de costume. Em pouco tempo eu já estava executando esse gesto normalmente. De qualquer forma, não consegui abandonar a sensação de que há touchpads mais interessantes por aí.

Desempenho, software e bateria

O Lenovo Ideapad S145 não impressionou em nada, até agora: com processador quad-core Intel Core i7-8565U de 1,8 GHz, GPU Nvidia GeForce MX110 com 2 GB de GDDR5 e 8 GB de memória DDR4 (expansíveis até 20 GB), o notebook se sai bem no desempenho.

Não notei nenhum tipo de gargalo ao deixar o Chrome com várias abas abertas, rodar o Google Earth Pro, editar imagens no Photoshop ou executar jogos simples, por exemplo.

Com relação a jogos pesados, bom, a GeForce MX110 não é uma GPU forte para games, mas ela garante o mínimo de diversão se você mantiver os gráficos em nível médio ou baixo. Foi assim que eu consegui rodar Forza Horizon 4 com média de 25 fps — não é grande coisa, mas certamente é um resultado melhor do que as versões que contam apenas com gráficos Intel UHD.

Sim, o notebook esquenta durante atividades pesadas, mas não a ponto de fritar os seus dedos. Também dá para perceber quando o sistema de ventilação está operando no máximo, mesmo assim, eu não diria que ele é muito barulhento.

A versão testada aqui é uma das poucas que traz SSD. Trata-se de uma unidade de 512 GB da linha Intel SSD 660p, que oferece leitura sequencial de até 1.500 MB/s (megabytes por segundo) e gravação sequencial de até 1.000 MB/s. Os resultados do teste chegaram perto desses números:

Na prática, o SSD faz o que tem fazer: o Windows 10 inicializa rapidamente quando o Ideapad S145 é ligado, os softwares abrem sem demora e o desempenho como um do computador melhora substancialmente.

E a autonomia? Bom, o Ideapad S145 traz bateria de duas células (35 Wh) enquanto o Ideapad 330S vem com uma unidade de três células (52,5 Wh). A diferença é perceptível: a duração do componente é de quatro horas, aproximadamente — o 330S dura até duas horas a mais.

Para avaliar a bateria, rodei duas horas de vídeo via Netflix com brilho máximo na tela, depois usei o Chrome durante uma hora com o Spotify tocando em segundo plano e finalizei com 15 minutos de Forza Horizon 4. Depois disso, a carga da bateria caiu de 100% para 17%. Para um notebook desse tamanho, a Lenovo poderia ter caprichado um pouco mais na autonomia.

Ah, sim: mais acima, eu mencionei o Windows 10. Vale dizer então que, no quesito software, o Ideapad S145 ganha pontos por quase não trazer perfumaria. Os únicos aplicativos próprios instalados de fábrica são o Lenovo Vantage, que dá acesso a recursos de suporte, e o Lenovo Utility, para configurações.

Ah, o McAfee LiveSafe também dá as caras aqui. Eu sei que é fácil removê-lo, mas eu sonho com o dia em que os laptops não trarão mais trial de antivírus.

Não me esqueci de avaliar o áudio. Assim como a maioria dos notebooks atuais, o Ideapad S145 conta com duas saídas de som debaixo dele. O volume não é dos mais altos, mas o áudio é claro e pode até distorcer, mas muito pouco.

Já a webcam é simples até demais, não passando de 0,3 megapixel. A imagem fica com definição tão comprometida aqui que a câmera acaba servindo apenas como quebra-galho.

O Lenovo Ideapad S145 vale a pena?

Olha, a Lenovo não posiciona oficialmente o Ideapad S145 como o sucessor direto do Ideapad 330S no Brasil, mas podemos chegar a essa conclusão por duas razões: os dois modelos têm design similar e o Ideapad 330S não está mais à venda no site da companhia.

O problema é que, na comparação com o Ideapad 330S, o Ideapad S145 regrediu em alguns pontos: o modelo não vem com porta USB-C e a sua bateria tem capacidade reduzida, por exemplo.

Esses detalhes não fazem do Lenovo Ideapad S145 um notebook ruim. O teclado é confortável, a tela consegue entregar uma boa experiência e, acima de tudo, o desempenho é ótimo, pelo menos na versão testada (com chip Core i7-8565U).

Só que, pelo preço oficial de R$ 3.899, o modelo deveria entregar um pouco mais. Pelo menos uma porta USB-C e LEDs no teclado deveriam fazer parte do pacote.

Por conta disso, o desfecho é este: para quem procura um notebook convencional para o dia a dia (estudo ou trabalho), mas que não quer correr o risco de ter problemas com o desempenho, o Ideapad S145 vale a pena, sim, desde que você consiga um bom desconto por ele.

Especificações técnicas

(Lenovo Ideapad S145 versão 81S9000EBR)

  • Processador: quad-core Intel Core i7-8565U de 1,8 GHz (máximo de 4.6 GHz);
  • Memória RAM: 8 GB de DDR4 de 2.400 MHz (4 GB soldados na placa-mãe + 4 GB em slot);
  • Armazenamento: SSD M.2 NVMe de 512 GB (com conexão SATA livre para expansão);
  • Chip gráfico: Nvidia GeForce MX110 com 2 GB de GDDR5;
  • Tela: TN LCD de 15,6 polegadas com 1920×1080 pixels e antirreflexo;
  • Conectividade: Wi-Fi 802.11ac, Bluetooth 4.2, 1 HDMI, 2 USB 3.0 padrão A, 1 USB 2.0 padrão A, fones de ouvido + microfone, leitor de cartão SD;
  • Bateria: duas células, 35 Wh;
  • Sistema operacional: Windows 10 Home (64 bits);
  • Webcam: 0,3 MP (VGA);
  • Teclado: Padrão brasileiro, com teclado numérico;
  • Dimensões (L x P x A): 362,2 x 251,5 x 19,9 mm;
  • Peso: 1,85 kg.

Comentários da Comunidade

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação