Início » Negócios » Magazine Luiza recebe aval do Cade para comprar Estante Virtual

Magazine Luiza recebe aval do Cade para comprar Estante Virtual

A Livraria Cultura, dona da Estante Virtual, deverá usar o negócio para abater parte de suas dívidas

Victor Hugo Silva Por

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) autorizou a Magazine Luiza a comprar a Estante Virtual. A decisão, publicada nesta sexta-feira (20) no Diário Oficial da União, considera que o negócio não causará um domínio das empresas no setor varejista de livros.

Magazine Luiza

A Estante Virtual, marketplace de livros novos e usados, integra desde 2017 o Grupo Cultura, dono da Livraria Cultura, que pediu recuperação judicial em outubro de 2018. O valor pago pela Magazine Luiza deverá ser usado para abater parte de sua dívida, avaliada em R$ 285 milhões.

A maior parte desse valor envolve débitos com bancos e fornecedores. Os valores do acordo não foram revelados pelo Cade, mas, em setembro deste ano, a Assembleia Geral de Credores do Grupo Cultura aprovou a venda da Estante Virtual por R$ 44 milhões.

Na ocasião, o Grupo Cultura afirmou que, por conta da crise econômica no Brasil e de sua necessidade de gerar caixa, precisava vender suas unidades de negócio “que não têm, neste momento, importância estratégia para a operação”.

A Estante Virtual foi criada em 2005 e tem mais de 5 milhões de clientes. Em 2018, a empresa registrou a venda de 20 milhões de livros. Segundo o Cade, a venda do site não oferece riscos de monopólio, já que a Magazine Luiza seguirá com menos de 10% do mercado varejista de livros.

Mais uma aquisição da Magazine Luiza

Em junho, a Magazine Luiza oficializou a compra da Netshoes por US$ 115 milhões, após uma disputa com a Centauro. A concorrência entre as duas empresas fez o valor final do negócio quase dobrar em relação ao que já havia acordado e aprovado pelo Cade em abril.

O poder de compra da Magazine Luiza é explicado por seu crescimento constante nos últimos meses. No terceiro trimestre, o faturamento da empresa cresceu 32% em relação ao mesmo período de 2018 e ficou em R$ 4,9 bilhões. O lucro líquido, por sua vez, cresceu 96,7% e ficou em R$ 235,1 milhões.

Com informações: Cade.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

johndoe1981

Luiza essa que teve ajuda do governo Dilma, desse jeito qualquer empresa cresce.

Ochogeek

Incompetência do bozo, né? O cara só tem um ano de governo e quer culpar somente ele? A Luiza Trajano está no auge da magazine luiza com uma boa ajuda da sua amiga Estocar Vento e sua velha política de décadas atrás, ajudando os "amigos" ricos.

Luizão

sim, exato :(, o governo mudou, mas as práticas porcas continuam as mesmas, foi como trocar o lado de um disco nivil, do lado A, para o lado B, mas a mesma porcaria de música, continua tocando

Vegeta humilde

Então agora é a vez do velho da havan
Entendi...

Luizão

ela e a dilma era "best friends", pq será q a magalu cresceu tanto nos ultimos anos né?

zephyr1an

Luiza Trajano não curtiu

Luigi Lambri

Tem empresario bons e os ruins, se ta ruim pros bons imagina pros ruins, sim crise fechou muitas empresas, dificultou a vida de muitas outras. Brasil é um pesadelo burocratico e tributario, só ver os rankings economicos que o Brasil está, em liberdade economica, facilidade de empreender e de pagar tributo, até pra pagar imposto é complicado.

zephyr1an

"Estante Virtual por R$ 44 milhões"

do ponto de vista de negócios não acredito a EV valha tudo isso...gente, é um sebo informatizado, não acredito que dê tanto lucro assim...e depois, Magazine Luiza ??? está totalmente fora de seu perfil...meu palpite é que tem mais vantagens para o ML que não estão sendo divulgadas

"Grupo Cultura afirmou que, por conta da crise econômica no Brasil"
como diz o bozo, como é duro ser empresário né...a culpa nunca é da incompetência deles, é sempre dos impostos, do estado, da "crise", mas nunca da incompetência de donos e administradores

eu já comprei muitos livros la Livraria Cultura (antes de começar a comprar na Amazon), mas só depois de muitos anos vim a saber que era um lixo de empresa, pagava miséria para os funcionários, instigava panelinhas, etc...já vai tarde, muito tarde, pena que provavelmente os donos vão continuar ricos

TukhMd

A Saraiva é uma empresa mais diversificada no seu case do que a Cultura. Eu também ficaria com a Estante Virtual; acho o nome forte e a partir do negócio de livros usados poderiam com alguma criatividade lançar novas formas de consumir livros, como um modelo de assinatura (da forma da Amazon).

Denyse

A Livraria Cultura deveria ter vendido a própria livraria e ficado com a Estante Virtual... essa pelo menos é útil. Já a Cultura, além de estar endividada, é atrasada em todos os aspectos: produtos caros, frete caro, sistema de cupons fracos, marketing fraco, promoções fracas onde o desconto é baixo, ou é p/ desovar itens que ninguém quer...
De todos booktubers, praticamente nenhum fala que adquiriu um livro na cultura. A Saraiva, mesmo quebrada, pelo menos ainda consegue ser atrativa com suas promoções, mas a Cultura...