Início » Internet » Rússia testa com sucesso a RuNet, uma “internet própria”

Rússia testa com sucesso a RuNet, uma “internet própria”

Uma etapa do teste consistiu em desconectar a Rússia da internet global

Emerson Alecrim Por

Enquanto pessoas no mundo todo se preparavam para as celebrações de Natal, autoridades da Rússia tinham outras preocupações: no início da semana, o governo russo executou, com sucesso, um teste que desconectou o país da internet. O objetivo é abrir caminho para a RuNet, uma espécie de “internet própria”.

Vladimir Putin

Na verdade, os testes começaram na semana passada. A desconexão do país, realizada na segunda-feira (23), foi apenas uma das etapas. Esse procedimento consistiu, basicamente, em fazer a infraestrutura de internet da Rússia funcionar sem sistemas globais de DNS.

Os detalhes técnicos não foram divulgados pelo governo da Rússia, mas o teste serviu para mostrar que as operadoras de telecomunicações do país já têm condições de trabalhar em conjunto com agências governamentais para evitar que o tráfego online local passe por roteamentos internacionais.

Na prática, é como se a Rússia tivesse uma internet só dela — a já mencionada RuNet. Quando em operação, esse sistema poderá limitar o tráfego à infraestrutura local de telecomunicações, evitando que informações saiam ou entrem no país.

O projeto não é uma ideia recente. Há alguns anos que o governo russo vem trabalhando em uma forma de “isolar” o país digitalmente. Para tanto, o governo teve que atuar em duas frentes principais: na modificação da infraestrutura de telecomunicações e na criação de uma lei que permite esse tipo de controle.

Tudo gira em torno do argumento da segurança nacional. Graças ao que se conhece como lei da soberania da internet, o governo pode “desconectar” a Rússia do resto do mundo e limitar as conexões à rede interna sob o pretexto de preservar a segurança ou os interesses do país.

Não por acaso, os testes avaliaram não somente aspectos funcionais, como também o comportamento da RuNet no combate a “influências externas negativas”.

Foto por Mariano Mantel/Flickr

Além de permitir que a comunicação externa ocorra apenas a partir de pontos específicos da infraestrutura local, o projeto contempla a criação ou promoção de serviços online russos, como alternativas para plataformas como Wikipedia, Google e Facebook.

É claro que o assunto já vem gerando alguma preocupação. Para Alan Woodward, cientista da computação da Universidade de Surrey, esse é um sinal de que a Rússia, a exemplo de outros países, tem se espelhado no controle autoritário do acesso à internet colocado em prática por Irã e China.

Ainda não há informação sobre quanto e se a RuNet entrará mesmo em operação. Antes disso, os resultados dos testes terão que ser apresentados formalmente ao presidente Vladimir Putin, o que deve acontecer já em 2020.

Com informações: BBC, ZDNet.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Fabio Santos

Vocês com suas ideologias e colocações do que acham correto pra sociedade atual é que precisam de um estudo clínico total.

Fernando Gadelha Cláudio

cara, qualquer pessoa sensata ta vendo que tu é um doente. vai se tratar.

Vagner Hugo

Aqui como vc disse "no bananal" kkkk podemos sim fazer isso é seria fácil basta adicionarmos
servidores dns pelo país e criar uma faixa somente roteada i ternamente não fazendo réplicas ao dns global onde teríamos uma rede isolada! Tem outras questões mais complexas a serem resolvidas mas a princípio dá pra ser feito... Eu sou contra isso mas dá sim!

SignaPoenae

Cara, quando criança eu fui educado em casa. Hoje em dia, as pessoas deixam seus filhos para o governo educar, e isso não vai dar muito certo.

zoiuduu .

exato

zoiuduu .

posso implicar com o putin, mas nao vai resolver nada, mas implicar com o redator nisso pode dar alguma coisa

Fabio Santos

Algumas quadra do catedral de notre dame se você analisar tiveram que colocar mictório em todo rio sena pra vê se os imigrantes parem de mijar em todo ligar de Paris.

John Faber

teu tio mora nas quebrada né

Ricardo - Vaz Lobo

A nova fronteira é a tomada que liga e desliga a internet?

Junior Max

Em minha opinião, o governo tenta tapar o sol com a peneira, porque não atacar o problema na raiz, tipo educação das pessoas. Morei em um país onde as pessoas são um pouco mais educadas e vi cenas como, deixar um idoso passar a frente na fila sem precisar ser obrigado por uma lei. Só uma questão de educação mesmo.

Fabio Santos

Dispenso melhor um diretor de esquerda daí eles colocam Putin como negro e fica tudo jóia.

Fabio Montarroios

pensando bem, vc poderia escrever um roteiro de filme B com esse título mesmo: "o nefasto mundo da esquerda". daí só poderia ter ator canhoto no cast. seria divertidíssimo! a netflix tá sempre em busca de novos talentos!

Fabio Santos

Todo líder de esquerda tem uma psicopatia na qual, pouco liga para as emoções dos seus, a busca pelo poder leva este a fazer atos de controle e até matança em grande escala Putin foi por anos antes da liderança o marketing da Rússia, logo sua busca por ajudar a levar ideias equivocadas a população que parecem boas mais no fim não são que levou a tal controle e isto resumo a todos locais com o nefasto mundo da esquerda.

Elcobos

Pqp, sério mesmo que é com isso que vc tá implicando?

Fabio Montarroios

Se seu comentário atacasse o problema da restrição da liberdade (e as violações dos direitos humanos, consequentemente) q esses países impõem, ok. Mas o q pega é q ele é xenófobo...

Exibir mais comentários