Início » Brasil » Justiça determina que Netflix remova especial do Porta dos Fundos

Justiça determina que Netflix remova especial do Porta dos Fundos

Especial A Primeira Tentação de Cristo foi considerado ofensivo por grupos religiosos e conservadores

Emerson Alecrim Por

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), por meio de decisão do desembargador Benedicto Abicair, da 6ª Câmara Cível, determinou que a Netflix suspenda a disponibilização do Especial de Natal: A Primeira Tentação de Cristo, sátira produzida pelo Porta dos Fundos.

A liminar atende a uma ação judicial aberta pela Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura, que argumenta que “a honra e a dignidade de milhões de católicos foram gravemente vilipendiadas pelos réus”. O pedido havia sido negado em primeira instância, mas, em nova tratativa, foi acatado por Abicair.

Para o desembargador, “as consequências da divulgação e exibição da ‘produção artística’ (…) são mais passíveis de provocar danos mais graves e irreparáveis do que sua suspensão, até porque o Natal de 2019 já foi comemorado por todos”.

Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo

Ainda no entendimento do magistrado, essa é a decisão mais adequada e benéfica, “não só para a comunidade cristã, mas para a sociedade brasileira, majoritariamente cristã”.

O Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo estreou na Netflix no começo de dezembro de 2019 e, desde então, tem sido rechaçado por grupos religiosos e conservadores que consideram o especial humorístico ofensivo aos cristãos.

A argumentação do Centro Dom Bosco segue a mesma linha. Para a associação, a Netflix “agrediu a proteção à liberdade religiosa ao lançar e exibir o Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo, em que Jesus Cristo é retratado como um homossexual pueril, namorado de Lúcifer, Maria como uma adúltera desbocada e José como um idiota traído por Deus”.

A Netflix e o grupo Porta dos Fundos ainda não se manifestaram sobre a liminar.

Com informações: BBC, UOL.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
24 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

josias rodrigues

Geração Mimim…eita pera…

Sammy

Tempos sombrios está beirando nossa epóca, que alguém com bom senso possa ir contra essa censura, e manter a “credibilidade do estado” e preservar a liberdade cultural do país.

Michael

Como diz o ditado popular, assiste quem quiser.

Rogeryo Rooseveltt

O estado regulando baseado na solicitação de uma entidade cristã? Sei que nosso Estado a maioria eh cristã mas o estado tem q se abster dessas coisas e focar seus recursos em coisas mais produtivas ao brasileiro.

Alessandro Maia

Tá tenso o mimimi. Mas o bizarro é ter sido acatado um pedido desse num estado laico. Aguardando cenas dos próximos capítulos.

Erisdan

Pensei que assitia quem quisesse.

Jonas Henrique Simioni Marques

A minha esperança é que o atual desgoverno não dure tempo o suficiente pra que atitudes como essa se tornem comuns.

PS: Emerson, ali no começo tem um “SUSPENSA”, acho que é “Suspenda”.

LekyChan

até ia comentar sobre a matéria, mas esqueci oque ia falar depois de levar uma surpresa com a mudança do sistema de comentários.

João M.

Mas a medida é de 1 pessoa só, um desembargador do RJ, um tal de Benedito. No BR, qualquer desembargador ou juizinho de meia tigela consegue fazer medidas que afetam o país todo. Isso tem que acabar.

Erisdan

Com certeza isso deve ser barrado em outras instâncias.

Frank O Terrível

Essa semana estava brincando que vou começar a blasfemar mais, porque não se vou ser preso amanhã por isso

Andre Kittler

Idem. Ganhou um … coraçãozinho?..
Será que é questão de costume? Pois sou velho, claro que odiei.

@LeandroCSC

E quando vc acha que já viu todo tipo de retrocesso ,eis que a justiça brasileira nos vem com essa. Que tal pararem de assistir Netflix e cuidarem do que realmente importa?

@brunordc

será que o netflix vai acatar essa decisão? acho difícil…

Will Rosa X

The Handmaid’s Tail é real

Exibir mais comentários