Início » Telecomunicações » Brasil não aceitará pressão dos EUA em leilão do 5G, diz Marcos Pontes

Brasil não aceitará pressão dos EUA em leilão do 5G, diz Marcos Pontes

Segundo ministro, leilão do 5G definirá empresas participantes com base em critérios técnicos

Victor Hugo Silva Por

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, Marcos Pontes, afirmou que o Brasil não permitirá pressão dos Estados Unidos por conta do leilão do 5G. Segundo ele, o critério técnico é que definirá as empresas participantes no processo.

Foto por Bruno Peres/MCTIC/Flickr

Pontes se refere à Huawei, que convive desde maio de 2019 com as sanções comerciais impostas pelos EUA. O governo de Donald Trump acusa a companhia de contribuir com o governo chinês em ações de espionagem, algo que a empresa nega.

"Um bom parceiro sempre entende as necessidades do outro", afirmou Pontes à Bloomberg. "Da mesma forma que o Brasil não fez reinvindicações sobre quais negócios os EUA fazem com a China e como isso afeta nosso ou não agronegócio".

O ministro é o responsável por gerenciar o leilão que definirá as empresas que implementarão a rede 5G no Brasil. "Com critérios técnicos, é difícil ver como algumas dessas grandes empresas não terão capacidade de participar", continuou.

O leilão do 5G deveria ocorrer em março deste ano, foi adiado para o segundo semestre e pode ficar até mesmo para 2021. Segundo a Anatel, um dos problemas está no fato da frequência de 3,5 GHz interferir no sinal da TV aberta transmitida por antenas parabólicas.

Com informações: Bloomberg, UOL.

Mais sobre: ,

Comentários da Comunidade

9 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Douglas N.

Sabemos que não é bem assim. E vindo de Marcos Pontes… não é verdade esse “bilete”.

Marno Paz

Espero que se concretize. Mas pelo histórico já vimos que não vai ser bem assim.

Thalles

Quem lê até pensa que Mark Bridges tem essa moral toda. Aham, senta lá Claudia.

Jonas Lima

O Brasil não tem a menor necessidade tecnológica e de mercado em se preocupar com 5G agora.

Primeira coisa que temos que fazer de verdade é acabar com esse cartel de redes móveis no Brasil, já passou a hora de um player de respeito entrar nesse mercado pra colocar rédeas no mercado.

Quando e se algum dia conseguirmos superar o desafio de infraestrutura no país continental que vivemos, tendo bom sinais e boa cobertura no geral aí podemos pensar em alguma tecnologia superior a atual, que aliás nem é tão superior assim dado que é uma tecnologia em desenvolvimento.

Arthur Silva Vicentini

Considerando que, em muitos países, existem três a cinco grandes operadoras com infraestrutura própria (no Brasil são quatro), como você acha que deveria ser?

Matheus Duarte

“Um bom parceiro sempre entende as necessidades do outro”, afirmou Pontes à Bloomberg . “Da mesma forma que o Brasil não fez reinvindicações sobre quais negócios os EUA fazem com a China e como isso afeta nosso ou não agronegócio”.

Como se qualquer reinvindicação brasileira fosse importar para os EUA. Marcos Pontes é um excelente ministro desse governo, que como todos os outros, quanto mais quieto melhor…

Participe da discussão