Início » Computador » Intel revela GPU dedicada DG1 e detalhes sobre plataforma gráfica Xe

Intel revela GPU dedicada DG1 e detalhes sobre plataforma gráfica Xe

Intel anuncia plataforma gráfica Xe-LP, Xe-HP e Xe-HPC durante feira CES 2020; DG1 é GPU dedicada para desenvolvedores

Felipe Ventura Por

A Intel anunciou durante a feira CES 2020 os primeiros detalhes sobre sua plataforma gráfica chamada Xe: ela é pensada para notebooks, PCs e supercomputadores, assumindo diferentes versões — Xe-LP, Xe-HP e Xe-HPC — dependendo de onde for adotada. A empresa também anunciou uma GPU dedicada, a DG1, para que desenvolvedores otimizem seus aplicativos.

Intel DG1 Xe

Intel DG1

A estratégia da Intel começa no Xe: uma arquitetura que promete se adaptar para todo tipo de computador, desde um portátil até um gigantesco. Vamos começar pela microarquitetura para laptops: ela se chama Xe-LP (low power, ou baixo consumo de energia) e usa cerca de 20 W de energia, podendo chegar a até 50 W.

Os chips gráficos Xe-LP irão acompanhar os processadores Tiger Lake de 10 nanômetros que serão lançados em 2020. A Intel promete ganhos de desempenho de "dois dígitos" em relação à GPU integrada em seu antecessor, o Ice Lake de 10ª geração.

A Intel colocou um chip gráfico de desempenho semelhante ao Xe-LP em uma placa PCIe separada, a DG1 (Gráficos Dedicados 1, na sigla em inglês). Ela tem uma ventoinha própria, para ser testada sem superaquecer, e permite que desenvolvedores otimizem seus programas para o Tiger Lake e para a plataforma Xe em geral.

Intel DG1 Xe

A DG1 será distribuída apenas para desenvolvedores de software, não para o público em geral. O objetivo é garantir que não ocorram falhas em programas que dependem bastante da placa gráfica, seja um jogo ou o Photoshop. Na verdade, a ideia da Intel não é vender placas de vídeo separadas como fazem a Nvidia e AMD: em vez disso, o chip dedicado acompanharia o processador em um só pacote.

Além disso, os gráficos Xe terão suporte a algo chamado "dynamic tuning" (sintonização dinâmica): fabricantes poderão criar PCs que deixam a GPU funcionar mais rápido se a CPU não estiver sob forte uso. É semelhante à tecnologia SmartShift encontrada em notebooks com processador AMD e chip gráfico Radeon.

Intel DG1 Xe

Intel terá gráficos Xe-HPC em supercomputadores

Temos também a microarquitetura Xe-HP (alta performance na sigla em inglês) pensada para desktops, e a Xe-HPC (computação de alta performance). Esta última é capaz de alcançar vários teraflops de desempenho, ou seja, trilhões de operações de pontos flutuantes por segundo — a Intel não revela números mais precisos.

A empresa diz que planeja incorporar o Xe-HPC no supercomputador Aurora, que ela está desenvolvendo com a fabricante Cray para o Laboratório Nacional Argonne do Departamento de Energia dos EUA.

A estratégia da Intel para GPUs dedicadas é de longo prazo. Em 2017, ela contratou Raja Koduri, que então era arquiteto-chefe de Radeon na AMD. Menos de seis meses depois, ela também conseguiu outro funcionário bem importante: Jim Keller, que trabalhou com Koduri na AMD, e que na época estava na Tesla.

Então, em 2018, a Intel prometeu que sua primeira GPU dedicada chegaria em 2020. Parece que ela vai cumprir o prazo desta vez.

Intel DG1 Xe

Com informações: VentureBeat, The Verge.

Mais sobre: , ,

Comentários da Comunidade

7 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@RODRIGO
Não será GPU dedicada separada do processador?? Não entendi bem…
Eu
Aparentemente, placa de vídeo normal ou coisa do genero… a Intel tentando reinventar a roda.
Eu


A Intel promete ganhos de desempenho de “dois dígitos” em relação à GPU integrada em seu antecessor, o Ice Lake de 10ª geração


Uh… essa parte não me entusiasmou muito não…



felipe:

Ela tem uma ventoinha própria, para ser testada sem superaquecer, e permite que desenvolvedores otimizem seus programas para o Tiger Lake e para a plataforma Xe em geral.


Uh… tipo. A Intel está lançando uma placa de vídeo com uma ventoinha? O que eu perdi? No que isso se difere de uma VGA normal?
C Emanuel B Laguna
É um primeiro passo. A Intel é líder em GPUs integradas: praticamente todo processador Intel Core i3 a i9 desde 2010 inclui uma GPU e a empresa é líder em CPUs (leia-se APUs) desktop.
Ao elaborar uma placa de vídeo e seu respectivo software dedicado, os desenvolvedores de games e outros aplicativos podem tirar melhor proveito do hardware. Hardware esse cuja versão mais básica já está presente em inúmeros desktops.
Não acho que a Intel vá concorrer logo de cara contra nVidia e Radeon Technologies Group nas placas de vídeo gamers. A intenção aqui é estabelecer alicerce para talvez fazer isso a longo prazo, leia-se uma década.
JulioTenorio
A ideia dessa gpu é ajudar os devs fazerem os apps funcionarem corretamente, a Intel disse que é só uma versão de engenharia e que no futuro atualizações vão melhorar o desempenho, mas o que foi mostrado pelo Steve do Gamer Nexus não anima muito. Mas espero que pelo menos no mercado low-end tenhamos em breve mais de 2 opções.
Tiago Jeronimo
Basicamente é uma nova gpu integrada ao processador.
Eu
Laguna ce ainda tá vivo… hahaha
Sei lá, acho que nuns 5 anos eles já concorrerão com as placas mid-end.
Participe da discussão