Início » Legislação » Europa quer porta de carregamento única em todo celular; Apple se opõe

Europa quer porta de carregamento única em todo celular; Apple se opõe

União Europeia quer padronizar conectores para carregar bateria de celulares e tablets; Apple diz que isso prejudica a inovação

Felipe Ventura Por

A União Europeia voltou a discutir um assunto que vem se arrastando há uma década: a padronização de conectores para carregar a bateria de celulares, tablets, leitores de e-book e outros dispositivos. A Apple se opõe à proposta, dizendo que isso prejudicará a inovação; enquanto o restante da indústria vem fazendo a transição do microUSB para USB-C.

Porta USB-C

Porta USB-C no Xperia XZ1

Em comunicado nesta segunda-feira (13), a Comissão Europeia diz que as fabricantes foram estimuladas a adotarem um só padrão para carregamento, mas essa abordagem "ficou aquém dos objetivos dos colegisladores", e os acordos assinados pelas empresas "não produziram os resultados desejados".

O objetivo, além de melhorar a interoperabilidade entre celulares de diferentes marcas, é reduzir o lixo eletrônico: estima-se que mais de 51 mil toneladas de carregadores antigos são jogadas fora todo ano.

A ideia vem sendo questionada pela Apple há anos. Em 2019, ela escreveu à Comissão Europeia: "regras que unifiquem o tipo de conector incorporado em todos os smartphones congelam a inovação, em vez de incentivá-la".

Apple tenta impedir porta única de carregamento na UE

Essa história começa em 2009, quando existiam mais de 30 tipos diferentes de carregadores: celulares da Samsung tinham um conector, dispositivos da LG tinham outro, a Sony Ericsson tinha um terceiro, e assim vai. Era péssimo.

Então, a Comissão Europeia propôs que o mercado deveria se autorregular, e as fabricantes aceitaram: a lista inclui Apple, Motorola, Nokia, RIM, Samsung e Sony Ericsson. Elas assinaram um memorando dizendo que seus celulares seriam lançados com porta microUSB, ou teriam um conector próprio e a empresa venderia um adaptador — uma exceção aberta por causa da Apple.

O iPhone era vendido com o conector de 30 pinos, que foi substituído pela porta Lightning em 2012. Para cumprir o acordo, a Apple passou a vender um adaptador de microUSB para Lightning apenas na Europa, cobrando € 19 (cerca de R$ 50 na época).

Apple iPhone 11 Pro / adaptador de 18 watts

Em 2014, o assunto voltou à tona quando o Parlamento Europeu aprovou a Diretiva sobre Equipamentos de Rádio, que pedia por um "esforço renovado em desenvolver um carregador comum".

A Apple defendia a ideia de que a porta USB-C se torne obrigatória na ponta do carregador, não no celular em si, para "preservar a inovação". Ela passou a oferecer carregadores USB-C na caixa com o iPhone 11 Pro e Pro Max (o iPhone 11 ainda é acompanhado por um acessório USB-A).

A empresa disse em 2016 que "o USB Type-C continua as inovações desenvolvidas pela Apple em seu conector proprietário Lightning usado em iPhones e iPads". Isso está em um dos documentos enviados pela empresa à Comissão Europeia e obtidos pelo site alemão Netzpolitik.

Para a Apple, as melhorias trazidas pelo Lightning e incorporadas no USB-C "não teriam sido possíveis se o conector no lado do dispositivo tivesse restrições". Ela estima que, ao impor um mesmo carregador para todo celular, o custo aos consumidores seria de € 500 milhões a € 2 bilhões, "muito maior que o potencial benefício incremental ao meio ambiente".

Com informações: MacRumors.

Comentários da Comunidade

24 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

 • 令和 • Ward'z de Souza 🇯🇵🎌🦊🔥 - Risonho e Límpido

Eu não costumo concordar com as obrigatoriedades da Europa. Mas nesse caso, eu aprovo.

Diego Diniz

A Apple sendo a Apple… Por que padronizar se tem gente que vende barato e o meu custa o quádruplo

Diego Nascimento

“Preservar a inovação” = preservar nosso lucro em um simples cabo.

Daniel Ribeiro

Vamos supor que a UE imponha que todos os telefones tenham que usar USB-C.

Daqui a 10 anos, quando o USB-C já não suprir as necessidades, como que alguém vai conseguir sugerir uma alternativa melhor se o USB-C estiver imposto por lei?

A galera pode não gostar do preço que a Apple cobra pelos cabos… Mas a Apple tem uma certa razão em ser contra a imposição de um padrão. Não vai ter margem para inovação.

E para os Haters… Cara, compra um cabo da Blitzwolf. São bem melhores que os originais da Apple e são mais baratos.

Douglas Knevitz

Claro, vamos obrigar todas as fabricantes a usar a mesma entrada e impor a nossa vontade sobre os planos de uma empresa privada de outro país.

Quando vc impõem o uso de uma tecnologia, vc está barrando o surgimentos de novas, que podem até vir a ser melhores.

(“ ah mas quando surgir uma melhor é só trocar”. Não é assim que funciona, essa seria uma mudança que teria que ser feita em escala global e simultânea. E obviamente que quem decidiria isso seria a UE. Não passa pela cabeça de vocês ser muito perigoso conferir tamanho poder a uma única instituição, que regularia sobre todas as outras ? ) Seria como o STF decidir que a partir de dia X, todas as fabricantes devem adotar um padrão único, decidido por ela. Não parece um pouco absurdo ?

Ok, tem o fator conveniência, de todas as entradas serem iguais. Mas tbm gera confusão, de acharem que só porque tem a mesma entrada vai funcionar igual em dispositivos de marcas diferentes, cm necessidades energéticas diferentes.

A porta lighting evoluiu cm o temp. Métodos de segurança foram aprimorados. Hoje existe um grande controle de qualidade sobre os acessórios. As ponteiras lighting são fabricadas pela Apple e vendidas as parceiras do protocolo MFI, pois elas contam cm um chip de segurança.

A Apple mesmo já declarou que queria ter feito o iPhone X totalmente wireless, e ao que tudo indica, fará isso até 2022. Como ela fará isso, se for obrigada a usar USB-C?

Thiago Mobilon

É bem simples: não gosta dos produtos da Apple –> não compre produtos da Apple.

Eu não gosto de muitas coisas da Apple e não gosto de muitas coisas dos Androids, nem por isso quero fazer uma LEI pra que as empresas sejam obrigadas a adotar apenas o que eu julgo ser melhor dos dois mundos. Não é papel do legislador, isso.

É papel das pessoas, de escolher o que querem comprar com o seu dinheiro.

“Ah mas o preço do cabo original é ausivo”- compra um cabo de outra fabricante. Eu tenho cabos de 3 metros, mais duráveis que os da Apple, paguei 30 reais no Submarino.

E sobre a questão da inovação, a Apple não está errada. Qual é o limite de quanto o governo pode interferir nos seus produtos?

A Apple colocou o lightning no mercado dois anos antes do USB-C. Dois anos no mundo da tecnologia é muito tempo. Isso não é inovação?

Por último, não se esqueçam do papel fundamental que a concorrência tem no progresso e na inovação. Muito do que a gente tem hoje como certo e “melhor”, só existe porque várias empresas estavam competindo pra ver quem apresentava uma solução melhor. Mas o melhor não é perene – ele é o melhor hoje, amanhã ninguém sabe.

Pode ser que a Apple adote o USB-C por vontade própria, assim como ela pode apresentar uma solução melhor que force novamente o mercado a se movimentar.

No final das contas, eu acho que está faltando problemas pros Europeus. Claramente já resolveram tudo, já que a prioridade lá é essa.

Participe da discussão