Início » Antivírus e Segurança » Google já permite usar iPhone como chave para autenticação em dois passos

Google já permite usar iPhone como chave para autenticação em dois passos

Depois do Android, agora o iPhone pode ser usado como chave física para autenticação

Emerson Alecrim Por

Desde o ano passado que o Google permite que dispositivos com Android 7 ou superior sejam usados para autenticação em duas etapas (2FA) em seus serviços. Essa é uma importante opção de segurança que, agora, está sendo estendida a usuários de iPhone.

A autenticação em dois fatores exige que, após informar nome de login e senha, o usuário execute uma ação adicional para fazer autenticação em um serviço. A digitação de um código enviado por SMS é um método muito usado para esse fim, mas tende a cair em desuso por ser pouco seguro.

Google Smart Lock

O Google já permite que o usuário use seu próprio smartphone ou tablet Android no lugar do SMS na autenticação em dois passos. Ao fazer login no Gmail em um computador novo, por exemplo, o usuário verá uma notificação em seu celular que pergunta se ele está, de fato, realizando essa ação.

Também é possível usar o dispositivo Android como uma espécie de chave física de segurança: via Bluetooth, o aparelho permite que o usuário faça login em serviços do Google a partir de computadores com macOS ou Windows 10, por exemplo. Com isso, não é necessário adquirir uma chave FIDO USB ou semelhante.

Pois bem, esse mesmo benefício agora está disponível para usuários de iOS. Para tanto, o usuário deve instalar o Google Smart Lock em seu iPhone ou iPad — a ferramenta foi atualizada recentemente para esse fim. Após a instalação, é necessário fazer uma rápida configuração para ativar a ferramenta.

Depois disso, sempre que fizer login em um serviço do Google (por enquanto, o recurso parece funcionar apenas para logins no Chrome), o usuário deverá abrir o Google Smart Lock para confirmar (ou recusar, se for o caso) o pedido de autenticação que aparece via notificação.

Vale destacar que a nova funcionalidade é baseada no Secure Enclave do iPhone, componente que registra dados biométricos e de segurança do usuário.

Com informações: 9to5Google.