Início » Negócios » Venda de celulares no mercado cinza cresce 537% no Brasil

Venda de celulares no mercado cinza cresce 537% no Brasil

A IDC Brasil registrou a venda de 1,2 milhão de celulares no terceiro trimestre de 2019

Victor Hugo Silva Por

A venda de smartphones no mercado cinza, isto é, sem homologação da Anatel, tem crescido de forma considerável. Segundo a IDC Brasil, foram 1,2 milhão de aparelhos vendidos no terceiro trimestre de 2019, o que representa uma alta de 537% em relação ao mesmo período de 2018.

Niekverlaan / homem com smartphone na mão (detalhe) / Pixabay / melhores celulares até 1.000

Para se ter uma ideia, o país registrou a venda de 10,5 milhões de smartphones certificados no terceiro trimestre. Se o mercado cinza fosse uma fabricante e fosse incluído nessa conta, contaria com cerca de 10% de participação.

O mercado cinza atrai muitos usuários por conta dos preços baixos dos smartphones, principalmente de fabricantes chinesas. Os modelos, no entanto, podem não ter um número IMEI, o que os fazem ser considerados piratas pela Anatel.

Queda na venda de celulares autorizados

A IDC Brasil também indicou que, no terceiro trimestre de 2019, a venda de smartphones autorizados atingiu 11,3 milhões de unidades, uma queda de 3,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. O número inclui os 10,5 milhões de smartphones, que tiveram queda de 1%, e 865 mil feature phones, que registraram alta de 40,3%.

A receita gerada com smartphones autorizados caiu 9% e ficou em R$ 12,3 milhões. O preço médio dos aparelhos caiu 5,7% e ficou em R$ 1.165. Ainda de acordo com o levantamento, 88% das vendas ficaram na faixa entre R$ 700 e R$ 1.100.

Os feature phones, por sua vez, geraram receita de R$ 97,7 mil, 9,6% a mais do que no mesmo período de 2018. O preço médio desses celulares teve queda de 22% e ficou em R$ 113.

Os números para o quarto trimestre ainda serão divulgados, mas, por conta das vendas de final de ano, a IDC Brasil projeta uma alta de 5,1% para smartphones e de 20,4% para feature phones. O acumulado de 2019 deverá apontar queda de 0,5% entre smartphones e alta de 23% entre feature phones.

O título anterior indicava que os celulares do mercado cinza não eram certificados pela Anatel. Ele foi atualizado às 10h de quinta-feira (16).

Com informações: TeleSíntese.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
8 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Jefferson Rodrigues (@Jefferson_Rodrigues)

Já importei dois smartphones da Xiaomi por serem extremamente baratos e de boa qualidade. São baratos porque não incluem o custo Brasil. Esperando medidas drásticas do governo para barrar a entrada desses aparelhos.

Wendel Schelhan (@Schelhan)

Uma pena que provavelmente qualquer reação vinda de agências reguladoras ou de governo seria de aumentar a taxação ou dificultar o processo de importação dos aparelhos, quando é óbvio que o problema se trata do excesso de tributação para se vender ou montar qualquer coisa internamente.

João Paulo Polles (@jppcel)

Só pra constar: não homologado não quer dizer que não são bons ou que não seguem as leis do BR, mas que não foram testados a fim de certificar que estão seguindo as normas…