Início » Negócios » Uber testa patinete elétrico de três rodas mais acessível

Uber testa patinete elétrico de três rodas mais acessível

Durante o piloto os patinetes acessíveis não serão encontrados dentro do app da Uber

André Fogaça Por

A Uber começou um projeto piloto na cidade de San Francisco, nos Estados Unidos, que entrega mais acessibilidade em patinetes elétricos ao oferecer dois modelos com três rodas e um deles com pequeno banco. O aluguel dos patinetes elétricos acontece fora do aplicativo e respeita a licença que a empresa firmou com a cidade americana.

uber jump patinete eletrico acessivel

Nela as empresas que oferecem patinetes elétricos precisam oferecer opções acessíveis destes mesmos veículos. A JUMP, empresa da Uber para este tipo de mobilidade, escolheu a empresa San Francisco Bike Rentals para o piloto e nele foram inseridas duas alternativas.

Uma é um patinete com duas rodas na frente e uma atrás, que ainda exige que o usuário dê as primeiras aceleradas com o pé. A segunda coloca as rodas atrás, a da frente é bem maior e pode ser acelerada sem a necessidade de iniciar o processo com os pés – esta segunda conta até com uma cesta na frente, como é comum nas bicicletas compartilhadas.

Durante o lançamento desta fase de testes apenas quatro veículos estão disponíveis e o trajeto não é livre, precisa ser de uma loja da empresa para a outra e o pagamento é feito em cartão de crédito ou débito, direto na loja. A Uber afirma que dependendo dos comentários dos usuários e da análise de como o teste aconteceu, mais veículos serão adicionados.

O custo por minuto da locação é de US$ 0,33 e nenhum dos patinetes deste teste estarão adesivados com o nome da Jump ou Uber.

Com informações: TechCrunch e Mashable.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tech Nerd 🤓 (@technerd)

Eu tenho sérios problemas com equilíbrio e já andei nesses patinetes elétricos normais.

O problema é que muitas pessoas não tem noção das suas limitações e acham que podem andar a 50km/h no meio de uma ciclofaixa LOTADA de gente.

André Fogaça (@fogaca)

Concordo com a velocidade, mas o problema de ciclofaixa lotada de gente é do povo nela né, não do ciclista/patinista (tem esse nome? ahaha). Seria a mesma coisa que um pedestre caminhar no meio da rua e reclamar dos carros que passam por volta dele.

Eu (@Keaton)

Nossa, esses bichinhos são feios pacas.

Fico imaginando por quanto chegaria esses coisas aqui no Brasil…

Renato Pereira Meireles (@renatopmeireles)

Esse serviço quando chegar no Brasil, e se chegar, promete ter um nome muito bom. Eu mesmo não tenho maturidade para dizer pra alguém que fiz um trajeto num “Patinete do Uber”.