Início » Celular » PinePhone é um celular de US$ 150 que roda Linux

PinePhone é um celular de US$ 150 que roda Linux

Distribuição Linux do PinePhone deve ser instalada pelo usuário

Emerson Alecrim Por

Você paga US$ 150 por um smartphone e, quando o produto chega, descobre que precisa instalar um sistema operacional nele. Tudo bem para você? Se a resposta for sim, o PinePhone, da Pine64, pode ser a opção ideal para o seu perfil: o celular foi desenvolvido para rodar Linux, mas é você quem deve instalar uma das distribuições disponíveis.

Pine64 PinePhone

A razão disso é que o PinePhone foi projetado para desenvolvedores e, sobretudo, entusiastas do Linux. O aparelho sai de fábrica apenas com um sistema de teste que permite ao usuário verificar se o hardware está funcionando corretamente. A escolha e a instalação do sistema operacional ficam a cargo do comprador.

No site da Pine64, o usuário encontra links para seis opções de distribuições Linux:

  • postmarketOS
  • Ubuntu Touch
  • Sailfish OS
  • Maemo Leste
  • LuneOS
  • Manjaro

A imagem da distribuição deve ser passada para um microSD. Depois, é necessário conectar o cartão ao PinePhone e ligá-lo. O processo de boot identificará o microSD para dar início à instalação.

Mas é preciso ter em mente que nenhuma dessas distribuições está realmente pronta para o PinePhone. Todas as seis opções estão em fase “alpha” de desenvolvimento para o aparelho. Não por acaso, a própria Pine64 destaca que a novidade é voltada a entusiastas com “ampla experiência em Linux”.

O hardware do PinePhone está longe de ser poderoso, mas deve garantir a diversão dos escovadores de bits de plantão: as especificações incluem tela HD de 5,95 polegadas, processador quad-core Allwinner A64 de 1,2 GHz, GPU Mali-400, 2 GB de RAM, 16 GB de armazenamento e câmera traseira de 5 megapixels.

Pine64 PinePhone

Um detalhe interessante é que, ao remover a tampa traseira do PinePhone, o usuário encontrará um pequeno conjunto de pinos compatíveis com I2C e GPIO para conexão de outros componentes ao aparelho. Ali também é possível encontrar um conjunto de seis chaves que permite ativar ou desativar modem ou microfone, por exemplo.

O PinePhone vai ser disponibilizado a partir desta semana no site da Pine64 por US$ 149,99, inicialmente na versão para desenvolvedores, de codinome Braveheart. Para os próximos meses, a empresa também planeja lançar um tablet baseado no Linux, o PineTab.

Com informações: Ars Technica.

Pine64 PinePhone — ficha técnica

  • Tela: IPS LCD de 5,95 polegadas, formato 18:9 e resolução de 1440×720 pixels
  • Processador: Allwinner A64 de 1,2 GHz (quatro núcleos Cortex-A53)
  • GPU: Mali-400
  • RAM: 2 GB de LPDDR3
  • Armazenamento: 16 GB expansíveis com microSD de até 2 TB
  • Câmera traseira: 5 megapixels
  • Câmera frontal: 2 megapixels
  • Bateria: 2.750 mAh, removível
  • Conectividade: fones de ouvido, USB-C, Bluetooth 4.0, Wi-Fi 802.11n, GPS, Glonass, 4G
  • Sensores: acelerômetro, giroscópio, proximidade, luminosidade, bússola
  • Dimensões e peso: 160,5 x 76,6 x 9,2 mm, 185 g

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
11 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tiago Jeronimo (@TiagoJL)

Finalmente chegou o ano do Linux?

LekyChan (@LekyChan)

ué, todo celular Android já “roda Linux” já que o núcleo do sistema é um kernel Linux.

 • 令和 • Ward'z de Souza 🇯🇵🎌🦊🔥 - Risonho e Límpido (@Wardz_de_souzA)

Distribuição Linux do PinePhone deve ser instalada pelo usuário.

Vitor Hugo (@vitor)

Android é Linux. não chegou?

· (@Francisco)

O IOS é baseado no MacOS, que é baseado no Darwin, esse que nasceu de uma mistura de FreeBSD com outro Kernel.

Android não usa quase nada de GNU, ele usa BusyBox. Também não é baseado no OpenMoke, é impossível criar tudo aquilo em 1 ano (diferença de idade deles) e o projeto do Android foi iniciado em 2005. Isso tá cheirando a conversinha de forum xiita… Google é teu aliado, cara. Escutar xiita não leva a lugar nenhum, só traz desinformação.

Ah, e sobre o dpkg no IOS, ele é apenas um gerenciador de pacotes, não é fundamental pro funcionamento do sistema, ou seja, ter ele em IOS com jailbreak não significa que seja baseado em Debian, aquilo só é um port.

Eu (@Keaton)

Ah… sério? Além de ter de instalar uma imagem que nem beta é, vem com esse processador diabo da Allwinner? (Veja quantos celulares tu vê com esse processador hoje em dia…)

Vinícius Queiroz (@ViniciusQueiroz)

Nos celulares sim, já tem 3 anos . Já que o Android possui o kernel Linux como base do Sistema Android ultrapassa Windows como sistema operacional mais popular – Celular – Tecnoblog

No Desktop: não, não chegou e não vai chegar.

No resto (Servidores, IOT, etc): também já chegou a um bom tempo.

Fábio Augustus (@augustus)

Caramba! Processador da Allwinmer é complicado…

Sérgio (@trovalds)

Muita coisa que o Linux tem são ports do UNIX, em que de fato o iOS (e o MacOS X) são baseados. Então quem tá precisando estudar por aqui é você. Aliás muita coisa do Linux é adaptação do UNIX. E quando se faz o fork de algo, você obrigatoriamente tem que manter as licenças originais (principalmente a GPL). Por isso o Google está investindo tempo no Fuchsia: pra ficar livre da GPL e do kernel Linux.