Início » Carro » Placa Mercosul passa a ser obrigatória a partir de 31 de janeiro

Placa Mercosul passa a ser obrigatória a partir de 31 de janeiro

A partir do dia 31, todo o Brasil terá que emitir placa Mercosul para veículos novos

Emerson Alecrim Por

Foram numerosos adiamentos, mas agora vai! Pelo menos é o que parece: a partir de 31 de janeiro, a placa veicular padrão Mercosul passa a ser obrigatória em todo o Brasil para veículos novos ou que precisam de um novo emplacamento (por conta de uma mudança de município, por exemplo).

O prazo anterior previa que a placa Mercosul passaria a ser emitida por todos os estados a partir de 30 de junho de 2019. No entanto, mudanças nas regras para a confecção das placas fizeram o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) adiar a obrigatoriedade nacional para 31 de janeiro de 2020.

Não há nada indicando, porém, que um novo adiamento está por vir, até porque a implementação do novo sistema de placas foi prorrogado por pelo menos seis vezes. Se não houvesse nenhuma mudança de prazo, as novas placas seriam padrão em todo o Brasil desde 2016.

Placa Mercosul (Foto: Henrique Nunes/Wikimedia)

Placa Mercosul (Foto: Henrique Nunes/Wikimedia)

Atualmente, apenas dez estados emitem as novas placas: Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Paraíba, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Rondônia. Os demais deverão seguir o prazo estipulado, entre eles, São Paulo, estado que concentra a maior frota de veículos do país.

O objetivo do novo sistema é fazer as placas veiculares seguirem um padrão único nos países que integram o Mercosul. A expectativa do Contran é a de que a mudança ajude a melhorar a fiscalização da frota e a combater fraudes, como clonagem de carros.

Entre os dispositivos de segurança que as novas placas trazem está o QR Code: por meio de um aplicativo do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), autoridades poderão ler o código para checar possíveis irregularidades relacionadas ao veículo e acessar informações relacionadas.

Mas implementar o novo sistema, por si só, não basta. Relatos de crimes e fraudes envolvendo as novas placas não param de surgir. Já houve casos, por exemplo, de carros roubados que foram encontrados pela polícia com placas Mercosul adulteradas.

A falta de controle da produção das placas e a ausência nos estados de um processo efetivo de rastreabilidade das unidades emitidas estão entre os problemas que dão abertura para as fraudes.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
21 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Leandro Alves (@KILLME)

Aqui no estado de SP eu só acredito vendo, preciso transferir meu veículo de município, mas tbm preciso trocar a placa que tá perdendo a tinta. Estou a mais de um ano esperando o estado entrar nessa hahaha.

Vitor (@Vitor_Silva)

Aqui no Rio de Janeiro, a maioria dos carros já estão com as novas placas.

Acho impressionante como o Detran-RJ consegue ser tão eficiente e ao mesmo tempo tão desorganizado e corrupto nas suas unidades e pequenas filiais.

Canso de ver os cidadãos dando 50-100$ na mão dos profissionais, pro carro passar batido no Licenciamento Anual.

Felipe (@fefernoli)

Eu esperava algo mais padronizado por ser uma placa Mercosul, mas cada país tem uma variação, inclusive a da Argentina é melhor que a do Brasil na disposição dos dígitos.

J. Alves (@alves)

A disposição dos números e letras ficou horrível. Imagina um policial em perseguição tentando decifrar o que tá escrito ali, ou até mesmo pra decorar olhando de relance, se fosse uma sequencia 4 letras + 3 números seria muito mais fácil do que 3 letras + 1 número + 1 letra + 2 números coladinhos do jeito que é.

Breno (@bbcbreno)

Essa placa é altamente ridícula:

Este QRCode é tão pequeno e somado ao desgaste natural da placa, é mais fácil o fiscal digitar o número da placa do que ter q colar na placa pra realizar a leitura. O q mais me incomoda é esta redundância: Brasil + Bandeira do Brasil + BR. Precisa mesmo disso tudo pra falar q a placa é do Brasil? Alguém consegue ver sentido nisso? Não ter o nome da cidade acaba com o mini-game q todo santo brasileiro faz =( “certeza q este carro n é daqui! … Bingo!”. Tudo q teremos é um brasão da cidade q, além de difícil visualização, é opcional.
Breno (@bbcbreno)

Quem mudar de cidade e ter a placa antiga… vai ter q emitir uma placa nova placa com o novo padrão, certo?

Mas e o número da placa? Vai mudar tb?

@RODRIGO

Concordo em partes!! Deveria ser somente a bandeira ou sigla na placa Mercosul!! Isso gasta um pouco de dinheiro público e causa confusão, muito sem noção tal ato!!

Pierre (@pierrediniz)

Vai ser adiada de novo. Printem e me cobrem em 1º de Fevereiro.

@RODRIGO

Mais ou menos!! As três primeiras letras seriam mantidas, mas, a sequência numérica será mais diferenciada, por exemplo: MBK-2709-- o sete seria ‘h’–MBK-2H09, ou seja, haveria mais uma letra acrescentada dentre os números?? Por que a letra H no lugar do 7?? A sequência alfanumérica seguirá uma tabela de conversão, onde o zero corresponderia A, sucessivamente até o número 9, convertido em J!! Entendeu o detalhe?!

@Comentador

Esse novo padrão de placas parece que não vai dar certo hein.

Resumo

Saudades do Disqus, tem que abrir outra página só pra comentar, é o fim.

@Comentador

É péssimo mesmo, pensei até que o bozo cancelar esse novo padrão mercosul, mas não fez nada como sempre.

Nilberto Melo (@nilberto)

Ficou bem bosta essa placa nova

Daniel Correia (@Daniel)

Eu que não vou mudar de cidade estou pensando em por a placa nova só pra ficar mais difícil de ler e pra não aparecer a cidade rs

Exibir mais comentários