Início » Brasil » Serpro é colocado oficialmente em programa de privatização

Serpro é colocado oficialmente em programa de privatização

Governo assinou decreto que põe Serpro no Programa Nacional de Desestatização

Emerson Alecrim Por

Agora é oficial: nesta quinta-feira (23), o governo federal incluiu o Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados) no Programa Nacional de Desestatização, o que significa que a estatal deve mesmo passar por privatização. A decisão foi tomada uma semana depois de a Dataprev ter sido submetida ao mesmo processo.

O Decreto Nº 10.206/2020 foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e publicado no Diário Oficial da União desta quinta-feira. Esse é o documento que qualifica o Serpro para o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) da Presidência da República e, com efeito, coloca a estatal no Programa Nacional de Desestatização.

Serpro

A decisão já era esperada. Fundado em 1964, o Serpro foi incluído no ano passado na lista de empresas públicas que o governo Bolsonaro pretende privatizar. Entre elas também estão a Telebras, os Correios e, como já mencionado, a Dataprev.

Incluir Serpro e Dataprev na lista é uma decisão polêmica por, entre outros motivos, ambas concentrarem dados sensíveis de milhões de brasileiros. Entre as duas empresas, o Serpro cumpre papel mais crítico por ser responsável por um número maior de sistemas. Cabe à estatal gerir os dados do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e da CNH Digital, só para dar alguns exemplos.

O processo de desestatização não será imediato. Antes, o governo precisa definir alguns parâmetros, incluindo o modelo de privatização que será aplicado à estatal.

Nesta semana, o governo liberou uma portaria que autoriza o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) a coordenar a venda da participação acionária da União na Dataprev. É provável que o Serpro passe por procedimento semelhante em breve.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
13 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Reinaldo Boson (@Ticano)

Imagino a cabeça dos funcionários concursados como não está agora… tenho medo que comecem as sabotagens e o governo simplesmente pare, vide a crise no INSS com a venda da Dataprev e a população que quer se aposentar ou está afastada do mercado por problemas de saúde/físicos é a que esta sofrendo absurdamente com tudo isso. Agora estão convocando os militares para tentar salvar a situação (sempre eles no final das contas para resolver). O problema é chegarem lá e o sistema não funcionar porque o cara que se matou para passar no concurso, fez trocentos cursos e saca da parada toda ta puto e chutou o switch ou não consertou uma linha de programação qualquer e o sistema ta todo zoado…
Se acontecer isso com os Serpro o dano vai ser absurdamente maior, se o sistema de importação e exportação, o Siscomex, sair do ar por meia hora o Brasil perde milhões de dólares e o caos se instala por semanas, vai rolar congestionamentos gigantes nas estradas, nas linhas férreas, até de navios cargueiros no Brasil inteiro. São mais de 5.000 sistemas geridos pelo Serpro, como a folha de pagamento de todo o governo federal, Denatran, os portos o tesouro, a polícia federal, a polícia rodoviária federal, as compras governamentais, Bancos, etc, Americanos, chineses e gente do mundo todo babam por colocar as mãos neste filão. Putz, se isso não é uma empresa estratégica para o governo, nem sei o que é… Da um choque de gestão, enxuga a empresa, foi só tirar o PT lá de dentro que ambas voltaram a dar lucro (Serpro e Dataprev), mas não entrega para o china ou para o Americano porque é sacanagem isso.

Diego Duarte (@Diego_Duarte)

Entao quer dizer que a distopia corporativa digna de Orwell vai comecar pelo Brasil. Q coisa…

Hemerson Silva (@Hemerson_Silva)

Hahahaha R.I.P Tecnoblog, ocultando meus comentários hahaha repito, esse sistema de comentário é vergonhoso, sinalizem de novo hahaha