Início » Aplicativos e Software » Free Software Foundation quer que Microsoft abra código do Windows 7

Free Software Foundation quer que Microsoft abra código do Windows 7

Acredite: a FSF criou uma petição online para o Windows 7 virar software livre

Emerson Alecrim Por

O suporte ao Windows 7 terminou no último dia 14. Aos que ainda usam o sistema operacional, a Microsoft recomenda a migração para o Windows 10. Mas a Free Software Foundation (FSF) tem outra ideia: a organização quer que a companhia disponibilize o Windows 7 como software de código aberto.

Satya Nadella

Para tanto, a FSF criou uma petição online para pressionar a Microsoft a optar pela abertura do código-fonte do Windows 7 em vez de simplesmente “enterrar” o sistema operacional. A organização frisa que a Microsoft não terá nada a perder ao liberar uma versão de seu sistema operacional que a própria afirma que chegou ao fim.

Com base nisso, a petição faz as seguintes exigências (em tradução livre):

  • que o Windows 7 seja lançado como software livre. Sua vida [útil] não precisa terminar. Dê o sistema para a comunidade estudar, modificar e compartilhar;
  • que a empresa respeite a liberdade e a privacidade de seus usuários — não apenas os direcione à versão mais recente do Windows;
  • que a empresa forneça mais provas de que realmente respeita os usuários e a liberdade deles, e que não está apenas usando esses conceitos como marketing quando conveniente.

A meta da petição é conseguir 7.777 assinaturas, mas, quando essa notícia estava sendo publicada, o número de adesões já havia passado de 10.000. Será, então, que a Microsoft já se sente pressionada?

Campanha da FSF para abertura do código do Windows 7

É claro que não. As chances de a Microsoft abrir o código-fonte do Windows 7 são praticamente nulas e a Free Software Foundation sabe muito bem disso.

Muito provavelmente, essa campanha não passa de uma provocação referente ao fato de a Microsoft ter dado mais abertura a softwares de código aberto de alguns anos para cá. Só para citar alguns exemplos, a companhia já abriu o código da calculadora do Windows, das primeiras versões do MS-DOS e do Word 1.1.

Com a petição, a FSF “gentilmente” convida a Microsoft a continuar com essa abordagem, mas, agora, com um software mais crítico.

Para quem quiser botar mais lenha na fogueira, o link para a petição da FSF é este aqui.

Com informações: Bleeping Computer.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
19 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Whebert Souza (@whebertsouza)

Qualquer Celeron com SSD roda o Windows 10 numa boa. O problema de tudo é o HD, falo por experiencia própria.

Matheus Silva Santos (@Matheus95)

Não vai rolar. A maior parte do código-fonte essencial do SO é base para todas as versões posteriores, incluindo o Windows 10…

Bruno Who? (@brunossn)

Por incrível que pareça, essa seria uma atitude que faria muito bem ao Windows.

Hoje temos áreas completamente abandonadas dentro do Windows, coisas como o notepad e agendador de tarefas totalmente datados e cheios de bugs. Ícones do Windows 95, busca que não funciona, falta de abas, falta de visualizar de imagens leve, inconsistências no design dentre tantos outros problemas.

Eu vejo iniciativas de abertura de código, como da calculadora do Windows ou do novo terminal dando super certo e tendo novidades constantes.

Certamente a abertura de todo o sistema faria muito bem ao SO.

Alberto Prado (@Alberto_Prado)

Nem um SSD não ajuda? Mesmo se for um Core2Duo com 3GB de ram, com SSD já fica bem decente com W10.

DovahShy (@JustMonika)

Do Windows 7 não digo, mas seria interessante disponibilizar o código do Windows 98, por aí…

@brunossn O Notepad não é tão esquecido não, ele só é um aplicativo simples. https://devblogs.microsoft.com/oldnewthing/?p=98795

Bruno (@mattriff)

Em outro artigo aqui do Tecnoblog é esclarecido que a Microsoft mantém contratos de sustenção do Windows 7 para ambientes corporativos, setor mais interessado nas questões de segurança da informação.
Apesar da Red Hat manter esta estratégia liberando a versão “open source” para a comunidade e a versão corporativa (paga), estamos falando do Windows que está presente em uma quantidade significativa de máquinas e, a exposição de seu código-fonte, afetaria diretamente a segurança delas. A maioria dos clientes corporativos não realizou a migração para o Windows 10 considerando a compatibilidade com aplicações legadas, cenário sempre crítico em cenários de médio e grande porte.

Eu (@Keaton)

Pois é… Peguei meu FX-6300 ontem e comecei a zoar os clocks… consegui a proeza de rodar ele a 800MHz. O Windows 10 não demorou tanto pra iniciar… mas os programas ficaram uma carroça. (OBVIO)

Problema não é fazer o Windows iniciar, é fazer os softwares funcionarem de forma minimamente aceitável. (O que não foi o caso do FX-6300 @ 800MHz. Até o YouTube travava…)

Mateus B. Cassiano (@mbc07)

Err, quando foi a última vez que você utilizou o Bloco de Notas? Ele recebeu diversas melhorias ao longo de 2019. Arquivos grandes não são mais um problema e buscas circulares, quebras de linha no formato Unix e leitura de arquivos em UTF-8 agora são totalmente suportados na versão atual do Bloco de Notas…

Léo (@leo_oliveira)

A questão não é a abertura, e sim tudo o que está por trás e que não pertence à MS.

Quando fala-se na abertura do código, a FFF não diz, por exemplo, quais partes ela quer. O Windows, como alguns sabem, é composto em camadas, que vão desde o kernel NT (este com chances zero de ser aberto, visto que é a base de todos os sistemas da Microsoft) até a engine engine de composição na qual o Windows 7 está rodando.
Vejamos que, embora a propriedade seja da Microsoft, uma parte considerável do Windows “pertence” à outras softwares house, como, por exemplo, codecs multimídia, conectividade, drivers, vídeo, dentre outros. Não é economicamente viável comprar tais direitos (visto que um relicenciamento é impossível, visto que continuariam de propriedade de terceiros) para distribuí-los sobre alguma licença open source que seja…

É lindo ver que a mesma galera que massacra a MS e o Windows querendo ter seu código em mãos.

Mateus B. Cassiano (@mbc07)

Já tentou o Windows 10 Enterprise LTSC? Resumidamente é o Windows 10 sem loja, sem Cortana, sem os apps UWP, apenas com o mínimo do mínimo e que recebe somente atualizações de segurança, deixando o sistema mais enxuto e leve. A usabilidade é muito próxima do Windows 7 porém com a vantagem de ainda receber suporte…