Início » Telecomunicações » Netflix está prestes a superar TV paga no Brasil em número de clientes

Netflix está prestes a superar TV paga no Brasil em número de clientes

Netflix deve ultrapassar 15 milhões de assinantes no Brasil em breve, enquanto TV paga está em 15,9 milhões de lares

Lucas Braga Por

O declínio da base de TV por assinatura no Brasil é notável: em dezembro de 2019, dados da Anatel registraram 15,9 milhões de assinantes da TV paga, enquanto a Netflix estaria quase alcançando a marca dos 15 milhões no país. Ou seja, o serviço de streaming deve ultrapassar em breve a Claro/NET, Sky, Oi e Vivo somadas.

filmes sobre tecnologia na netflix | thibault-penin-netflix-unsplash

O número foi obtido pelo site NaTelinha através de um funcionário da Netflix que pediu sigilo: a empresa estima que ultrapassará a barreira dos 15 milhões de contas ainda no primeiro trimestre de 2020; e que, até 2021, será maior que todas as operadoras de TV fechada no Brasil.

Além disso, um estudo interno da Netflix indica que o conteúdo do streaming impacta diretamente 50 milhões de brasileiros — afinal, várias pessoas dividem a mesma assinatura. A plataforma não revela o número de clientes no Brasil, mas garante que ultrapassou 10 milhões de contas.

Ou seja, ela já possui uma base maior do que qualquer operadora de TV paga no Brasil: a Claro/NET, líder do segmento, tinha 7,8 milhões de assinantes em dezembro de 2019.

Preço acessível do streaming faz clientes deixarem TV paga

A migração da TV paga para os serviços de streaming é óbvia: enquanto as operadoras costumam cobrar centenas de reais por planos com canais lineares, as plataformas na internet começam em R$ 9,90 mensais (caso do Amazon Prime) por um acervo de filmes, séries e documentários. No entanto, o streaming ainda está longe de chegar perto da TV aberta: a novela das 21h da Globo costuma ter audiência de 40 milhões de pessoas todas as noites.

No Brasil, a Claro/NET é líder do mercado de TV paga, com 49,2% de participação de mercado, seguida por Sky (29,7%), Oi (9,6%) e Vivo (8,4%). A presença de banda larga fixa é maior: são mais de 32,6 milhões de acessos, de acordo com a Anatel.

Com informações: NaTelinha.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
9 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Sérgio (@trovalds)

Quero mais é que a TV a cabo e satélite no BR vá à bancarrota. Ao invés de flexibilizarem as ofertas e os preços ainda continuam naquela de querer empurrar mil e um canais em você sendo que você só tem interesse no canal X. E o streaming ainda oferece a vantagem de você fazer seu horário. Nada de quer ficar de olho na programação o tempo todo, programar pra gravar, gravador dar erro e você não ver o programa que queria porque era tarde ou você tinha algum compromisso fora de casa…

Pedro Tashima (@42_Tashima)

Acho que o dia fa flexibilização nunca chegará. É inviável financeiramente, no final ou migram pra outro tipo de serviço ou formato, ou vão pra vala como as locadoras, lan houses e etc.

Jefferson Rodrigues (@Jefferson_Rodrigues)

Esse serviço vai morrer até 2030. Queria muito ainda ter tv a cabo, mas o preço não compensa mais.

Vinicius Andrade (@Toloko)

Desde que vim morar em Curitiba, acho que demorei 1 ano pra compra TV.
Ai decidi comprar para ver streaming em tela grande, ao invés de depender do notebook. Fim.
Nunca viu um sinal de TV aberta ou paga. Sangue azul.

Fábio Laurindo (@Fabio_Laurindo)

Em casa ninguém vê TV as vezes dou uma ligada pra jogar meus vídeo games retrô para evitar que as peças estrague.

@ksio89

TV aqui em casa só no celular. Prime Video, Oi Play (incluso no plano de fibra), DAZN e biblioteca do Paulo Coelho mandam abraços por trás para a TV paga. Comprei um antena UHF interna pra assistir TV aberta de vez em nunca.

Acabei botando a TV no meu quarto e assim como o colega acima, só uso uma vez perdida pra assistir algo no laptop, já que o sistema smart dela é muito limitado, e só pra não estragar por falta de uso.

Rodolfo Catucci Brasil (@rcbrasil)

A falta de qualidade na programação das TVs Abertas, e a falta de cuidado com os produtos existentes na TV fechada é o grande problema desse formato.

Pode ver, a maioria dos canais pagos repetem programas à exaustão, além de não se preocuparem com o momento certo de, por exemplo, cortar para propaganda. Não à toa, alguns canais já estão disponibilizando seu conteúdo direto no YouTube, ou mesmo por meio de aplicativos para celular.

Fora que a forma de venda é atrasada. Eu gostaria de pagar apenas pelos canais que assisto, e não por um pacote de 300 canais onde eu acabo vendo no máximo 5 canais diferentes.

No fim das contas, o que vale a pena na TV convencional (seja aberta ou paga) é a programação esportiva ao vivo e/ou noticiário. Qualquer outro programa “enlatado” é mais fácil buscar no streaming do que esperar pra ver na TV.

Jefferson Rodrigues (@Jefferson_Rodrigues)

Acredito que a franquia da banda larga será inevitável. Uma hora dessas, ela será implementada.