Início » Negócios » Google revela que YouTube faturou US$ 15 bilhões com anúncios em 2019

Google revela que YouTube faturou US$ 15 bilhões com anúncios em 2019

Receita do YouTube com anúncios quase dobrou em dois anos; YouTube Premium e Music Premium têm 20 milhões de assinantes

Felipe Ventura Por

O Google comprou o YouTube em 2006 e, desde então, nunca revelou detalhes sobre o faturamento do serviço de vídeos. Isso mudou: a plataforma teve receita de US$ 15 bilhões em 2019, quase dobrando de tamanho em dois anos. Isso não considera as assinaturas do YouTube Premium e YouTube Music Premium, que têm 20 milhões de usuários pagantes.

Mizter_X94 / YouTube / Pixabay / como fazer capa para youtube

O YouTube teve faturamento com anúncios de US$ 8,15 bilhões em 2017, US$ 11,15 bilhões em 2018 e US$ 15,15 bilhões em 2019. Só no quarto trimestre do ano passado, foram US$ 4,7 bilhões, e isso não leva em conta os US$ 750 milhões em assinaturas e outras receitas que não vieram de publicidade.

Enquanto isso, o YouTube Music Premium e o YouTube Premium têm uma base combinada de mais de 20 milhões de assinantes. Os serviços oferecem uma experiência sem anúncios e permitem ouvir áudio em segundo plano no celular e tablet. Eles custam R$ 16,90 e R$ 20,90 por mês, respectivamente.

Nos EUA, existe ainda o YouTube TV, que permite fazer streaming de canais de TV aberta e paga. Ele custa US$ 49,99 mensais, pode ser compartilhado entre até seis pessoas, e dá espaço ilimitado na nuvem para gravar programas e assisti-los depois. São 2 milhões de clientes no total.

É difícil comparar as assinaturas do YouTube com outros serviços, porque cada um tem uma proposta diferente. A Netflix possui 167 milhões de usuários pagantes, o Amazon Music tem 55 milhões de assinantes, enquanto o Apple Music conta com 60 milhões.

Google tem crescimento de receita abaixo do esperado

Sundar Pichai, CEO do Google e da Alphabet, não disse por que a empresa decidiu divulgar esses dados pela primeira vez. Talvez seja para distrair de um fato negativo: a receita total teve o pior crescimento desde 2015, derrubando as ações em até 5% após o fechamento dos mercados.

No quarto trimestre de 2019, a Alphabet teve receita de US$ 46 bilhões, alta de 17% em relação ao mesmo período do ano anterior. (Os investidores estavam acostumados com crescimentos de 20% ou mais.) Desse total, US$ 27,2 bilhões vieram das buscas e dos anúncios; enquanto US$ 2,6 bilhões correspondem à plataforma de nuvem Google Cloud.

Há ainda a categoria “Outros”, que engloba vendas de hardware — como o Pixel e o Google Home — além dos anúncios do YouTube; a receita aqui foi de US$ 5,3 bilhões. Considerando todas as divisões da empresa, o lucro foi de US$ 10,7 bilhões.

Com informações: VentureBeat, Mashable, The Verge.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
4 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Breno (@bbcbreno)

N sou especialista no assunto, mas se fosse pra chutar, diria q este crescimento brusco das receitas tenha sido pelo fato do YouTube ter passado a pagar menos pros YouTubers.

Assim, pro Youtuber faturar mais, ele acaba apelando pros anúncios de 5 em 5 minutos.

@Fabiofs

Acho que não tem relação. A matéria fala sobre crescimento das receitas e não do lucro. Ou seja, os pagamentos aos youtubers não influenciam nessa conta

Breno (@bbcbreno)

N falei de lucro, falei de faturamento mesmo:

Youtuber recebendo menos e sendo forçado a aumentar os anúncios… Aumenta o faturamento do YouTube.