Início » Gadgets » Beats Solo Pro: cancelamento de ruído, robustez e preço alto

Beats Solo Pro: cancelamento de ruído, robustez e preço alto

Beats Solo Pro é um dos melhores fones da marca, mas tem “precinho” de R$ 2.499

Emerson Alecrim Por

Anunciado em outubro de 2019, o Beats Solo Pro chegou com a missão de ser um dos produtos mais notáveis da marca que, desde 2014, pertence à Apple. Mas também um dos mais caros: no Brasil, os fones foram lançados em janeiro com preço oficial de R$ 2.499.

Por esse valor, estes fones wireless oferecem cancelamento ativo de ruído, acabamento robusto, bateria com 22 horas de autonomia (ou 40 horas, se o cancelamento de ruído for desativado), compatibilidade com a Siri, funcionalidades variadas (como desligamento automático quando os fones são dobrados) e, claro, ótima qualidade de som.

Será? Eu testei o Beats Solo Pro por três semanas e digo, nas próximas linhas, se ele cumpre o que promete.

Análise do Beats Solo Pro em vídeo

Design e conforto

Disponível em seis cores — azul-escuro, azul-claro, vermelho, marfim, cinza e preto —, o Beats Solo Pro tem um design que não difere muito dos modelos anteriores da marca, como o Beats Studio 3 Wireless e o Beats Solo 3 Wireless.

Mas isso não o torna menos chamativo, até porque, quando você pega os fones pela primeira vez, percebe de imediato que os fones têm ótimo acabamento.

Beats Solo Pro

Começa pela haste, que tem plástico por fora, mas alumínio por dentro, detalhe que confere ao produto bastante resistência. Para você ter ideia, durante o evento de lançamento no Brasil, um executivo da Beats chegou a torcer os fones como se eles fossem um pedaço de pano.

Mesmo assim, os fones não quebraram ou entortaram. Não tive coragem de reproduzir o mesmo teste, mas o recado foi este: se algum desavisado se sentar sobre eles ou alguma criança resolver pegá-los para “fazer arte”, as chances de o Beats Solo Pro sobreviver são grandes.

As dobradiças, também de alumínio, são firmes (pelo menos aparentam ser)

As dobradiças, também de alumínio, são firmes (pelo menos aparentam ser)

Beats Solo Pro

O conforto é garantido por uma camada emborrachada na parte interna da haste e por almofadas que não cobrem totalmente as orelhas, mas se moldam muito bem a elas.

Bom, o conforto é mesmo garantido, mas até certo ponto. De fato, as almofadas são bastante confortáveis. A Beats diz que elas estão mais espessas que nos modelos anteriores e proporcionam muito mais contato com as orelhas.

Beats Solo Pro

Por outro lado, não achei a haste tão confortável assim. Se a expando totalmente, sinto ela pender para frente; se diminuo a abertura, sinto a haste pressionar o topo da minha cabeça. Não chega a ser um problema grave — me acostumei rápido a isso —, mas fiquei com a impressão de que a Beats não simpatiza muito com gente cabeçuda, como eu.

Beats Solo Pro

Conectividade e funcionalidades

Assim como os AirPods, o Beats Solo Pro foi equipado com o chip H1, da Apple. Graças a ele, a conexão dos fones com o iPhone (fiz os testes com um iPhone XR) é fácil e imediata: basta abrir a haste para os fones ligarem e serem imediatamente reconhecidos pelo aparelho — não é necessário instalar nenhum aplicativo.

A conexão, baseada no Bluetooth 5.0 classe 1, é estável. Deixei o meu iPhone no quarto e andei pela casa inteira com os fones. Não notei queda ou falha na conexão nenhuma vez. Não que a minha casa seja grande, mas ficou claro para mim que a desconexão só vai acontecer se você se afastar muito do celular. O Capitão Óbvio concorda.

E, sim, o Beats Solo Pro é compatível com o Android. Instalei o aplicativo da Beats em um Moto Z2 Play velho de guerra. Os fones funcionaram muito bem com o aparelho, tanto quanto no iPhone: a qualidade da conexão é a mesma, assim como o reconhecimento dos comandos (já chego neles).

Beats Solo Pro trabalha de boas no Android

Beats Solo Pro trabalha de boas no Android

Mas há duas notícias que não são necessariamente boas. A primeira é que o Beats Solo Pro não traz conexão de 3,5 mm para cabo. A segunda é que os fones devem ser recarregados via porta Lightning.

Quando questionei a Beats sobre o porquê de não implementar uma conexão USB-C, a companhia argumentou que o Lightning já é bastante disseminado no mercado enquanto o USB-C ainda segue em processo de adoção pela indústria.

Não deixa de existir um fundo de razão aí. O problema é que, pelo menos no Brasil, cabos Lightning costumam ser caros. Eu preferiria USB-C.

Note que ao lado da porta Lightning existe um “furinho”. Trata-se do LED que indica quando os fones estão ligados (branco) ou recarregando (vermelho). Não se preocupe: ele é muito discreto. Não fica parecendo que você está dando seta por aí.

Com relação às funcionalidades, uma delas você já conhece: desdobre os fones e eles ligarão automaticamente; dobre-os para desligá-los.

Tem mais. Você deve ter reparado que o Beats Solo Pro traz só um botão físico, no lado esquerdo. Ele serve para ativar ou desativar o cancelamento de ruído (falo disso no próximo tópico).

O círculo com o logotipo da Beats é "clicável"

O círculo com o logotipo da Beats é “clicável”

O que as imagens não deixam claro é que o círculo com a marca da Beats no fone direito é “clicável”, ou seja, também funciona como botão. Os comandos aceitos por ele são muito úteis. Uma vez que você os aprende, não larga mais deles:

  • Pressione a parte superior do círculo para aumentar o volume;
  • Pressione a inferior para diminuir o volume;
  • Pressione o centro do círculo uma vez para pausar a reprodução;
  • Pressione duas vezes seguidas o centro para avançar de música;
  • Pressione três vezes seguidas para retroceder;
  • Um aperto longo no centro ativa a Siri ou, no caso do Android, o Google Assistente.

Você também pode ativar a assistente da Apple simplesmente dizendo “e aí, Siri”. Outra possibilidade é atender a ligações sem necessidade de tirar os fones da cabeça: aperte o ‘b’ de Beats uma vez para atender à chamada; aperte-o novamente para encerrá-la. Os microfones do dispositivo garantem a conversa. A qualidade da voz é ok.

Com alguma exceção para a função de retroceder (acho que eu fico meio bugado com tantos cliques), todos esses comandos funcionaram bem nos meus testes, tanto no iPhone quanto no Android. Também soma pontos o fato de o tempo de assimilação ser curto: em menos de uma hora eu já havia me acostumado a eles.

Qualidade de som, cancelamento de ruído e bateria

De nada adianta contar com esses recursos se os fones não tiverem boa qualidade de áudio, certo? Certo. Como eu sou habituado a fones intra-auriculares com reforços de graves, confesso que estranhei o Beats Solo Pro, mas só no começo.

Beats Solo Pro

A prioridade parece cair sobre os médios. Mas os fones reproduzem graves, sim. Não com muita intensidade, mas reproduzem. Via de regra, acaba existindo um equilíbrio aqui para não deixar as músicas estridentes demais, tampouco os graves se sobressaírem a ponto de anular detalhes nas músicas.

Você consegue ouvir guitarra, baixo, batidas, diferentes tipos de vocais e até instrumentos ou efeitos sonoros discretos com clareza. Então, sim, a qualidade sonora é bem boa. Mérito, em parte, do cancelamento ativo de ruído que a Beats chama de Pure ANC.

Esse tipo de tecnologia emite ondas que “anulam” sons externos. A Beats diz combinar o uso de microfones nos fones para detectar ruídos externos com algoritmos que monitoram o ambiente constantemente para aplicar o nível de cancelamento mais adequado para cada instante.

Dentro de casa, o cancelamento de ruído anulou com louvor o som da TV e me impediu de ouvir o teclado do computador enquanto eu trabalhava. Na rua, praticamente não ouvi o barulhos dos veículos — exceção para aquelas motos com escapamento modificado pilotadas por descerebrados.

Dá para ativar ou desativar o cancelamento de ruído do Beats Solo Pro pressionando o botão físico no fone esquerdo. Se você estiver na rua ou alguém do seu lado te chamar, é possível ativar o modo “transparência”, que aciona rapidamente os microfones para permitir que você ouça o que se passa ao seu redor. Bem útil.

Botão físico de um lado, porta Lightning do outro

E como fica a bateria no meio de tudo isso? Bom, a Beats fala em autonomia de até 22 horas com o cancelamento ativo de ruído ligado e até 40 horas se esse recurso for desativado.

Se essas estimativas não forem precisas, chegam perto de ser. Nos meus testes, contabilizei uma média de uso de uma hora e meia por dia, sempre com o cancelamento de ruído ativado. Só precisei recarregar os fones no início da terceira semana de uso, quando a carga finalmente chegou a 10%.

O tempo de recarga de 8% para 100% foi de 1h50min, mas existe um modo “tô com pressa”, formalmente chamado de Fast Fuel: com ele, é possível obter carga para até três horas de uso com apenas 10 minutos de tomada.

Olha, não duvido: no teste que fiz, esse pequeno intervalo foi suficiente para fazer a bateria ir de 8% para 24%.

O Beats Solo Pro vale a pena?

O Beats Solo Pro vem com esse estojo fofinho aí

O Beats Solo Pro vem com esse estojo fofinho aí

Já vi muita gente reclamando de fragilidade ou áudio ruim em fones da Beats. Se esses problemas existem ou não nos modelos anteriores, o fato é que, no Solo Pro, a preocupação com a qualidade é perceptível: o modelo traz acabamento robusto, uma gama considerável de funcionalidades, ótima qualidade de som, bateria durável e, como grande destaque, cancelamento ativo de ruído.

Não que o produto seja perfeito. Talvez o problema seja só comigo, mas eu esperava que ele fosse mais confortável. Além disso, acho que porta USB-C seria muito mais conveniente que a Lightning, afinal, o Beats Solo Pro também funciona (e bem) com o Android.

Mas problema mesmo é o preço cobrado: R$ 2.499 é um valor deveras alto, mesmo se considerarmos todos os recursos oferecidos. Não pense que é só no Brasil: nos Estados Unidos, os fones foram lançados por US$ 299,95 e a galera de lá também reclama do preço.

No resumo da ópera, o Beats Solo Pro acaba sendo uma ótima pedida, mas para quem não tiver restrições orçamentárias ou conseguir encontrá-lo em promoção. Para os demais casos, há opções mais em conta no Brasil, também com cancelamento de ruído, que podem quebrar um galhão. O Sony WH-XB900N é um bom exemplo.

Beats Solo Pro

Especificações técnicas

  • Tipo: on-ear, sem fio, com cancelamento ativo de ruído
  • Conectividade: Bluetooth 5.0 classe 1 com chip Apple H1, Lightning
  • Bateria: autonomia de até 22 horas com cancelamento de ruído ou 40 horas sem
  • Sensores: acelerômetro com detecção de movimento, acelerômetro com detecção de de voz, microfones duplos com formação de feixes
  • Compatibilidade: iPhone 8 ou posterior, iPod touch de 7ª geração, iPad Pro, iPad de 5º geração ou posterior, iPad Air de 3ª geração, iPad mini de 5ª geração, Android 7.0 ou superior
  • Controles: botão para cancelamento de ruído e desconexão no fone esquerdo; controle de volume e reprodução no fone direito
  • Altura: 17,9 cm
  • Peso: 267 g

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
3 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tiago Jeronimo (@TiagoJL)

A menos que você seja um jogador de futebol que ganha milhões por ano e faz questão de ser visto com um fone da Beats, muito melhor o Sony WH-1000XM3.

@Comentador

Esse fone vs o WH1000XM3, qual deles tem o melhor cancelamento de ruído?

Emerson Alecrim (@Alecrim)

Olha, eu testei muito pouco o WH1000XM3, mas eu acho que tá “pau a pau”. Se houver alguma diferença na percepção de qualidade dos dois fones, para mais ou para menos, é bem pequena.