Início » Brasil » Samsung e Motorola paralisam produção de celulares no Brasil

Samsung e Motorola paralisam produção de celulares no Brasil

Fábricas chinesas que fornecem peças para Samsung e Motorola estão paralisadas por surto de coronavírus

Emerson Alecrim Por

Na semana passada, noticiamos aqui no Tecnoblog que o atual surto de coronavírus já prejudica a produção de eletrônicos no Brasil. As indústrias de computadores e celulares estão entre as mais afetadas. Prova disso é que, por conta do problema, Motorola e Samsung tiveram que paralisar as suas fábricas recentemente.

Fábrica da Foxconn em Jundiaí (Créditos: Fabiano Accorsi/VEJA)

A primeira foi a Samsung. Do dia 12 ao dia 14 deste mês, cerca de 2,5 mil funcionários da fábrica da companhia em Campinas (SP) tiveram que ficar em casa. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Campinas e Região, a companhia fez o pedido de suspensão da produção alegando falta de peças.

Já a Flextronics, que responde pela produção da Motorola, decidiu dar férias coletivas por 10 dias aos seus cerca de 2,2 mil trabalhadores a partir desta segunda-feira (17). O motivo é o mesmo: falta componentes para a continuidade da produção.

Qual a relação do coronavírus com essas decisões? Grande parte dos componentes usados para a fabricação de smartphones e outros dispositivos vem de fornecedores chineses. O problema é que, em um esforço para conter a disseminação do vírus, várias fábricas estão reduzindo ou paralisando totalmente as suas atividades na China. Se não há produção, não há fornecimento.

No caso da Samsung, os dias parados deverão ser compensados em turnos nos sábados de março. Porém, os trabalhadores de toda a indústria de eletroeletrônicos permanecem preocupados: como não há nada indicando que o problema do coronavírus será resolvido em tempo hábil, várias outras fábricas poderão ser afetadas no Brasil.

Samsung Galaxy A50s

Não é exagero: um levantamento da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) aponta que 22% das cerca de 50 indústrias pesquisadas no Brasil podem paralisar as suas atividades nas próximas semanas se o desabastecimento não for resolvido.

“Estamos preocupados que isso ainda vai longe. Embora o vírus não tenha chegado aqui, as consequências já vieram. O risco iminente é que se esse negócio se complicar as empresas queiram partir para cortes [de funcionários]”, diz Sidalino Orsi Junior, presidente do Sindicato dos Metalúrgico de Campinas e Região.

Com informações: Convergência Digital.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
13 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Lucas Bonfim (@Lukas_Bonfim)

E com isso os preços vão aumentar, com toda certeza.

Higo Ferreira (@higoff)

E os preços, ó

Gigo CAP (@GigoCAP)

E tem gente que fala que dólar alto é bom porque o país exporta mais. Só esquece que a gente só exporta commodities decentemente.

Kleverton Soares (@Kleverton)

É meio assustador como a estrutura mundial ainda é frágil, depender de apenas um país para todos os componentes eletrônicos.

Tiago Jeronimo (@TiagoJL)

Na verdade a dependência não se deve a fragilidade da “estrutura mundial”, mas a ganância das empresas em busca do maior lucro possível, por isso que a China é o fornecedor de mão-de-obra barata ideal.

Gabriel Arruda (@gdarruda)

Não é mão de obra mais, por mais que as condições trabalhistas tenha sido uma vantagem, está longe de bastar para ser a fábrica do mundo como se tornaram. Por preço de mão de obra, tem muitos locais mais acessíveis.

Folha de S.Paulo Trabalhador brasileiro já ganha menos do que um chinês, aponta estudo

O salário médio pago pela indústria chinesa já supera os valores pagos aos trabalhadores de países como Brasil e México e está se aproximando rapidamente aos recebidos em Grécia e Portugal.

A China e o sudeste asiático tem toda a infraestrutura de produção. pessoas e transporte. Nenhuma região do mundo consegue produzir como eles, a Apple disse que é um inferno produzir o Mac Pro nos EUA por exemplo.

A China já é uma potência tecnológica consolidada, não mais um país de mão de obra barata.

NENHUM (@mgc)

Se a empresa não tiver ganancia,ela quebra,ninguém trabalha por caridade.
Em vez de culpa as empresas,deveria culpa o governo que coloca muita burocracia e imposto,ex: os chineses compra minério no brasil,transforma em aço e traz para o brasil com preço menor que o produzido aqui,mesmo tendo um elevado custo de transporte.

Douglas Charles Cunha (@Genumano)

Quando é que o TB irá colocar os comentários do blog na mesma página da notícia? Muito chato e nada útil você ter que abrir um página para comentar. Quando se esquece de abrir o blog em outra aba e temos que voltar ao artigo para reler um parágrafo ou frase, antes de continuar escrevendo o comentário, a única saída é clonar a guia. Qual a dificuldade de funcionar como o Disqus? Até o do TudoCelular funciona melhor.

Arthur Silva Vicentini (@ArthurVX)

A crítica do povo não é pela fabricação ser na China, mas pelo projeto de um Xiaomi ou de um Huawei ser chinês. E, mesmo com essas marcas, além da Lenovo, já tendo uma boa reputação, a má fama dos produtos chineses, vinda das falsificações e dos produtos de qualidade questionável, permanece.
Tanto que muita marca chinesa tenta ou esconder sua origem, fazer dela um detalhe ou fazer como a Caoa Chery, que fala em seus anúncios que o Tiggo 5X é (ler imaginando a voz do Ferreira Marins) “desenvolvido no mais avançado polo de tecnologia… DO MUNDO”.