Ao longo dos últimos dias muito se falou a respeito de um novo app para iPad, o Flipboard, um aplicativo tão bem sucedido que foi um fracasso (já já eu explico ;)). Testei o aplicativo e, particularmente, achei que — parafraseando Shakespeare — foi muito barulho por pouco.

Ainda assim, nosso editor Thássius me deu um puxão-de-orelha (figurado) e disse algo na seguinte linha: “o público quer saber sobre o Flipboard. Já que o testou, escreva sobre ele, mesmo que não tenha gostado. Isso até ajuda quem não tem acesso a um iPad a entender porque tem se falado tanto sobre esse aplicativo.” E ele tem razão, então vamos lá!

O Flipboard inovou na tentativa de ser uma “revista social” no iPad. A proposta do app é mostrar — com uma diagramação bastante visual que lembra a mídia impressa — não apenas notícias, mas também o que os seus contatos estão comentando e indicando no Twitter e no Facebook. Assim, você teria à mão, por exemplo, uma revista digital com os links e imagens que as pessoas que você segue no Twitter mais estão comentando.

Teria. A idéia parece boa, não é? Não foi só você que achou. O Flipboard foi um sucesso tão grande que seus servidores não aguentaram a demanda.

O resultado disso é que ontem, apenas um dia depois da estréia do aplicativo, ele foi atualizado com uma versão que não mais integra seus contatos do Twitter e do Facebook. Tudo o que se tem agora são as revistas compostas por links que provedores de conteúdo pré-selecionados pelo app publicam no Twitter.

Sem a faceta social customizada, o app perde 90% do seu interesse. Apesar de continuar sendo visualmente atraente, o leitor fica preso a quem os criadores do aplicativo acham que vale a pena seguir, e isso meio que vai contra o imagem social e personalizada que o Flipboard quer ostentar.

Justiça seja feita, os desenvolvedores estão tentando solucionar o problema. O sistema que escolheram foi de criar uma lista de espera e ir chamando as pessoas gradualmente para terem a chance de ter o seu Twitter e Facebook integrados ao aplicativo. Eu estou na lista, mas não faço idéia de quanto vou ser chamado, ninguém faz.

Além de tudo isso, ainda tem o aspecto legal do aplicativo. O que ele faz é pegar os links publicados em redes sociais, segui-los e exibir seu conteúdo (texto e imagem) na diagramação própria do app. A questão é que ele não usa para isso o RSS do site em questão, no qual os responsáveis tem a opção de, por exemplo, publicar apenas um trecho do post para que os leitores interessados em sua totalidade sigam adiante e visitem seu site. O Flipboard não faz isso. Ele exibe o conteúdo completo dos sites, independentemente de como esteja configurado o RSS.

Early Edition é um competente leitor de RSS (de verdade) com proposta visual similar. (clique para ampliar)

Para que fique mais claro porque se reclama dessa atitude, o que o Flipboard faz é, basicamente, pegar o texto e as imagens do seu site, ignorar a sua formatação, ignorar os seus anunciantes, ignorar qualquer outra coisa interessante que você tenha feito para o seu site (como uma seção de comentários ou uma barra de destaques) e exibir no aplicativo sem pedir sua autorização. Por isso a legalidade disso está sendo discutida.

Deixando isso um pouco de lado, o Fliboard é sim um aplicativo interessante, mas que perde muito ao não dar conta da demanda e deixar seus usuários sem a opção de integrar ao app suas redes sociais, que é cerne de sua propaganda. Sem isso, ele nada mais é do que um tipo de leitor de RSS sem o RSS, e que não lhe permite escolher os feeds que quer acompanhar. E leitores de RSS (de verdade) que são visualmente atraentes já existem para o iPad. Por exemplo o Pulse e o Early Edition (este último tem proposta visual similar ao Flipboard, mostrando seus feeds como que em um jornal).

Enquanto a infra-estrutura do Flipboard não permitir que ele faça o que propõe, não posso recomendá-lo. Quer dizer, pensando melhor, ele é gratuito mesmo… Se você tem um iPad pode baixá-lo então, e já deixe seu e-mail para entrar na lista de espera do Twitter e Facebook. Quando essas funcionalidades de fato funcionarem o app promete ser bastante interessante. Enquanto isso, assista ao vídeo abaixo para ter uma idéia de como ele deve funcionar quando tudo estiver bem.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

dorasbtorres
Interessante, mas não rolou! Obrigada pelas informações.
Jhonata Dias
No android ele não tem nem um deses problemas.
Ledamir Pereira
Gostei muito da idéia já estou usando-o .
assumcao
Nada a ver. Melhor do que não instalar por causa de comentários de outros é instalar e verificar se atende às suas demandas. Facilitou muito para mim. Tenha a minha própria revista e consigo ter acesso às principais notícias que me interessam: política e segurança pública. No app tenho linkedin, instagram, twitter, facebook, google+, etc, etc. Quer mais?
Gilberto Almeiad
Uso o aplicativo no iPhone e iPad e acho ele excelente.
hub
Ótimo aplicativo baixem e testem não se deixem levar por comentários, tirem suas próprias conclusões.
olga
Alguém sabe por que o meu Flipboard abre no iphone mas não no ipad? Grata
@chegadportunhol
Muito barulho, pouco conteúdo de parte desse Flipboard. Obrigado pelo aviso.
Vinicius
Disponivel no XDA http://forum.xda-developers.com/showthread.php?t=1644212
Elton
É tudo em inglês? Não tem como configurar p Português? ? ?
Zen
Alguém cseguiu tuitar do flipboard? Se sim, por favor, desenha e pinta! Valeu
Alexandre
Pela descricao esse app é muito legal, pena que defecaram no update... Porque nao fazer uma coisa assim para PCs e celulares, creio que pelo conceito inicial, é o tipo de coisa que tende a virar febre rapidamente.
Web Dicas
Um dia ainda terei um ipad..
Juarez Lencioni Maccarini
Adoro o Pulse, uso diariamente. Ele mudou a forma como utilizo RSS.
@PauloSergio
Concordo! Muito barulho por nada. Instalei o Flipboard crente que teria uma ferramenta interessante no iPad e nao passei de um leitor regular de feeds. A indicação do Early Edition é perfeita. Eu o utilizo como meu jornal pela manhã. Mas nao poderia deixar de indicar o PULSE que é exatamente o que o Flipboard nao conseguiu ser, nem por um dia.
Exibir mais comentários