Início » Antivírus e Segurança » Procon-SP recua sobre roubo de dados pelo golpe da ligação

Procon-SP recua sobre roubo de dados pelo golpe da ligação

Sem provas, Procon-SP disse que fraudadores podem roubar dados de pessoas que recebem ligação do próprio número

Felipe Ventura Por

A Fundação Procon-SP divulgou alerta sobre um golpe em que a pessoa recebe ligação do próprio número: Fernando Capez, diretor-executivo da entidade, afirmou em vídeo que estava “recebendo reclamações de consumidores nesse sentido”, e que fraudadores “só precisam de 10 segundos para roubar os seus dados”. Eles voltaram atrás, dizendo que não foram notificados por nenhum consumidor sobre esse golpe, e que não têm provas de que o roubo de dados está realmente acontecendo.

Ligação no celular

Capez confirma ao UOL que nenhum consumidor acionou o Procon-SP por ter sido alvo desse tipo de golpe. Ele ficou sabendo disso após ser avisado por um desembargador, que recebeu um telefonema do próprio número — mas seus dados não foram roubados.

O diretor-executivo afirma que as pessoas continuam recebendo chamada do mesmo número que possuem. No entanto, ele não soube informar com quem isso aconteceu, nem o que ocorreu quando elas atenderam a ligação.

Ainda assim, o Procon publicou um vídeo em tom alarmista no qual Capez afirma: “estamos recebendo reclamações de consumidores nesse sentido, se você receber uma ligação no seu celular do seu número, não atenda… Fraudadores estão aplicando golpes e eles só precisam de 10 segundos da ligação para roubar os seus dados”.

Questionada, a entidade admitiu que não tem provas de que esse golpe está mesmo ocorrendo: “para fazer testes, o Procon teria que recrutar hackers e não conhecemos nenhum”.

Spoofing de número não rouba dados, explica Anatel

Os funcionários do Procon encontraram relatos em redes sociais de pessoas que receberam chamadas do próprio número. Isso, por si só, não rouba nenhum dado: o spoofing é uma forma de chamar a atenção do alvo para conseguir informações via engenharia social.

Em comunicado, a Anatel explica: “o cenário técnico mais provável no caso relatado pelo Procon é de alguma engenharia social feita pelo hacker que leva o consumidor, enganado, a digitar ou falar suas informações pessoais”.

O Procon defende seu alerta mesmo assim, dizendo que “ainda existem casos de ligação do mesmo número para o celular da pessoa”. A entidade também alega que isso “não causa nenhum prejuízo porque, se a ligação foi bloqueada, ’em tese’ a pessoa não receberá a ligação e o alerta não prejudicou em nada”.

Em nota, o Procon afirma diz que sua postura “é e sempre será de cautela máxima e prevenção, ainda que possa desagradar um ou outro ‘especialista’ “.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Caleb Enyawbruce (@Enyawbruce)

“para fazer testes, o Procon teria que recrutar hackers e não conhecemos nenhum”

Nem vou rir, vai que é doença…

jean veiga rodrigues (@jean_vr)

Uma entidade desse porte soltar fake news e ainda sair de nariz em pé ao ser desmascarada… Que tempos esses em que vivemos

@Rogerio.Neves

Quer dizer que eu cadastrei meu próprio número nos contatos com o nome “Não Atende Que é Golpe” à toa?!?

Fábio Laurindo (@Fabio_Laurindo)

Engenharia social a serviço do mal, kkk