Início » Negócios » Amazon abre supermercado completo sem caixas e filas

Amazon abre supermercado completo sem caixas e filas

Amazon Go Grocery é um supermercado que usa câmeras e visão computacional para ver o que você está levando

Paulo Higa Por

A Amazon expandiu seu conceito de loja física sem caixas: nesta terça-feira (25), a empresa abriu seu primeiro supermercado completo, o Amazon Go Grocery, na cidade americana de Seattle. O estabelecimento possui câmeras espalhadas com tecnologia de visão computacional para que você pegue o que precisa e vá embora sem passar por nenhuma fila: tudo é cobrado automaticamente na sua conta da Amazon.

Amazon Go Grocery (Foto: Amazon)

Mais de 20 lojas Amazon Go já estavam em operação em cidades como Nova York e San Francisco: elas funcionam como pequenas lojas de conveniência com alimentos frescos, bebidas, frutas, doces e itens de padaria. Enquanto isso, o Amazon Go Grocery possui seções de utensílios domésticos, higiene bucal, cuidados pessoais e rações para animais. A nova unidade de Seattle tem cerca de 1.000 metros quadrados, enquanto as lojas Amazon Go costumam ficar entre 110 e 210 m2.

O funcionamento do supermercado da Amazon é similar ao das lojas menores. Você precisa ter o aplicativo Amazon Go instalado no celular — ele mostra um QR Code que será lido pela catraca na entrada. Enquanto estiver dentro do supermercado, você pode pegar os itens que quiser e guardá-los na sacola: as câmeras com visão computacional espalhadas pelo estabelecimento sabem quem está comprando quais itens. Se o item for devolvido à gôndola, ele não será cobrado.

A entrada de uma loja Amazon Go (Foto: André Fogaça/Tecnoblog)

A entrada de uma loja Amazon Go (Foto: André Fogaça/Tecnoblog)

Então, na hora de sair do supermercado, basta… sair. Não é necessário se identificar novamente, nem confirmar as compras ou provar para um segurança humano que você não está roubando nada — no entanto, a Amazon diz ao The Verge que sua identidade será verificada antes da entrada caso você queira levar bebidas alcoólicas. As compras serão cobradas no seu cartão de crédito padrão registrado na Amazon.

Amazon Go Grocery complementa supermercados Whole Foods

Vale lembrar que a Amazon é dona da rede de supermercados Whole Foods, adquirida em 2017 por US$ 13,7 bilhões. O Amazon Go Grocery não quer competir, mas complementar o Whole Foods, que é mais focado em alimentação saudável e orgânica, diz a empresa. O novo supermercado sem caixas da Amazon oferecerá itens como cereais Kellogg’s e Coca-Cola, que não serão encontrados em sua outra subsidiária.

Para lançar o supermercado, a empresa precisou treinar seu sistema de câmeras para lidar com situações novas: enquanto as lojas Amazon Go costumam vender apenas itens empacotados, como um sanduíche pronto ou uma lata de refrigerante, os consumidores do Amazon Go Grocery podem comprar três maçãs e duas batatas, que podem ficar misturados em um único saco plástico, por exemplo.

A Amazon é a maior loja online do mundo, mas ainda engatinha no setor de supermercados nos Estados Unidos, que fatura US$ 800 bilhões a cada ano. No último trimestre, a Amazon obteve receita de US$ 4,4 bilhões em lojas físicas — o que inclui tanto as unidades Amazon Go quanto os supermercados Whole Foods. A empresa não comenta onde planeja abrir suas próximas lojas.

Comentários da Comunidade

17 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Felipe

os consumidores do Amazon Go Grocery podem comprar três maçãs e duas batatas, que podem ficar misturados em um único saco plástico, por exemplo.

Fiquei curioso para saber o valor desses itens, por exemplo. Vão vender o preço da unidade, sem ser por peso?
Leonardo Brandão Gonçalves
Isso vai de fato mudar o mercado. Infelizmente por consequência diversos empregos serão perdidos e questiono se com a profissionalização destes, estes conseguirão se realocar no mercado. Acho que só uma pequena parcela.
Alguns vão falar que esse pensamento é igual da época da datilografia, mas será mesmo que criamos novas vagas mesmo capacitando as pessoas na mesma velocidade em que essas vagas são extintas?
Acredito eu que a “carroagem” chamada tecnologia está descendo uma ladeira e nós estamos apenas tentando correr atrás cada vez mais rápido…
Mas em relação a matéria, vai trazer muita praticidade aos consumidores e deve levar um bom tempo para chegar no Brasil por questões econômicas e culturais.
Paulo Higa



xavier:

Fiquei curioso para saber o valor desses itens, por exemplo. Vão vender o preço da unidade, sem ser por peso?


Sim. Frutas e legumes no Brasil são relativamente acessíveis, então a gente se acostumou a comprar por peso, dúzia, etc. Mas em outros países (incluindo os Estados Unidos), esses itens são mais caros.
O GeekWire tirou uma foto da seção de frutas do Amazon Go Grocery. Tem maçã fuji por US$ 1,25 cada, toranja por US$ 1,29 cada, maça verde por US$ 0,90 e por aí vai.
No Whole Foods e outros locais você consegue comprar por libra, mas aí é a questão custo vs. praticidade (as pessoas não devem fazer a compra do mês inteiro nesse supermercado tecnológico da Amazon).
Felipe



leonardobg7:

Isso vai de fato mudar o mercado. Infelizmente por consequência diversos empregos serão perdidos e questiono se com a profissionalização destes, estes conseguirão se realocar no mercado. Acho que só uma pequena parcela.


Se sempre for ficar com esse pensamento, nada no mundo evoluiria.
Eu moro no interior em um dos maiores pólos produtores de cana-de-açúcar. Quando começou a mecanização da lavoura, esse pensamento reinou por aqui. Hoje em dia, praticamente ninguém se lembra mais do trabalho quase escravo que era cortar a cana queimada em uma jornada de mais de 8 horas debaixo de sol de quase 40º.
Algumas pessoas perderam o emprego? Com certeza, mas não foi nem 1/5 do alarmismo gerado.
Gustavo
Acho isso tudo muito interessante e moderno, mas confesso que fico bem receoso com tanta modernidade. Provavelmente porque, mesmo gostando de tecnologia, sou uma pessoa do século passado.
Leonardo Brandão Gonçalves
Sim, pelo visto não ficou claro o meu ponto de vista. Resumindo, mais vagas estão sendo abertas do que perdidas? Será mesmo?
Daqui a pouco entra na medicina. Para uma cirurgia precisa-se de uma equipe de 7 a 10 pessoas por exemplo. Entre eles médicos, enfermeiros e auxiliares. Com máquinas e inteligência artifical mal vai precisar de um médico só por garantia. O que acontecerá com as outras 9 pessoas?
Em breve a engenharia também… Impressoras 3D irão construir as casas mal precisando sequer do engenheiro, fora os operários que mesmo se fizerem uma graduação estariam obsoletos.
Já tem inteligência artificial na área do direito agilizando processos e aprendendo tomar decisões. Num futuro os julgamentos serão realizados por IA…
Aí eu pergunto… Hoje os trabalhos braçais são substituídos por máquinas, e já começou com técnicos, daqui a pouco já começa com a graduação… Quando estes forem substituídos o que vai sobrar pra sociedade desempenhar?
Acho difícil ter vaga de programação pra todo mundo.
Só pra deixar ainda mais claro. Não sou contra a evolução. Devemos evoluir sim, porém não podemos fechar os olhos para uma consequência real que acontecerá não muito distante. Toda vez que alguém discute isso é comum invocarem a história do canavial, mas ninguém ainda consegue responder a pergunta… O que vamos fazer neste mundo se as máquinas fizerem tudo?
Refletindo mais acredito que as máquinas IA irão ser parte da sociedade e próximo passo da evolução humana é a evolução das máquinas para nos subtuitir e não importo nem um pouco.
Cesar Osvaldo Müller
Antes precisavamos de monges para escrever os livros, Guttenberg e sua impressora iria acabar com todos os monjes… A maquina a vapor ia acabar com o trabalho dos artesãos que faziam as xicaras e pratos… Os robos vão acabar com os operários da fábrica…
Na prática, o mundo já passou por isso outras vezes, e vai continuar passando. O que ocorre é que novas profissões, novos cargos e novos trabalhos surgem, enquanto outros somem, e assim caminha a humanidade, a passos lentos e sem vontade (ft. Lulu Santos)…
@ksio89
Sabia que ia ter ao menos um comentário com a velha história da evolução tecnológica causar desemprego, dito e feito. No Brasil isso nunca seria posto em prática, pois os sindicatos de operadores de caixa iriam fazer confusão com mimimi de desemprego, e então os nobres magistrados iriam proibir esse tipo de operação aqui, os mesmo que proíbem auto-abastecimento pra garantir emprego de frentista.
E cara, a Amazon realmente está em outro nível, entre as grandes empresas de tecnologia é a que eu mais admiro, os caras são feras em inovação no varejo.
Renato Garcia
Acho super interessante essa ideia, mas fiquei com uma dúvida real se quem não possui conta não será permitido entrar no supermercado e, consequentemente, impedirá de ir fazer compras acompanhado (por alguém que não tem conta na Amazon, por exemplo). Ou será que o sistema conseguirá identificar que há mais pessoas naquele grupo e detectará todos os produtos que aquele grupo pegou e contabilizará em uma única conta?
Leonardo Brandão Gonçalves
É… Interpretação de texto é uma benção.
Se não me engano o próprio mobilon falou algo a respeito em um podcast.
Mas deixa pra lá. Vcs tem razão
João M.
Acho bem curioso o povo reclamar dos preços aqui mas em questão de alimentação são um dos mais baratos de toda a américa, quiçá do mundo.
João M.
O candidato a presidente Andrew Yang queria que tivesse um UBI (Universal Basic Income) mas ele não chegou às primárias.
Tiago Jeronimo
Isso me lembra o monólogo final da personagem M uriel na série “Years and Years” da HBO. Estamos caminhando pra um mundo onde o subemprego é norma e não uma exceção.
Todos nós gostamos dessas inovações, mas não olhamos os impactos que vem na esteira dessas tecnologias.
Pode parecer um discurso ludista, mas a verdade é que mesmo que sejam criadas novas ocupações uma parcela significativa da população vai ficar desamparada durante a transição.
E se começa com caixas de supermercado, não termina do com eles, em breve serão contadores, jornalistas, secretários, motoristas, advogados…
Leonardo Brandão Gonçalves
Exatamente isso que quero dizer. Não acho ruim a evolução tecnológica, pelo contrário.
Porém em breve ela trará essas consequências que muitos ainda fingem não enxergar. Não precisa ir muito longe.
Igual exemplo que citei, quando não precisarmos de médicos, engenheiros e advogados fora a mão de obra braçal que função social econômica vamos desempenhar?
Isso que muitos fecham os olhos e ficam presos a discursos que invocam a história do canavial.
Não estamos falando dos empregos de base, mas sim os de topo. Quando esses não forem mais necessários eu não sei o que vamos fazer.
Sou totalmente contra proibir tecnologias em função da mão de obra “defasada” mas igual reforço novamente, o que faremos então?
Bruno

Acho bem curioso o povo reclamar dos preços aqui mas em questão de alimentação são um dos mais baratos de toda a américa, quiçá do mundo.

Basicamente frutas e legumes no Brasil sao mais baratas, justamente porque os outros países importam da gente. Fora que preço sozinho não quer dizer nada se não levar em conta o salário médio do cidadão. Eu pago £0.25(R$1.40) em uma banana em mercados pequenos na Inglaterra, mas o salário mínimo é uns £1100 (R$6250).
Kayo
Não é a toa que o debate liberal sobre renda minima tem ganhado força no mundo, uma coisa é cortar como o colega falou a produção manual de cana enquanto surgia emprego de caixa e um comercio mais forte, com alta demanda de mão de obra, outra é cortar mão de obra sem perspectiva de surgimento de novas áreas com alta demanda de pessoal, no modelo capitalista como isso se sustenta? Um engenheiro de dados, estatístico, programador de jogos tem uma ampla oferta pouco consumida ainda pelos trabalhadores? Sim! Mas a ponto de ocupar um mercado tão desqualificado e tão amplo? acredito que não, assim como em toda atividade bem remunerada e de alto valor agregado. É provável que soframos algumas mudanças drásticas no modelo econômico do mundo nos próximos anos, vejo uma unica pessoa bem remunerada sustentando uma familia e um programa de renda minima para os demais a fim de complementar essa lacuna. Só não consigo imaginar como se dará.
João M.
De qualquer forma o custo de vida é elevado em outras áreas tb, como habitação. Saíram umas matérias interessantes recentemente mostrando os aposentados dos EUA fugindo pra outros países como o México por conta do custo de vida mais baixo.



Folha de S.Paulo – 20 May 19




Cresce número de cidadãos dos EUA que migram para o México

Baixo custo de vida do país atrai idosos que recebem aposentadoria em dólar









Danílio Costa da Silva
Sobre o ponto do desempregado e da metáfora do canavial: no passado com a industrialização, 1ª, 2ª e 3ª revoluções industriais o ritmo de mudança foi se acelerando, nos países mais ricos isso foi acompanhado de um aumento da escolaridade e do nivel técnico da população, e ainda assim existe subemprego. No momento em que vivemos o ritmo da inovação é tão grande que as vezes em 4 anos o conteúdo de um curso superior já está defasado. Vai se tornar cada vez mais difícil de conseguir qualificação suficiente para acompanhar o ritmo da inovação. No caso do Brasil precisaríamos de um investimento absurdo em educação e tecnologia, além de uma mudança de postura da população. Tenho medo de como vai estar isso em 100 anos…
Vinicius



Brunomcc:

Fora que preço sozinho não quer dizer nada se não levar em conta o salário médio do cidadão


Isso que eu ia comentar, muita gente fala que algo é barato ou caro em outro país só convertendo, mas tem que considerar o salário mínimo e/ou médio no local.
Hemerson Silva
Na verdade a curto prazo resulta em desemprego, porém depende de uma série de fatores para que a médio e longo prazo, empregos que foram substituídos por máquinas fossem repostos por novas áreas ou por áreas que exijam mais do profissional. Toda evolução causa estes apontamentos. Cabe a estrutura de sociedade se adaptar a tais mudanças, desde ao desenvolvimento do país, da população, dos governos, etc.
Hemerson Silva
O subemprego existe e sempre existirá, a questão é que ao longo do tempo, as atividades que o ser humano exerce ficam mais e mais complexas, e aí dependerá da evolução das sociedades, do país, dos governos, para que o padrão estabelecido antes não seja rebaixado.
Hemerson Silva
Programa de renda mínima seria um absurdo sem tamanho. E se você reparar, os desenvolvimentos acontecem na velocidade em que as sociedades são impostas, em locais superdesenvolvidos, o desenvolvimento e o avanço são mais rápidos. Assim como antes - surgimento de máquinas na lavoura, por exemplo - não se tinha noção do que aconteceria quando substituísse o pessoal, hoje acontece a mesma coisa, o patamar vai subindo cada vez mais. Caberá aos governos e a estrutura de sociedade como que tal desenvolvimento será adotado.
Danílio Costa da Silva
Eu concordo Hemerson, mas o meu ponto é que a velocidade da inovação e das mudanças está´se dando tão rápido que mesmo governos e a sociedade talvez não consigam acompanhar nm futuro próximo.
Vinicius Andrade



Hemerson_Silva:

subemprego


Eu não gosto desse termo. Parece que menospreza quem os faz. Acho que é uma cultura muito feia que existe no Brasil. Trabalho é trabalho. O lixeiro é tão trabalhador quanto o médico. A diferença é que os requisitos para um trabalho são maiores que o outro, mas de novo, ambos são trabalho.
Participe da discussão