Tecnoblog
Início » Telecomunicações » Amazônia terá 10 mil km de fibra óptica com 100 Gb/s de velocidade

Amazônia terá 10 mil km de fibra óptica com 100 Gb/s de velocidade

Rede de fibra óptica em 80 municípios deve estimular criação de pequenos provedores na região amazônica

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) lançou o Programa Amazônia Integrada e Sustentável (PAIS), que prevê a expansão do backbone da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) na região amazônica. A nova rede de fibra óptica percorrerá 10 mil quilômetros, interligando 80 municípios.

Por conta da grande extensão territorial e baixa densidade populacional, a região da Amazônia é carente de conectividade, sobretudo de alta velocidade. Com capacidade de 100 Gb/s, a rede interligada com a RNP deve estimular a criação de pequenos provedores e atender uma população que está desconectada ou dependente de satélites, que possuem alta latência, velocidades baixas e tráfego limitado.

Os cabos de fibra óptica percorrerão os leitos dos rios Negro, Solimões, Madeira, Purus, Juruá e Rio Branco, e devem levar conectividade para 9,2 milhões de habitantes. A RNP compartilhará essa rede com provedores regionais, empresas de telecomunicações e instituições públicas.

Primeiro trecho deve ficar pronto ainda em 2020

O primeiro trecho do projeto piloto, Infovia 00, tem previsão de conclusão em dezembro de 2020 e deve interligar Macapá (AP) aos municípios de Almeririm, Santarém e Alenquer, todos no Pará.

O programa terá recursos oriundos de diversos ministérios, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e de emendas parlamentares. Ele deve ser integrado com um trecho de fibra óptica de 900 km que interliga Manaus (AM) e Tefé (AM), construído anteriormente pelo Ministério da Defesa.

A RNP é um órgão que tem como principal objetivo atender o setor acadêmico, mas também marca presença com o setor privado. Atualmente são mais de 800 organizações conectadas na Rede Ipê (sim...), com backbone disponível em todas as 27 capitais brasileiras.

Com informações: Convergência Digital.