Início » Aplicativos e Software » Xiaomi suspende Android 10 para Mi A2 Lite após falhas na tela

Xiaomi suspende Android 10 para Mi A2 Lite após falhas na tela

Xiaomi Mi A2 Lite com Android 10 pode entrar em bootloop; tela exibe manchas pretas na parte inferior após a atualização

Felipe Ventura Por

A Xiaomi parou de distribuir o Android 10 para o Mi A2 Lite após a atualização causar bootloop em diversos celulares: eles não conseguem mais inicializar o sistema e exigem uma técnica complexa para serem consertados. Além disso, há relatos de que a tela sofre de um “efeito palco” após a instalação, sugerindo uma falha na retroiluminação.

Xiaomi Mi A2 Lite

Donos do Mi A2 Lite que tentam baixar o Android 10 se deparam com a mensagem “seu sistema está atualizado”. A Xiaomi interrompeu a atualização bugada, mas não se pronunciou oficialmente.

Várias unidades do Mi A2 Lite estão em bootloop e não conseguem acessar o modo de recuperação nem o fastboot. Membros da TB Comunidade encontraram uma solução paliativa, que envolve instalar drivers da Xiaomi e o ADB Fastboot no computador.

Falha na tela do Mi A2 Lite não é permanente

Algumas pessoas conseguiram instalar o Android 10 com sucesso, mas tiveram outros entraves. Usuários no Reddit e na Mi Community, fórum oficial da Xiaomi, dizem que a atualização pode deixar o Mi A2 Lite com um problema na tela: são manchas pretas na parte inferior que aparecem quando o display exibe cores claras.

Isso indica que há uma falha na retroiluminação da tela, assim como o “flexgate” do Apple MacBook Pro. Mas, no caso da Xiaomi, o defeito parece não ser permanente: “eu tive exatamente o mesmo problema quando atualizei, e foi por isso que voltei para a versão 10.0.17… a falha desapareceu para mim assim que fiz o downgrade”, afirma um usuário no Reddit.

A atualização causou outras dores de cabeça: a bateria ficou travada em 66% no celular de um usuário, como se estivesse descalibrada. Ao carregar, ela permaneceu por muito tempo em 0%; então, o aparelho “ficou extraordinariamente quente ao toque enquanto estava no carregador”.

Além disso, algumas pessoas relatam que há um um aviso “personalize seu Pixel” na tela de configurações, e ele não pode ser removido. É uma completa bagunça.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
12 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Juliano Machado Olivetti (@Juliano_Machado_Oliv)

Muitos vão culpar o Google e o projeto Androi One, mas me parece nesse caso mais falta de um trabalho mais afinado da equipe de desenvolvimento da Xiaomi. Muito pensam que as atualizações são enviadas diretamente pelo Google, mas não, quem implementa o Android e dá o suporte (sob as diretrizes do projeto) é a própria empresa. Eu acho que para contornar mais esse tipo de problema, poderia além de dar mais atenção e horas na implementação da nova versão, de uma abertura maior a participantes em fase beta.

🤷‍♀️ (@xavier)

O Google precisava punir a Xiaomi por causa de tantas falhas que ela comete no One. Todos dispositivos, desde o A1 sofrem com problemas em atualizações, coisa que o com MIUI não tem.

Hemerson Silva (@Hemerson_Silva)

Ela caga e anda com o Android One.

Geraldo Lopes (@geralldoloppes)

Xiaomi odeia Android puro… o negócio dela é aquela interface “Mi” cópia do IOS.

Edinho Kunzler (@ekunzler)

Já cogitei algum Xiaomi Mi Ax pra substituir meu Zenfone 3, mas pulei do barco…

Rafael Moreira (@Rafael_Moreira)

Utilizo um para trabalho, comprei com intuito de ter a experiência do sistema similar do meu outro aparelho Pixel 2 XL. O celular da Xiaomi é bom, mais peca muito na questão de atualizações. Demorou muito para lançar a versão mais nova do sistema, quando lança é com erros. Só soube que saiu update novo através da matéria. Só que já retiraram dos servidores, então recebi nada por enquanto. Achei ruim esse programa Android One pelo menos com os aparelhos da Xiaomi, não sei como é com outras fabricantes.

Rafael Moreira (@Rafael_Moreira)

Xiaomi é bom desde que não seja aparelhos do programa Android One.

Rafael Moreira (@Rafael_Moreira)

Exato, eles sempre demora para atualizar os seus aparelhos que fazem parte do Android One, e também a Mi Box que roda Android TV. A prioridade deles é o sistema prioritário.

CAV (@cav)

A Motorola e a HMD (Nokia) fazem um trabalho OK, mas muito longe do que o público esperava do programa Android One.
Essas fabricantes estão é sujando o programa, e a Google ou não parece muito preocupada, ou pouco está fazendo para melhorar essa situação.
O programa Android One só não está pior que o programa Android Go, que as fabricantes grandes praticamente já pularam fora (Samsung, Motorola, Xiaomi, Huawei), só com a HMD (Nokia) ainda empenhada.
As fabricantes regionais, claro, adoraram o programa, e ainda ousam lançar aparelhos com o Android 8.1 Oreo Go Edition (caso da Positivo com o recém-lançado Twist 3 Pro), ao invés de trabalhar com o programa Android One (que é mais exigente em requisitos).

Juliano Machado Olivetti (@Juliano_Machado_Oliv)

Então, eu também acho que a Google anda deixando o programa de lado, que parecia ser algo estratégico. Vai ficando a HMD, visto que a Motorola parece devagar estar deixando o sistema de lado também…

Juliano Machado Olivetti (@Juliano_Machado_Oliv)

Pode até ser, mas nesse caso seria mais fácil descontinuar a linha.

Pierre (@pierrediniz)

A Google não tem o menor interesse em padronizar o Android, porque, não importa o aparelho ou a versão do sistema, se tiver Play Store a grana do licenciamento sempre vai pingar na conta. Todos esses programas dela são coisa pra inglês ver.

Só ver o histórico das empreitadas dela nesse tema:

Programa Google Play Edition: Poucos aparelhos com Android Puro vendidos em mercados super restritos. Morreu e não passa bem.

Programa Android Go: Quase todas as fabricantes grandes pularam fora. Só serviu pro Google continuar com aquele falácia anual de “Android roda até em aparelhos com 1GB de RAM, desde que você não encoste nele pra nada”.

Programa Android One: Das marcas mais relevantes no mercado, só Xiaomi e Motorola aderiram e estão levando tudo nas coxas. Respirando por aparelhos e aposto que a Google mata ainda em 2020.

Juliano Machado Olivetti (@Juliano_Machado_Oliv)

Do ponto de vista comercial eu acho que você tem toda razão, o Google acaba satisfeito com a instalação de seus app e sua loja. Mas tem a questão da fragmentação e da falta de segurança, onde boa parte da empresas sequer se preocupa em distribuir as atualizações críticas.

🤷‍♀️ (@xavier)

Na verdade tem também a Nokia/HMD, BQ, Infinix e General Mobile (e possivelmente outras que desconheço).

Pierre (@pierrediniz)

Quis me referir às marcas com maior participação no mercado, mas realmente esqueci a HMD. Arrumei a mancada no meu comentário.

Exibir mais comentários