Início » Aplicativos e Software » WhatsApp testa função que checa informações no Google

WhatsApp testa função que checa informações no Google

Função de checagem de mensagens no Google pode coibir notícias falsas no WhatsApp

Emerson Alecrim Por

O WhatsApp pode ganhar, em breve, uma função que permite ao usuário checar no Google se uma informação que chegou via mensagem instantânea é falsa ou se tem algum fundamento. A novidade apareceu em uma versão de teste do mensageiro para Android.

WhatsApp (imagem: Pixabay)

Faz tempo que o problema das notícias falsas que se espalham rapidamente por WhatsApp existe, mas o assunto tem ganhado atenção especial nos dias atuais por conta do avanço do novo coronavírus (Covid-19) no mundo todo.

Há mensagens que dizem, por exemplo, que altas doses de vitamina C protegem o organismo contra o coronavírus ou que gargarejos podem eliminá-lo. Nada disso é verdadeiro.

Embora o WhatsApp já adote medidas de combate às notícias falsas — limitando o número de encaminhamento de mensagens, por exemplo —, essas ações apenas atenuam o problema. É por isso que todo recurso adicional de prevenção é válido.

Função de pesquisa no WhatsApp (Capturas: WABetaInfo)

Função de pesquisa no WhatsApp (Capturas: WABetaInfo)

Pois bem, o WABetaInfo descobriu que o WhatsApp 2.20.94, versão de teste submetida recentemente ao Google Play Beta Program, traz um botão de pesquisa ao lado de mensagens encaminhadas que, quando acionado, permite ao usuário buscar por aquela informação no Google.

Trata-se de uma maneira de incentivar o usuário a checar a veracidade de um conteúdo que chegou via WhatsApp antes de passá-lo para frente.

Não está claro, porém, quando essa função chegará às versões finais do WhatsApp. Na verdade, não está claro nem se o recurso se tornará oficial. O WABetaInfo lembra que, há cerca de um ano, uma versão de teste do WhatsApp trazia uma função parecida, mas para checagem de imagens. Até hoje ela não foi lançada oficialmente.

Mais sobre: ,

Comentários da Comunidade

5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Daniel R. Pinheiro
Nossa, o mecanismo vai pesquisar no Google.
Primeiro que pessoas que geralmente checam informações, já fazem isso, sem auxílio dessa ferramenta (e realmente checam pra comprovar a veracidade). E depois, algumas pessoas que vão usar isso (se usarem), vão pegar qualquer informação que o Google mostrar e tomar como verdadeira.
O Google não combate fake news sozinho. A pessoa tem que saber usar. Isso me lembra aquele botãozinho de informações do Facebook, pra combater fake news, em que uma vez eu cliquei, só pra saber como funciona, de um post que tinha um link de um vídeo do youtube e o mecanismo me mostrou o que? Informações do YouTube (empresa), ao invés de informações do conteúdo do vídeo. Maravilha…
Douglas Amorim
1° - o objetivo é justamente incentivar quem não tem hábito de chegar informações passar a fazer. A maioria dos leigos acha que qualquer coisa encaminhada é um comunicado oficial pelo simples fato de estar num app oficial que é o WhatsApp e não sabe que é possível pesquisar no Google fontes confiáveis acredite, fora da sua bolha tem MUITA gente assim. Se vc pegar países como a Índia, metade da população sequer tem smartphone, usa aparelho dumbphone, e recentemente houveram vários casos de linchamento causado por fake news espalhadas pelo WhatsApp. Então a ferramenta é muito útil. Não para vc, mas para uma parcela enorme que não sabe nem votar.
2 - não sabemos como vai funcionar a integração WhatsApp - Google. Se eles associarem a pesquisa dos termos a fontes como boatos.org que vivem de desmentir fake news, será bem efetivo no combate. O que não podem é jogar a mensagem solta no Google e deixar o primeiro resultado aparecer como esclarecimento sobre aquele assunto. Mas o Google tem avançado bastante em não mostrar sites sem credibilidade no topo das pesquisas, a maioria tem sido bem confiável.
Daniel R. Pinheiro
Como eu disse, fazer uma simples busca no Google não combate fake news. O Google não é um site de fact checking e, dependendo da pessoa, ela pode se enrolar ainda mais.
Para as pessoas aprenderem a verificar informações, eu ponho muito mais fé no incentivo individual e coletivo interpessoal, que num recurso completamente mecanizado.
Por exemplo, se alguém postar alguma informação num grupo, é muito mais eficiente você ou os demais integrantes, que são mais rígidos com isso, alertarem sobre a falsidade da informação que algum leigo tentar procurar por si só…
@teh
Um não substitui o outro. tem que começar de algum lugar também.
Participe da discussão