Início » Negócios » Americanas e Submarino adotam medidas contra preços abusivos

Americanas e Submarino adotam medidas contra preços abusivos

Em meio à pandemia de coronavírus, a B2W promete agir contra preços fora do normal no marketplace

Victor Hugo Silva Por

A B2W, responsável por Americanas, Submarino e Shoptime, também se manifestou sobre as medidas que tomará em meio à pandemia de coronavírus. O grupo afirmou que está atuando para coibir preços abusivos no marketplace.

B2W (Americanas, Submarino e Shoptime)

A Americanas afirma que trabalha para reforçar estoques e garantir que os produtos tenham preços justos para os consumidores. De acordo com a empresa, o objetivo é permitir que todos tenham acesso aos itens essenciais.

"Estamos adotando medidas severas diante de eventuais preços abusivos vindo de nossos vendedores do marketplace", indica a empresa. "Por isso, caso você observe essa prática, por favor, utilize o link de denúncia na página do produto do site ou app da Americanas".

Esta é a mesma orientação da Submarino, que registrou muitos clientes pesquisando por produtos de higiene pessoal em seu site e aplicativo. Em comunicado, a empresa lembra que a esses itens costumam ser oferecidos por lojas parcerias no marketplace.

"Caso você encontre alguma oferta inadequada, contamos com a sua ajuda para utilizar o nosso botão de denúncia na página do produto – é só clicar 'Denunciar anúncio' logo após a ficha técnica", recomenda a loja aos seus consumidores.

A Shoptime afirma que também está trabalhando para "garantir a oferta de produtos com preços justos e condições de pagamento igualmente justas". A loja orienta seus clientes a denunciarem em seu site e aplicativo as ofertas que têm preços fora do normal.

A Sou Barato, outra empresa da B2W, informará seus clientes na sexta-feira (2o) sobre as medidas que estão sendo tomadas. A empresa, no entanto, indica que "seguirá a mesma linha dos comunicados da Americanas, Submarino e Shoptime".

A B2W criou um comitê para acompanhar a evolução do coronavírus e adotar medidas de contenção. A Americanas destacou o reforço na limpeza de lojas, escritórios e centros de distribuição. Já a Submarino indicou a mudança na jornada de trabalho para manter clientes, parceiros e colaboradores seguros.

O que outras empresas estão fazendo

Além da B2W, outras empresas estão adotando medidas para impedir a prática de preços abusivos em meio à pandemia. O Mercado Livre pediu para vendedores que usam sua plataforma terem cautela ao atualizarem preços de produtos como álcool em gel e máscaras.

A Amazon, por sua vez, anunciou que removeu diversas ofertas de produtos essenciais à prevenção do coronavírus que contavam com preços abusivos. "Não há espaço para superfaturamento de preços na Amazon", afirmou a empresa à Reuters, na ocasião.

Comentários da Comunidade

8 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Emanuel Schott

Coisa burra… ficar controlando preço é o mesmo que controlar a temperatura que o termômetro mostra pra acabar com a febre. Preço é um indicador de algo que está acontecendo, assim como temperatura. Temperatura corporal é sinal de febre, preço alto é sinal de muita procura e pouca oferta.

Exemplo prático de como isso é prejudicial:

Farmácias de manipulação serão permitidas a produzir álcool gel. Com certeza ela não tem a mesma eficiência na produção do item que uma industria, assim o custo é bem maior. Impedir que os preços subam vai impedir que elas possam disponibilizar o material. A indústria não vai ter capacidade produtiva pra manter os estoques e não será viável que farmácias produzam. Sem contar que manter preços como estão vai gerar uso indiscriminado. Pessoas não vão economizar e não vão ir atrás de produtos substitutos. Fatalmente quem realmente precisar vai pagar muito mais caro no mercado paralelo de pessoas que, se aproveitando do preço baixo, vão comprar acima do necessário. Isso tudo vai fazer com que gente fique sem produto, pagando pouco ou não.

Isso aconteceu muito na época da greve dos caminhoneiros. Procon chegava a fechar postos que vendiam gasolina a R$6,00. Haviam cidadãos que, aproveitando o preço normal, compravam galões e galões, muitas vezes nem com intuito de vender, apenas armazenar para o caso da greve durasse muito tempo. Isso fez com que o combustível acabasse muito rapidamente. Quem não pode ir comprar na hora, tava implorando por um litro de gasolina no Facebook, pagando R$20,00 no litro as vezes. Se o Procon tivesse deixado o preço subir no posto, o primeiro cidadão não iria comprar indiscriminadamente e o segundo iria pagar muito menos pelo litro da gasolina.

E não pense que eu sou inocente e não sei que muitos sobem o preço pra ganhar mais não. Eu sei que a maioria faz pra isso mesmo. Porém essa atitude, mesmo que inconscientemente, contribui para que não falte produto no mercado.

Fábio Laurindo

Eu concordo em termos o negócio é gravar o nome do fornecedor e depois boicotar no fim da crise e tem mais, se for falar de preços abusivos né Apple, Samsung e cia kkkk.

Anayran Pinheiro de Azevedo

Essas marketplaces estão fazendo isso mais pelo nome do que necessariamente pela ética (apesar de ter uma ética até certa parte). Porque uma coisa é um produto começar a faltar, outra coisa é causarem uma falta e inflacionarem o preço propositalmente. Exatamente isso que essas marketplaces estão combatendo, a inflação proposital, porque tem muito babaca achando que a “mão livre do mercado” vai fazer o cara lucrar em cima da falta de solidariedade.

Uma coisa muito, mas muito ruim (em especial nos ancaps) é a falta de solidariedade, não é momento de galera ser egoísta pensando no “ultra stonks”. Tem gente morrendo com a falta do devido cuidado, não dá pra brincar ou se enriquecer na miséria de muitos outros…

José Vieira

Vão fechar as lojas? rs…

@ksio89

E lá vamos nós de novo com essa história de controlar preços, desabastecimento durante o governo Sarney nos anos 80 mandou lembranças.

Emanuel Schott

Solidariedade? Você não seria solidário nessa situação.

Pense o seguinte: você possui uma pequena farmácia de manipulação que perdeu seus clientes devido a crise. Vai sair fazendo álcool gel sem retorno (as vezes no prejuízo) só por solidariedade? Seria bem hipocrisia da sua parte dizer que sim.

Mas você certamente faria se pudesse vender por 2 ou 3 vezes o valor normal, já que isso salvaria o seu negócio.

Emanuel Schott

Aproveita e diz pra companhias aéreas te boicotarem, já que você pode se aproveitar da situação e comprar passagem abaixo do preço de custo devido a queda da demanda.

Anayran Pinheiro de Azevedo

Estamos em uma era que o retorno social agrega valor ao negócio. No momento pode ser uma forma de investimento que pode retornar em forte clientela.

E vamos lá, não estamos falando de pequenos produtores de álcool em gel, sim de gente que comprou estoques e estoques e quer faturar em cima da necessidade dos outros porque sim…

Emanuel Schott

Mas quem garante que o álcool que subiram o preço é estoque atual? Outra, que sinal você vai dar pro “seu José farmacêutico” que ele pode produzir mais álcool, mesmo que o custo dele seja elevado se ele não vai poder vender o produto por um preço maior?

Emanuel Schott

Sabe o que é engraçado? Não deixam de comprar produtos ou serviços que caem de valor devido a queda na demanda. Mas o contrário não pode né? Oferta vs demanda só quando me beneficia!

Fábio Laurindo

Amigo que você está falando? No Brasil temos um monopólio neste ramo que você citou, abaixou o preço das passagens com a inclusão de você pagar pela bagagem? Eu mesmo ontem fui totalmente contra ajudar este nicho, Metacapitalista não se deve ajudar.
Eles faturam bilhões investem fora e você defende está corja aff.

Emanuel Schott

Que?? Passagens no mundo inteiro despencaram devido a baixa demanda. Não tem nada a ver com Brasil. Não seja um explorador, não se aproveite disso, faça questão de pagar o valor “correto”.

Fábio Laurindo

Eu não faço questão nenhuma de defender quem muito tem, estes caras choram e o governo ajuda abre as pernas, enquanto o pequeno e médio estão de portas fechadas, com contas para pagar e depois quem sobrevive.
Quem muito chora, tem muito, aprendi isto com a vida.
Quem sabe se um dia você passar por necessidade você muda, enquanto você na bolha nunca terá uma visão maior da realidade e quem são realmente os culpados.

Anayran Pinheiro de Azevedo

Quando os próprios produtores de álcool informam que não há nenhum perigo de falta de álcool, que os preços estão subindo por falta de distribuição, não tem porque aumentar. É galera tentando se aproveitar do terror e pânico da população.

Não sei qual sua orientação política/econômica, mas tem horas que a falta de bom senso impede de pensar, nem sempre livre mercado ou regulação total do mercado adianta, aí galera que tem como agir pra evitar a sacanagem porque sabe de uma coisa chamada marketing social vai agir, com ou sem interferência do governo.

Anayran Pinheiro de Azevedo

Defender oligarquia é osso…

Participe da discussão