Início » Antivírus e Segurança » Zoom, app de videochamadas, tem vários problemas de segurança

Zoom, app de videochamadas, tem vários problemas de segurança

São tantos problemas de segurança e privacidade que o Zoom vem sendo investigado nos EUA

Emerson Alecrim Por

Com o avanço do coronavírus (Covid-19) pelo mundo, o uso de ferramentas para videochamadas está em alta. Uma das ferramentas mais populares para esse fim é o Zoom. Mas é preciso ter cuidado: há fortes indícios de que o serviço falha em garantir a segurança e a privacidade dos usuários.

Zoom

A plataforma é muito usada para reuniões corporativas e treinamentos online, por exemplo, mas, no atual cenário, vem sendo cada vez mais acessada para videochamadas pessoais, transmissões de eventos religiosos, aulas particulares e assim por diante.

Entre os fatores para o ganho de popularidade do Zoom estão a boa quantidade de recursos gratuitos, a facilidade de uso da ferramenta e a sua integração com múltiplas plataformas.

O lado ruim dessa história toda é que vários problemas de segurança e privacidade foram identificados nas últimas semanas. Um dos mais sérios, revelado no ano passado, aponta que o Zoom instalava no macOS um servidor que, por falha, não era removido quando a ferramenta era desinstalada.

Jonathan Leitschuh, responsável pela descoberta do problema, aponta que sites maliciosos poderiam acessar esse servidor para ativar a webcam do computador sem autorização do usuário. Leitschuh recusou o recebimento de uma recompensa pela descoberta do bug, pois isso implicaria na assinatura de um contrato que o impediria de dar detalhes sobre a falha.

Recentemente, a Motherboard revelou que o aplicativo do Zoom para iOS compartilhava dados de uso com o Facebook, mesmo de usuários que não tinham conta na rede social. Uma atualização liberada na última sexta-feira interrompeu esse fluxo de informações.

Mas os problemas não terminam aí. Entre as outras brechas está a descoberta, pelo Intercept, de que o Zoom não tem criptografia ponta a ponta de verdade, vazou milhares de e-mails de usuários e tinha uma política de privacidade que permitia coleta de dados das transmissões para fins de publicidade — depois de numerosas críticas, essa condição foi revista pela companhia.

Como se não bastasse, há relatos de transmissões que foram invadidas e passaram a exibir pornografia e outros vídeos indevidos. O problema, que ficou conhecido como “zoombombing”, fez o FBI emitir alertas para a importância de as videochamadas terem configurações confiáveis de segurança.

Diante de tantos problemas, o escritório da procuradora-geral de Nova York, Letitia James, passou a investigar as práticas de segurança e privacidade da Zoom Video Communications, empresa responsável pelo serviço.

Em nota, a companhia informou que “leva a privacidade, a segurança e a confiança de seus usuários extremamente a sério” e que irá fornecer à procuradoria-geral de Nova York todas as informações solicitadas.

Enquanto isso, limitar ou mesmo evitar o uso do Zoom parece ser a atitude mais sensata.

Com informações: TechCrunch, Ars Technica.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
12 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Vinicius Costa (@vinnycosta89)

O ruim é q ele é o único q consegui juntar um grupo de 6 pessoas pra fazer uma vídeo conferência sem demora ou dificuldade. WhatsApp limita a 4 pessoas. Meet é só pra contas corporativas do Google. Não cheguei a tentar o Skype, q pra usar ele tem q criar conta e talz, mas não sei permite tantas pessoas ao mesmo tempo.
Infelizmente o ZOOM é a melhor opção q conheço. Alguém aí tem conheço outro q funcione e seja prático realizar vídeo chamada igual o ZOOM?

João Víctor Zárate (@Zzarate)

Parece que o Skype tem uma forma de usar com quem não tem conta tb: https://support.skype.com/pt-br/faq/FA34926/o-que-e-o-recurso-reunir-agora-e-como-faco-para-usa-lo-no-skype
E suporta até 49 pessoas + vc (50 no total).

Victor (@vsoco)

Sim. Foi a única forma de juntar uma turma para dar aula nesses dias… Mas assim fica preocupante.

J Janz (@jjanz)
Tecnoblog – 27 Mar 20 Google Duo agora permite até 12 pessoas na mesma videoconferência | Internet...

Limite de integrantes em chamadas de vídeo em grupo no Google Duo sobe de oito para doze pessoas

Vinicius Costa (@vinnycosta89)

Eu tinha tentado o Duo, mas as pessoas q vão participar precisam ter conta nele. Ele não cria um link pra vc mandar pras pessoas entrarem

@wellerstz

pior que minha faculdade e curso de inglês adotaram o zoom, infelizmente não tenho muito o que fazer, o que fiz foi criar um alias para acessar o zoom e ver no que dá

Mateus B. Cassiano (@mbc07)

Você chegou a tentar usar o Meet? Vi algumas noticias de que ele estava liberado para todos (até contas não corporativas) durante a quarentena do Covid-19…

Vinicius Costa (@vinnycosta89)

Já. Conta pessoal ele só deixa vc participar de reunião organizada por uma conta corporativa. Ñ deixa criar.