Início » Aplicativos e Software » França e Alemanha preparam app para rastrear casos de coronavírus

França e Alemanha preparam app para rastrear casos de coronavírus

Países europeus pretendem rastrear casos de COVID-19 (coronavírus) por meio de aplicativos para celulares e wearables

Bruno Gall De Blasi Por

A França e a Alemanha pretendem utilizar aplicativos próprios para rastrear casos de COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus. O objetivo, segundo as autoridades, é de que os apps ajudem a coletar dados sobre a pandemia, a fim de auxiliar na prevenção e combate ao vírus.

Coronavírus

A Alemanha já deu a largada no uso do celular para rastrear a doença. O Coronavirus-Datenspende, app anunciado na terça-feira (7) em parceria com a startup Tryve, é capaz de coletar dados de smartwatches e smartbands para verificar se os usuários apresentam sintomas da COVID-19.

O app é gratuito, de uso voluntário e já está disponível para download na Google Play Store e App Store. De acordo com a Reuters, as informações sobre a doença serão apresentadas em um mapa interativo, disponível publicamente na internet.

Já o aplicativo da França está em fase de desenvolvimento. A iniciativa foi anunciada pelos ministros Olivier Verán e Cédric O, responsáveis pela pastas de saúde e setor digital, respectivamente. Assim como o Coronavirus-Datenspende, o uso não será obrigatório.

Ainda não há data de lançamento para o app francês Stop Covid, que irá avisar ao usuário se ele cruzou com uma pessoa que tenha contraído a doença. À Le Monde, o ministro Cédric O também alerta para a possibilidade de o aplicativo sequer chegar à população, devido às dificuldades técnicas:

“Não temos certeza de que podemos superar todas as dificuldades técnicas porque o Bluetooth não foi projetado para medir a distância entre indivíduos. Decidiremos mais tarde se seria útil implementar esse aplicativo ou não”.

O governo francês também se comprometeu em seguir o protocolo Pan-European Privacy-Preserving Proximity Tracing (PEPP-PT). O projeto anunciado no começo de abril busca meios de utilizar a tecnologia no combate ao vírus sem violar a privacidade.

Ao todo, mais de 130 empresas e institutos de pesquisa de oito países europeus são signatários do projeto liderado pelo instituto alemão Fraunhofer Heinrich Hertz.

Mulheres com máscara na China (Foto: Felix Wong/SCMPO)

Mulheres com máscara na China (Foto: Felix Wong/SCMPO)

Privacidade em tempos de coronavírus (COVID-19)

A crítica em relação ao uso de ferramentas para rastrear a localização de pessoas devido ao coronavírus vem ganhando força nas últimas semanas. Além da coleta de dados, paira o medo de que governos mantenham as práticas de vigilância mesmo após a pandemia.

É neste contexto que pesquisadores do MIT desenvolveram o Private Kit, ainda em fase de testes. O aplicativo é capaz de identificar se o usuário cruzou com uma pessoa que contraiu o vírus e emitir uma notificação sobre. E tudo isso de forma anônima.

Agora, o aplicativo oferecerá ainda mais privacidade os usuários. Segundo os desenvolvedores, o Private Kit passará a utilizar conexões Bluetooth para rastrear a proximidade de outras pessoas, e alertar se o usuário esteve perto de alguém com a doença.

O protótipo do aplicativo já está disponível para download em celulares Android e iPhone.

Com informações: TechCrunch (1 e 2), Reuters, VentureBeat, PEPP-PT e PrivateKit

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
2 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Fábio Laurindo (@Fabio_Laurindo)

Depois que o número 2 da OMS sugeriu que a culpa agora é das famílias nos lares e mudou a narrativa, o que esperar, qual critério virão para entrar em lares?
Diversos locais tem pessoas com DPOC, asma, bronquite e simples resfriado vão tirar todos e levar para os supostos centro de tratamento?