Início » Negócios » Demanda por PCs cresce, mas vendas caem devido ao coronavírus

Demanda por PCs cresce, mas vendas caem devido ao coronavírus

Segnudo levantamento da Canalys, vendas de PCs caíram 8% no primeiro trimestre de 2020

Victor Hugo Silva Por

A pandemia do novo coronavírus (COVID-19) fez crescer o interesse por PCs devido à necessidade que surgiu com trabalhadores e estudantes atuando de suas casas. As fabricantes, porém, não conseguiram atender à demanda e as vendas do setor caíram 8% no primeiro trimestre de 2020 em relação ao mesmo período do ano anterior.

Lenovo, HP e Dell lideraram vendas de PCs no primeiro trimestre de 2020

É o que indica o levantamento da Canalys, que inclui desktops, notebooks e workstations. Entre janeiro e março, o setor vendeu cerca de 53,7 milhões de dispositivos. O resultado representa a maior queda desde o primeiro trimestre de 2016, quando as vendas caíram 12% na comparação com os primeiros três meses de 2015.

A consultoria indica que, das cinco empresas que mais venderam PCs, quatro tiveram queda. As vendas da Lenovo, que lidera o setor, caíram 4,4%. A HP teve retração de 13,8% e Acer, de 12,6%. A situação foi ainda pior para a Apple, que registrou queda de 21%. A Dell, por outro lado, teve crescimento de 1,1%.

Este é o ranking das empresas que mais venderam PCs no primeiro trimestre de 2020:

  1. Lenovo (23,9%; 12,8 milhões de PCs)
  2. HP (21,8%; 11,7 milhões de PCs)
  3. Dell (19,6%; 10,5 milhões de PCs)
  4. Apple (6,0%; 3,2 milhões de PCs)
  5. Acer (5,8%; 3,1 milhões de PCs)
  6. Outras (22,9%; 12,3 milhões de PCs)

Ainda de acordo com a consultoria, a alta da demanda e a queda nas vendas aconteceram por conta do mesmo motivo: o novo coronavírus. As medidas de isolamento social fizeram as pessoas permanecerem em casa e, com isso, procurarem por PCs para o trabalho e os estudos.

As fabricantes, que iniciaram o ano com um estoque restrito de processadores, foram prejudicadas pelo fechamento temporário de fábricas na China em meio à pandemia. E, mesmo quando os fornecedores retomaram as atividades, o ritmo lento de produção impediu que a demanda fosse atendida.

“A desaceleração da oferta encontrou uma demanda acelerada, pois empresas foram forçadas a equipar uma força de trabalho remota, colocando pedidos urgentes para dezenas de milhares de PCs”, afirma o diretor de pesquisa da Canalys, Rushabh Doshi. “As crianças também precisaram de seus próprios computadores, pois as escolas fecharam e as aulas ficaram online”.

Venda de PCs no primeiro trimestre de 2020

Demanda por PCs deve cair no segundo trimestre

A consultoria acredita que as fabricantes de PCs e de equipamentos como webcams, fones de ouvido e impressoras registrarão recordes de lucro nas próximas semanas, como parte dessa adaptação para o trabalho à distância. O cenário, no entanto, não deverá se manter por muito tempo.

“Poucas empresas gastarão em tecnologia para seus escritórios, enquanto muitas casas terão sido recentemente equipadas”, afirma o analista da Canalys, Ishan Dutt. “Esperamos ver uma queda significativa na demanda no segundo trimestre de 2020”.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação