Início » Aplicativos e Software » IBM busca programadores de COBOL após aumento de demanda

IBM busca programadores de COBOL após aumento de demanda

IBM explica que pandemia está levando a "sobrecargas" em sistemas baseados em COBOL

Emerson Alecrim Por

O COBOL é uma linguagem de programação tão antiga — surgiu em 1959 — que, hoje, quase não é lembrada. Mas quem decidiu aprendê-la está vantagem nas circunstâncias atuais: a pandemia de coronavírus (Covid-19) fez a procura por programadores de COBOL aumentar. A IBM é uma das companhias que estão buscando esses profissionais.

Qual a relação do coronavírus com a linguagem? Basicamente, a pandemia tem levado a um aumento no acesso a sistemas antigos que foram desenvolvidos em COBOL e que são mantidos assim até hoje em várias partes do mundo.

Um exemplo vem do governo de Nova Jersey, nos Estados Unidos, que começou a buscar programadores em COBOL dispostos a ajudar na resolução de problemas no software que administra o seguro-desemprego da região — o estado ainda tem muitos sistemas rodando em mainframes.

IBM

Essa é uma área que a IBM conhece bem. O problema é que a demanda por procedimentos relacionados a COBOL aumentou tanto que a companhia teve que iniciar uma campanha para atrair profissionais com conhecimentos na linguagem.

Para tanto, um fórum no Open Mainframe Project Community foi criado para conectar desenvolvedores de COBOL a empresas que precisam de seus serviços. Um segundo fórum foi aberto ali para que programadores experientes possam dar orientações específicas aos novatos durante esta época de crise.

Não termina aí: a IBM também anunciou um curso aberto e gratuito de COBOL voltado a desenvolvedores iniciantes ou que têm experiência em outras linguagens. O curso será disponibilizado em plataformas de ensino online como o Coursera no próximo mês.

Com informações: Ars Technica.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
15 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Guilherme Borges (@Loumier)

Eu ainda acho que esse aumento na demanda é porque programadores Cobol estão em grupo de risco. kkkkkkkk Em vias de extinção, querem repor aqueles que forem ceifados pelo coronavírus.

Sérgio (@trovalds)

O problema não é nem repor o mercado e sim quem vai sobreviver à empreitada de aprender a linguagem.

XXX (@SiouxDF)

O problema não é aprender Cobol e sim o ambiente de mainframe, que é chato pra caramba. A linguagem é simples e muito fácil de programar (trabalhei com ela nas décadas de 8 e 90), porém a integração com mainframe e as ferramentas limitadas de debug que você encontra nas empresas é que dificultam tudo.