Início » Negócios » Uber alerta sobre impacto de até US$ 80 milhões na receita

Uber alerta sobre impacto de até US$ 80 milhões na receita

O impacto deve ser causado pela assistência financeira a motoristas e entregadores afetados pela COVID-19

Victor Hugo Silva Por

A Uber revisou as projeções de 2020 para levar em conta a pandemia do novo coronavíruss (COVID-19). Em conferência com acionistas, a empresa divulgou novos números do primeiro e do segundo trimestre, e adiantou que o faturamento poderá ter um impacto de até US$ 80 milhões.

Uber

Para o balanço do primeiro trimestre, que deve ser divulgado em 7 de maio, a Uber indicou que a queda no faturamento ficará entre US$ 17 milhões e US$ 22 milhões. O segundo trimestre, mais impactado pela pandemia, deverá ter queda entre US$ 60 milhões e US$ 80 milhões.

“Dada a natureza evolutiva da COVID-19 e a incerteza que causou a todos os setores em todas as partes do mundo, é impossível prever com precisão o impacto cumulativo da pandemia em nossos futuros resultados financeiros”, explicou a empresa.

A queda será causada pelas despesas com a assistência financeira aos motoristas e entregadores que precisarem se afastar por conta do novo coronavírus. O auxílio vale para quem está com a COVID-19, quem tem suspeita de ter contraído a doença e quem faz parte do grupo de risco.

Por conta das medidas de isolamento social ao redor do mundo, o balanço do primeiro trimestre ainda deverá indicar uma perda de US$ 1,9 bilhão a US$ 2,2 bilhões nos investimentos em outras empresas. Hoje, a Uber tem participações em startups como a Didi Chuxing (dona da 99), a Zomato (compradora do Uber Eats na Índia) e o serviço de transporte e delivery Grab.

Vale lembrar que a Uber esperava se tornar lucrativa em 2020, depois de registrar prejuízo de U$$ 1,8 bilhão em 2018 e de US$ 8,5 bilhões em 2019. Como a divisão de transporte de passageiros já estava no azul, a ideia era se concentrar na plataforma de entregas.

O cenário atual é um pouco diferente: mais pessoas em casa pode levar a mais pedidos de entrega, e menos pessoas se locomovendo causa menos viagens. Em Seattle, nos Estados Unidos, a queda no número de viagens chegou a 70%. A ver como a empresa vai lidar com essa situação nos próximos meses.

Com informações: The Next Web.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
1 usuário participando