Início » Telecomunicações » TIM Live força migração de cobre para fibra em bairros do Rio de Janeiro

TIM Live força migração de cobre para fibra em bairros do Rio de Janeiro

Aviso publicado em jornal estabelece prazo de 60 dias para migração de cobre para fibra na banda larga TIM Live

Lucas Braga Por

A TIM publicou um comunicado no jornal O Globo desta terça-feira (5) informando sobre a mudança de tecnologia da banda larga TIM Live em bairros do Rio de Janeiro e Duque de Caxias. A operadora alega dificuldades de manter o serviço através da tecnologia VDSL2+ via par metálico de cobre, alegando furtos de cabos; e avisa que clientes deverão migrar para a fibra óptica até julho.

Loja da TIM Brasil

O comunicado informa que a nova tecnologia de fibra óptica possui “ofertas ainda melhores”, e que o serviço com transmissão via rede de cobre será descontinuado em 60 dias. Os clientes devem ligar para 103 41 para agendar a nova instalação. Veja a lista completa dos bairros afetados pela mudança:

  • Rio de Janeiro: Bangu, Irajá, Jacarepaguá, Madureira, Méier, Rio Comprido, São Cristóvão, Tijuca e Vila Isabel
  • Duque de Caxias: Bar dos Cavalheiros, Centro, Vila São Luiz e Periquito

TIM Live sofre com furto de cabos de cobre

O leitor Renan Rufino, que enviou foto do comunicado para o Tecnoblog, entrou em contato com o suporte da TIM no Facebook. A operadora respondeu que a substituição para a fibra óptica se deve por conta do alto índice de furtos de cabos. Os clientes das regiões já foram contatados e informados sobre a migração do plano, e a rede de cobre permanecerá ativa até 4 de julho de 2020.

A notícia pegou alguns clientes de surpresa, principalmente por conta do prazo máximo. Ainda que a mudança traga benefícios ao consumidor, nem todo mundo quer receber um técnico instalador em casa durante a pandemia de coronavírus (COVID-19), visto que o isolamento social é recomendado pelas autoridades de saúde, governo do Estado e prefeituras.

Além disso, podem ocorrer casos de inviabilidade técnica para instalação. Existem casas e prédios com tubulação de serviços de telefonia já obstruídos e que não foram projetados para receber uma nova rede de fibra óptica. Com tecnologia xDSL, a TIM conseguia aproveitar a rede telefônica já existente nas construções para assim fornecer seus serviços sem muita mão-de-obra.

TIM manterá serviço por cobre durante isolamento social

O Tecnoblog entrou em contato com a TIM para esclarecer se ela realmente irá desligar a rede de cobre nos próximos 60 dias, além de questionar qual a atitude da empresa nos casos de instalação em locais com tubulação obstruída. Além disso, também perguntamos se a operadora irá manter os mesmos planos e condições atuais para clientes que não desejarem aderir a um novo plano.

Em nota, TIM respondeu que irá manter o serviço durante todo o período de isolamento social para todos os clientes com acesso via cobre que não optarem por fazer a mudança, ao contrário do que diz o comunicado aos clientes.

No entanto, não houve resposta sobre como seria o processo para clientes que não possuem viabilidade técnica para receber fibra óptica nas edificações. A TIM não respondeu se irá manter os planos atuais dos clientes, como velocidade, condições de contrato e período de fidelização, mas informa que a mudança de tecnologia não trará aumento de custo e permitirá uma serviço de qualidade superior.

A mudança de planos é algo que pode preocupar os heavy-users: recentemente, o contrato da operadora foi alterado e rebaixou o limite de uso excessivo de 17 terabytes para 2 terabytes. Conforme revelado anteriormente pelo Tecnoblog, a operadora chegou a cancelar o serviço de clientes que consumiram acima de 2 terabytes, mesmo com contrato antigo.

Fibra ainda é minoria dos acessos da TIM Live

É natural que a sobreposição da rede de cobre para fibra ocorra ao longo do tempo, tal como nas operadoras Vivo e Oi. No entanto, a TIM ainda é pequena na tecnologia: dados de março da Anatel revelam que apenas 19,9% de seus acessos de banda larga fixa no município do Rio de Janeiro utilizam fibra, enquanto 80% são no par metálico. Em Duque de Caxias, a fibra óptica só esteve presente em 9,5% dos acessos, contra 90,5% através de cobre.

Já no Brasil como um todo, 35,2% dos acessos da TIM utilizam fibra, contra 64,7% que continuam no par metálico. O número de fibra é crescente porque a operadora adotou a tecnologia FTTH (fibra até a casa do cliente) como padrão para os novos mercados em que estreou.

Comunicado publicado no jornal O Globo de 5 de maio de 2020:

Íntegra do posicionamento da operadora

“Sempre atenta a melhor experiência também dos clientes TIM Live, a TIM comunicou hoje (5/4) aos usuários que são atendidos com a tecnologia FTTC (conexão via cobre) de algumas regiões das cidades do Rio de Janeiro e de Duque de Caixas uma iniciativa que permite oferta de um serviço de qualidade superior, sem aumento de custo, ao que os clientes já possuíam, e garantia da continuidade do atendimento com internet ultra banda larga para os usuários destas localidades.

Motivada também por furtos de equipamentos e cabos de cobre nestas áreas, fato esse que pode afetar a qualidade ou até mesmo causar inoperância na prestação do serviço prestado, a TIM optou por descontinuar o serviço de banda larga apenas com tecnologia FTTC nos locais para atender ainda melhor seus clientes com a excelência comprovada no mercado dos serviços TIM Live. A migração gradual dos usuários acontecerá nos próximos 60 dias e os clientes serão informados da mudança por meio de comunicação por Jornal, SMS, E-mail MKT, Carta e até a visita de técnicos presencialmente nos locais. A TIM ressalta ainda que todos os usuários contemplados pela migração poderão usufruir ainda de uma oferta especial, que contempla um plano de maior velocidade com preços iguais ou inferiores ao praticado atualmente. Por fim, os clientes que não optarem por fazer a mudança continuarão a ser atendidos pela operadora com a tecnologia FTTC durante todo período de isolamento social, mesmo que esse prazo ultrapasse os sessenta dias estipulados pela operadora.”

Comentários da Comunidade

13 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Giovani

Sei que essa não é uma opinião popular, mas nesse caso acredito que a operadora, se estiver falando a verdade sobre o motivo da troca, esteja coberta de razão, ela não deve ser obrigada a manter um serviço se o custo de manutenção não compensa. Levou até onde deu, agora não da mais, quem tem a felicidade de estar em um local que é possível colocar a fibra, só tem a ganhar, quem não está, infelizmente, (ou felizmente, tem mau que vem para o bem, e se livrar da TIM deve encaixar aqui) terá de migrar para outra operadora.

Leandro Alves

Só no Brasil mesmo para a bandidagem forçar uma empresa a oferecer melhor meio de conexão de internet para os seus clientes hehe.

imhotep
Banda Larga da TIM – TIM Live, TIM Live Ultrafibra, TIM Live Internet – [Tópico Oficial] telecom fixo Olha que doidera, mandaram num desses grupos do bairro aqui de casa. Agora to tentando confirmar com eles se isso procede. Pessoal da redação talvez consiga verificar mais fácil ? Parece que estão forçando o uso da fibra [image]
Fernando Val

O problema, caro @Giovani , é que nem sempre há opção de trocar de operadora.

Em meu bairro, por exemplo, não há muita escolha. Temos Claro (Net) e Tim Live. A Oi ainda vende o antigo Velox de 1Mbps que eu não ouso chamar de link de internet.

O prédio onde moro tem meio século de construído, com nenhuma opção para passagem de cabos de fibra ótica.

Por necessidade sou cliente das duas operadoras (Claro e Tim) pois não posso me dar ao luxo de ficar sem link internet. Hoje o link Tim Live é o de contingência. Numa eventualidade de não haver viabilidade técnica para a minha migração e ter o contrato cancelado unilateralmente, significará ficar refém da Claro.

@ksio89

Isso é verdade, quero ver como vão fazer pra passar a fibra em prédio antigo (o que deve ser bem comum no Rio), sem infraestrutura para receber a tecnologia. Muitas vezes é necessário fazer uma adequação predial, que não é barata e depende de aprovação dos moradores e de síndico, aí quem mora em condomínio sabe a dor de cabeça que é, ainda mais quando tem muito idoso que não sente necessidade de internet rápida.

Diante disso eu considero um milagre a Oi ter instalado fibra no meu apartamento, pois não tem infra nenhuma no meu prédio, que foi construído no início da década de 80. Todos os conduítes estavam obstruídos e tiveram que passar a fibra direto do poste, se eu não morasse no 1º andar acho que nem instalariam aqui, e só irão realizar novas instalações após uma adequação extensa, que duvido os moradores quererem arcar.

TL;DR: morar em prédio antigo é uma m…, dei uma sorte tremenda de achar uma provedora que aceitasse instalar fibra no ninho de rato que é o edifício onde moro.

Julio Andrade

Os bandidos fazendo mais pela conectividade do RJ do que a Anatel.

Renan Rufino

Agora eu to correndo atrás pra ver como vou passar a fibra até o meu AP e ver quando alguém vai entrar em contato. Até agora só o suporte que me confirmou a historia como o Lucas disse mas nada sobre uma programação ou algo assim

Sérgio

Na verdade o prejuízo com roubo vai é ser maior. Quem rouba cabo de cobre é viciado em entorpecente. Eles vão ver lá a fibra novinha, não vão saber distinguir de um cabo de cobre comum e a merda tá feita. O meliante só vai descobrir que é fibra ótica quando chegar no sucateiro. A TIM ainda vai ter muito prejuízo antes de ter sossego de não ter cabeamento roubado.

Do resto já foi falado e repetido: quem mora em condomínio antigo faz como? A TIM vai bancar o desatolamento da tubulação e trazer a fibra até o apartamento?

Aliás por aqui mesmo a VIVO chegou com fibra ótica na porta do meu prédio. E a Oi tá em processo pra chegar. Daí esbarra no prédio que tem uns 40 anos de idade. Até que o projeto foi bem feito e eles separam o par de telefonia do coaxial. MAS quando eu mudei pra cá fui olhar as caixas de passagem do andar… é uma coisa TENEBROSA. Naquela de instalar, instalar e largar instalação sem remover, entupiram a caixa do coaxial e na falta de espaço os técnicos literalmente foram fazendo gambiarras puxando o cabo coaxial por fora da caixa pra de telefonia. Simplesmente não tem espaço pra absolutamente nada. De curioso, pedi pra um conhecido dar uma olhada no desastre e ele conseguiu averiguar que muito do cabeamento é sobra, tanto coaxial como telefônico. Até tentei colocar em uma reunião de condomínio que se contratasse uma empresa pra fazer um limpa na bagunça mas imediatamente veio o argumento “está funcionando, pra que mexer?”

imhotep

Essa refidelização por mudança de velocidade, sem nenhuma contrapartida, eu acho abusiva.

Participe da discussão