Início » Brasil » Sites do TSE e Dataprev (auxílio emergencial) ficam fora do ar

Sites do TSE e Dataprev (auxílio emergencial) ficam fora do ar

Hoje é último dia para regularizar título de eleitor; portal da Dataprev permite consultar situação do auxílio emergencial de R$ 600

Felipe Ventura Por

Dois serviços estão fora do ar no Brasil nesta quarta-feira (6): o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pois hoje é o último dia de regularização e emissão do título de eleitor; e o portal de consulta da Dataprev sobre a situação do auxílio emergencial de R$ 600 oferecido através da Caixa.

TSE fora do ar

Imagem via @adrianowilkson/Twitter

Tanto o TSE como a Dataprev estão com basicamente o mesmo problema: ambos ficaram sobrecarregados devido à quantidade de acessos simultâneos.

“Estamos enfrentando certa instabilidade devido ao elevado nº de acessos simultâneos”, diz o TSE em sua conta oficial no Twitter. “Se você está enfrentando dificuldades de acesso, orientamos que tente acessar por outro navegador (por exemplo, o Firefox) ou limpe a memória cache, se possível.”

O TSE avisa que será possível regularizar a situação junto à Justiça Eleitoral até as 23h59 de hoje. Sem isso, a pessoa não poderá votar nas eleições municipais de 2020. Não há atendimento presencial nos cartórios eleitorais devido à pandemia do novo coronavírus (COVID-19).

A regularização é feita através do sistema Título Net, acessado pelos portais de Tribunais Regionais Eleitorais (TREs). No entanto, alguns desses sites também ficaram fora do ar, como em Minas Gerais e em Santa Catarina.

O Título Net permite tirar a primeira via do título eleitoral, fazer transferência (mudança de município), alterar dados pessoais, pedir isenção do pagamento de multas eleitorais, entre outros.

Dataprev tem site sobre auxílio emergencial

Dataprev fora do ar

A Dataprev, por sua vez, avisa no site para consulta do auxílio emergencial: “caro usuário, o sistema encontra-se em manutenção. Previsão de retorno às 2h da madrugada desta quinta-feira, dia 7 de maio”.

Nesta semana, a Dataprev lançou junto ao Ministério da Cidadania um portal para acompanhar se o pedido de auxílio emergencial foi aprovado, negado ou inconclusivo; as datas de recebimento dos R$ 600 (se aprovado); e o motivo da recusa (se for negado).

A ideia era evitar sobrecarga nos servidores da Caixa. A Dataprev afirma ter mais de 45 servidores virtuais e físicos “para garantir a estabilidade da plataforma de consulta”, e é capaz de entregar pelo menos 1 mil páginas por segundo. A estatal promete que “a avaliação do portal será diária para acompanhar o crescimento de demanda dos acessos”.

Comentários da Comunidade

5 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

@ksio89

O descaso e avareza do governo não têm limites, já não basta boa parte dos sites serem inseguros, não pode ter uma demanda maior que os servidores não dão conta. Quanto mais impostos o contribuinte paga, piores são os serviços que ele recebe do Estado.

Tiago Celestino

Chega ser triste! Sei que devem ta implementando tudo muito na “gambiarra”, porém os caras ñ estão pensando no escalar o negócio. Dinheiro acho que ñ falta e profissionais também é muito estranho ver que mesmo com “máquinas” fisicas e cloud os serviços ñ estão suportando.

Reinaldo Boson

Parece até castigo o governo estar passando por isso quando há dois meses só se falava em privatizar a Dataprev. Muito foi desmobilizado a preparando para isso e agora estão correndo atrás para reativar, o resultado ta aí. Outros órgãos do governo estão desesperados por sua estrutura não suportar a demanda por digitalização dos serviços e estão migrando para dentro do Serpro (colocation), outra empresa na mira das privatizações e que está atendendo toda a demanda do governo, validando, inclusive, as informações prestadas para concessão do auxílio emergencial.
Detalhe que muitos destes órgãos NÃO ESTÃO PAGANDO pelo serviço prestado e não estão deixando de receber suas demandas…
Obviamente várias empresas privadas também estão fazendo este serviço, muitas dentro das estatais, parceiras.
Como eu disse, foi só tirar a gestão horrível e corrupta que estava que as empresas públicas funcionam e dão muito resultado para o governo, além do lucro.
Empresas estratégicas que só aparecem nestas horas de calamidade, quando a coisa fica feia de verdade.

Participe da discussão