Início » Negócios » iFood dobra taxas de entrega para alguns restaurantes

iFood dobra taxas de entrega para alguns restaurantes

iFood muda taxa de entrega para restaurantes; delivery teve aumento na demanda durante quarentena do coronavírus (COVID-19)

Felipe Ventura Por

O iFood modificou a taxa de entrega para restaurantes que participam da plataforma: em alguns casos, o aumento foi de 100%. Ela afirma que os valores são variáveis e foram reduzidos para outros estabelecimentos. A empresa teve um aumento na demanda junto ao Rappi e Uber Eats durante a quarentena para conter o contágio do coronavírus, causador da COVID-19.

iFood

“Na próxima sexta-feira, dia 15/05, mudaremos a taxa de entrega do seu restaurante”, avisou o iFood em um comunicado aos estabelecimentos. “Não se preocupe, o objetivo é melhorar a qualidade de serviço das nossas entregas e aumentar a capacidade de vendas do seu restaurante na sua região.”

O iFood explica em comunicado ao UOL que “alguns parceiros tiveram diminuição e outros, aumento” dependendo da cidade e raio de entrega. A empresa afirma que as taxas de entrega “acompanharão o dinamismo do mercado” com o objetivo de “manter o nível de serviço e de pedidos para todos os restaurantes”.

Em um exemplo obtido pelo UOL, as taxas de entrega passaram a variar entre R$ 6,99 e R$ 13,99; antes, elas ficavam entre R$ 3,99 e R$ 11,99 dependendo da distância entre o restaurante e o cliente.

Estes são os valores desse caso específico, que podem variar de um restaurante para outro:

Distância máxima Taxa de entrega antiga Taxa de entrega nova Aumento
1 km R$ 3,99 R$ 6,99 75%
2 km R$ 3,99 R$ 7,99 100%
3 km R$ 4,99 R$ 7,99 60%
4 km R$ 5,99 R$ 9,99 67%
5 km R$ 7,99 R$ 11,99 50%
6 km R$ 11,99 R$ 12,99 8%
7 km R$ 11,99 R$ 13,99 17%
mais de 7 km R$ 11,99 R$ 13,99 17%

iFood cobra até 27% dos restaurantes

Planos iFood Básico e Entrega

Existem dois planos do iFood para restaurantes:

  • o plano Básico (sem entregador) custa R$ 100 mensais para vendas acima de R$ 1.800 no mês, com taxa de 12% sobre o valor de cada pedido, mais 3,5% para os pagamentos feitos diretamente pelo app (referente à taxa cobrada pelos cartões);
  • o plano Entrega (com entregador) custa R$ 130 mensais para vendas acima de R$ 1.800 no mês, com taxa de 27% sobre cada pedido.

No plano iFood Básico, o restaurante é responsável por contratar os motoboys e fazer a entrega. No plano Entrega, o iFood cuida de gerenciar os entregadores e fazer o rastreamento do delivery, por isso pode controlar o valor da taxa cobrada dos clientes.

O iFood não confirma se o aumento das taxas será repassado aos entregadores, explicando apenas que seus parceiros são remunerados de acordo com a distância percorrida, cidade e dia da semana.

Segundo a empresa, 61% dos entregadores receberam R$ 19 ou mais por hora trabalhada no mês de abril. Além disso, “os ganhos médios mensais dos entregadores que têm a atividade de entregas como fonte principal de renda aumentaram 36% em abril quando comparado a fevereiro”.

O iFood criou dois fundos de R$ 1 milhão cada para ajudar entregadores nos grupos de risco, e para remunerar parceiros afastados por suspeita ou infecção por coronavírus. Além disso, a empresa preparou um fundo de R$ 50 milhões para auxiliar restaurantes, reduzindo comissões e antecipando pagamentos.

Um levantamento feito pela Rede, empresa de pagamentos do Itaú, mostra que as compras de delivery pagas no cartão cresceram 59% em abril, se comparadas ao período anterior às medidas de isolamento.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
20 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Douglas N. (@dougeureka)

Devidamente deletado.

Whebert Souza (@whebertsouza)

Não sei vocês, mas acho essas taxas de R$ 130/mês + 27% sobre pedido + 3,5% sobre o pagamento pelo app é absurdamente alta para estabelecimento/cliente. Numa compra de R$ 100 + 6,99 da entrega, R$ 33,16‬ é do iFood. Blz, eu sei, há o repasse do Motoboy, mas não encontrei um documento que detalhe o repasse, a unica informação que li é que o repasse é dinâmico e depende de algumas variáveis entre elas a nota do entregador, o que na minha opinião é justo.

Enfim, o ifood pega tanto do estabelecimento, quanto do cliente. Sim, há custos de infra, profissionais de T.I e etc… Trabalho com Cloud (IaaS) e não é tão custoso assim como falado por muitas empresas. Se seguir boas práticas, um escalonamento eficiente, o custo é bem baixo, ou seja, esse nem de longe é o motivo principal da cobrança dessas taxas que em minha opinião é massacrante ao pequeno e médio negócio… target desse tipo de serviço.

@ksio89

Eu acho absurdas as taxas de entrega desses aplicativos, mesmo antes da pandemia. Das raras vezes que faço pedido, geralmente só faço quando o frete é grátis ou tem um cupom com um bom desconto pra compensar. Pago no máximo 6 reais de frete, dinheiro não está fácil não pra ficar disperdiçando com frete abusivo.

Muita falta de noção o Ifood cobrar o mesmo valor ou até maior em relação a um frete de um produto que vem de São Paulo até o Nordeste, pra entregar uma marmita de restaurante que está a menos de 2km da minha casa. Se bobear esses aplicativos lucram mais com frete do que com o pedido em si.

Eu (@Keaton)

Caraca… 27% da encomenda?! Por isso que é tão mais caro pedir pelo iFood… hahaha

Eu (@Keaton)

Detalhe: Frete grátis = frete incluso no pedido. (no preço dos produtos, as vezes fica mais caro que pagar o frete)

Adriano Garcez (@Adriano_Garcez)

Eu prefiro pedir pelo Whats App da loja que pelo iFood, mas só quando os caras são rápidos. Já teve uma vez que se demorou quase uma hora para PEDIR um lanche - foi mais meia hora para chegar. A gente quer ajudar, mas o iFood é muito mais prático.

As lojas perceberam há algum tempo a praticidade do iFood e têm feito seus próprios apps de entrega, mas aí já é pedir demais.