Início » Telecomunicações » Recorde: pesquisadores fazem conexão à internet atingir 44,2 Tb/s

Recorde: pesquisadores fazem conexão à internet atingir 44,2 Tb/s

Taxa recorde de 44,2 terabits por segundo sobre fibra óptica foi alcançado por pesquisadores australianos

Emerson Alecrim Por

Não olhe com desdém para o seu modem agora, mas saiba que, independentemente da velocidade contratada para a sua internet, uma turma na Austrália conseguiu superá-la: em um experimento, pesquisadores das universidades Monash, Swinburne e RMIT fizeram uma conexão atingir a taxa de 44,2 Tb/s (terabits por segundo) na transferência de dados. Um recorde!

Fibra óptica

Tamanha velocidade foi obtida tanto em ambiente de laboratório quanto nos testes que consistiram em transferência de dados entre o campus do RMIT, em Melbourne, e o campus da Universidade Monash, em Clayton, uma distância de mais de 75 km.

Como essa “mágica” aconteceu? Em artigo publicado na Nature Communications, os pesquisadores explicam que o experimento foi baseado em um pequeno dispositivo chamado de “micropente” (em tradução livre) que, sozinho, conseguiu desempenhar o papel de 80 lasers — cada um pode ser usado como um canal de comunicação distinto.

Em muito países, a infraestrutura de telecomunicações é formada por um conjunto complexo e abrangente de redes de fibra óptica. Para que essa infraestrutura possa ser devidamente aproveitada, é necessário o uso de uma grande quantidade de lasers de alto desempenho.

Pois bem, o tal do micropente atua com um “arco-íris” que concentra dezenas de feixes em um chip microfotônico. O que os pesquisadores fizeram, basicamente, foi colocar esse dispositivo no lugar de equipamentos convencionais em uma rede de fibra óptica já existente.

Graças ao micropente, eles conseguiram fazer a transmissão atingir uma taxa que, teoricamente, só seria possível com uma configuração muito mais complexa de equipamentos.

Arnan Mitchell, do RMIT, um dos líderes da pesquisa

Arnan Mitchell, do RMIT, um dos líderes da pesquisa

Uma taxa de 44,2 Tb/s corresponde a incríveis 5,5 terabytes transferidos por segundo. Para uma transmissão baseada em uma única fonte, é um recorde mundial. É verdade que esse valor foi atingido considerado um bitrate bruto. Com codificação, a taxa máxima ficou em 39,2 Tb/s, o que ainda é bastante impressionante.

É claro que uma velocidade como essa não vai ser oferecida em conexões domésticas (bom, talvez um futuro muito distante). Se essa tecnologia ganhar alguma relevância comercial, provavelmente será empregada na otimização de infraestruturas de telecomunicação ou na comunicação entre datacenters, por exemplo.

Com informações: Phys.org, RMIT.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
4 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Eu (@Keaton)

To mais interessado em saber qual CPU usado nesses equipamentos. hahaha

Vinicius (@vinimaz)

Pelo que eu entendi eles usam um semi-condutor especial, não é nenhum processador de computador e eles o chamam de “ soliton crystal micro-comb”, por isso a tradução livre para micro-pente.

imagem1242×2688 635 KB

Vinicius (@vinimaz)

@Keaton
Putz, sem olhar de novo em detalhes no Paper eu diria que são códigos em C ou C++ com Libs específicas, não devem ter aplicações comerciais normais. Se tiver um sistema operacional vai ser algo bem “cru” pra ser RealTime e não consumir memória.

Vinicius (@vinimaz)

@Keaton
Achei no Paper que eles usam esse filtro ótico aqui chamado WaveShaper 4200S, eles geram os pulsos laser pra enviar as informações e conforme a informação é “convertida” tu pode falar quanto de dados poderiam ser transmitidos, mas não são necessariamente dados humanamente legíveis.

imagem1242×2688 672 KB

Esse é o esquemático geral do sistema de teste, ele tá nos anexos do Paper, ali você vê o WaveShaper.

imagem1242×1507 455 KB

Eu (@Keaton)

Ah sim, tava meio perdido. No caso, aparentemente os dados são apenas retransmitidos para o WaveShaper.

Mas no caso, estava mais interessado em qual hardware é capaz de gerar/transmitir 44,2Tb/s de dados, mas provavelmente é algum mainframe/supercomputador usado na infraestrutura. (Mas queria ter uma idéia por cima do hardware. hahaha)