Início » Computador » Xiaomi RedmiBook 13, 14 e 16 têm processadores AMD Ryzen 4000

Xiaomi RedmiBook 13, 14 e 16 têm processadores AMD Ryzen 4000

Notebooks Xiaomi RedmiBook 13, 14 II e 16 podem ser equipados com chip AMD Ryzen 5 4500U ou Ryzen 7 4700U

Emerson Alecrim Por

Quando a AMD anunciou a série Ryzen 4000, sinalizou que esses processadores estariam presentes em mais de 100 notebooks lançados em 2020. Entre eles estão modelos da Xiaomi: recém-anunciados, os laptops RedmiBook 13, 14 II e 16 contam com chips dessa linha.

Xiaomi RedmiBook 13

Xiaomi RedmiBook 13

As novidades são direcionadas a quem busca um notebook fino e leve, mas não abre mão de bom desempenho. É por isso que o processador menos poderoso aqui é um Ryzen 5. Além disso, a quantidade mínima de RAM é de 8 GB. A linha só não traz GPU dedicada.

Todos os modelos são muito parecidos entre si, no visual — minimalista e com acabamento metálico — e nas especificações. A principal diferença entre um e outro é o tamanho da tela: o RedmiBook 13 é a opção mais compacta; o RedmiBook 16, o modelo que oferecer o maior display. Os números fazem referência ao tamanho do visor em polegadas, obviamente.

Xiaomi RedmiBook 14

Falando em tela, a Xiaomi destaca que todos os modelos têm aproveitamento de espaço frontal de cerca de 90%, resolução full HD (1920×1080 pixels), taxa de atualização de 60 Hz, 100% da gama de cores sRGB e brilho de 250 nits — no RedmiBook 16, essa taxa chega a 300 nits.

Na conectividade, os três notebooks oferecem duas portas USB-C, uma porta USB-A (convencional), uma porta HDMI, conexão para fones de ouvido e microfone, além de Wi-Fi dual band e Bluetooth 5.0.

Outras características incluem teclado com retroiluminação LED, bateria de 40 Wh (46 Wh no modelo de 16 polegadas) e o Windows 10 Home como sistema operacional.

Xiaomi RedmiBook 16

Xiaomi RedmiBook 16

Os três laptops já estão em pré-venda na China e serão lançados oficialmente a partir de 1º de junho. Por lá, os preços são estes (sem os descontos da pré-venda):

  • Xiaomi RedmiBook 13
    • Ryzen 5 4500U, 8 GB de RAM, SSD de 512 GB: 3.799 iuanes (US$ 532)
    • Ryzen 5 4500U, 16 GB de RAM, SSD de 512 GB: 3.999 iuanes (US$ 560)
    • Ryzen 7 4700U, 16 GB de RAM, SSD de 1 TB: 4.999 iuanes (US$ 700)
  • Xiaomi RedmiBook 14 II
    • Ryzen 5 4500U, 8 GB de RAM, SSD de 512 GB: 3.799 iuanes (US$ 532)
    • Ryzen 5 4500U, 16 GB de RAM, SSD de 512 GB: 3.999 iuanes (US$ 560)
    • Ryzen 7 4700U, 16 GB de RAM, SSD de 512 GB: 4.499 iuanes (US$ 630)
  • Xiaomi RedmiBook 16
    • Ryzen 5 4500U, 8 GB de RAM, SSD de 512 GB: 3.799 iuanes (US$ 532)
    • Ryzen 5 4500U, 16 GB de RAM, SSD de 512 GB: 3.999 iuanes (US$ 560)
    • Ryzen 7 4700U, 16 GB de RAM, SSD de 512 GB: 4.499 iuanes (US$ 630)

Repare que os preços não variam conforme o tamanho do laptop. Note também que apenas o RedmiBook 13 tem opção de SSD com 1 TB de capacidade.

Com informações: Gizmochina.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
11 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Leonardo Rocha Dias (@Leonardo_Rocha_Dias)

Aproveitando…alguma informação de quando veremos estes chips AMD Ryzen 4000 por aqui?
Tenho visto lá fora modelos da Lenovo e Acer, e nos testes batem a 10ª geração da rival Intel.
A última notícia que encontrei foi https://tecnoblog.net/334511/lenovo-legion-5-notebook-gamer-processador-amd-ryzen/

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Será que rola um upgrade de ram ou ssd ou é tudo soldado na placa mãe?

Parece que esse vai ser meu notebook de 2021.

Wellington Alves (@Wellington_Alves)

Engraçado ver que tem smartphone mais caro que esses notebooks aí

² (@centauro)

Por esse preço, no máximo vai ter uma entrada extra pra SSD.
E olhe lá.

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Nem falo em extra, falo em por exemplo, vim com 1 pente de 8gb de ram e eu trocar por 1 pente de 16gb, e vim com 1 SSD NVME de 512 e eu trocar por um de 1 ou 2 TB no futuro.
Ou pode ser que venha tudo soldado como um celular, não podendo fazer nenhuma troca.

Isso influencia na hora da compra, se posso fazer upgrade, vou comprar o mais barato que me atende agora, se não posso, tenho de comprar um mais caro pra me atender no futuro tambem.

² (@centauro)

Sim, sim.
O que eu quis dizer é que, pelo preço desses aparelhos, é extremamente improvável que seja possível fazer algum upgrade além do SSD.
Ultrabooks dificilmente tem como fazer upgrade.
“Portátil” que tem como fazer upgrade, hoje em dia, é limitado praticamente aos laptop gamers de US$1500 pra cima ou, talvez, alguns modelos corporativos (talvez os Thinkpads?), e mesmo assim só alguns modelos.

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

trocar o ssd já me deixa feliz, assim não preciso do modelo top, o intermediário já me atende.

Guilherme Borges (@Loumier)

Quando eu vi esses preços todos iguais eu achei super estranho e pensei que poderia ser erro de edição. Mas os preços estão muito bons pelas especificações.

Guilherme Borges (@Loumier)

SSD NVME dificilmente é soldado. No máximo acho que alguns modelos vão vir com 1 slot de RAM disponível e a outra RAM soldada. De qualquer forma vamos ter que aguardar o lançamento pro pessoal do Notebook Check confirmar essa informação.

Diego Nascimento (@Dieg0)

Queria ganhar em dólar! Achei muito barato, teria um fácil.

🤷‍♀️ (@xavier)

Minituarização de componentes encarece o preço mesmo. É muito mais fácil produzir uma memória RAM “grande” do que um chip minúsculo pra caber num celular.

@ksio89

Xiaomi mandou bem demais com esses laptops, tanto em configuração quanto preço.

Wellington Alves (@Wellington_Alves)

Eu já importei smartphone, mas notebook, ainda não tive essa coragem.

² (@centauro)

Vai ser taxado, só isso.
Risco de perder ou ser extraviado existe, mas pra isso que você contrata o seguro.

Wellington Alves (@Wellington_Alves)

Esse é o X da questão: a taxa.

Exibir mais comentários