Tecnoblog
Início » Celular » Huawei Nova 5T: mesmo motor, novo capô

Huawei Nova 5T: mesmo motor, novo capô

Com processador do P30 Pro e boas câmeras, Nova 5T é mais um suspiro da Huawei com Google Play

As sanções americanas contra a Huawei não devem terminar antes de 2021, mas a fabricante chinesa permanece firme no mercado de smartphones. O Nova 5T é um intermediário premium que pode ser considerado um primo mais novo do P30 Pro: ele continua com hardware poderoso e segue focando em fotografia, mas é menos caro, com preço de lançamento de R$ 2.999.

Apesar de não ser uma pechincha, a Huawei joga na mesa um conjunto que parece fazer sentido: um processador potente, 8 GB de RAM, tela brilhante de 6,26 polegadas e quatro câmeras na traseira, incluindo uma principal de 48 megapixels. Melhor ainda: ele tem Google Play instalado. Será que o resultado é bom? Eu testei o Huawei Nova 5T e conto tudo nos próximos minutos.

Análise do Huawei Nova 5T em vídeo

Design e tela

O Nova 5T também desembarcou no Brasil na cor azul, que é visualmente incrível, mas a Huawei decidiu nos enviar a versão preta para review. É meio sem graça, mas funciona para quem prefere ser discreto e não é um demérito para a qualidade de construção: o acabamento passa uma boa impressão logo de cara, não perdendo em nada para os celulares mais caros da marca.

O leitor de impressões digitais fica na lateral, uma posição que me agrada desde a época dos Sony Xperia: funciona bem tanto para quem guarda o celular sempre no bolso quanto para desbloqueá-lo sobre a mesa. As bordas de metal também abrigam uma porta USB-C, uma bandeja de chip (sem espaço para cartão de memória) e um sensor de iluminação que eu pensava ser um emissor de infravermelho, mas não é.

A tela de 6,26 polegadas ocupa quase toda a parte frontal do aparelho, sendo interrompida apenas pela câmera frontal de 32 megapixels no canto superior esquerdo e pelo queixo bem pequeno. No lugar dos painéis OLED que a Huawei costuma adotar nos topos de linha, o Nova 5T possui uma tela LCD com resolução Full HD+, de 2340×1080 pixels.

O painel tem excelente qualidade. O brilho não é tão forte quanto em telas LCD mais caras, mas é mais que satisfatório para qualquer condição de iluminação. As cores são muito vibrantes de fábrica e podem até incomodar quem prefere um tom mais natural, mas é possível ajustar a saturação nas configurações de tela. É difícil encontrar um ponto negativo na tela, já que o preto é bastante profundo e o ângulo de visão é ótimo.

Como estamos falando de um aparelho mais caro, vale a ressalva: uma excelente tela AMOLED é superior a uma excelente tela LCD. E, nessa faixa de preço, já é possível encontrar modelos um pouco melhores nesse quesito, como o Galaxy S10. Ainda assim, dá para afirmar sem medo que a Huawei investiu em um ótimo display aqui.

Software

A polêmica da Huawei é a sanção dos Estados Unidos, que a impede de fazer negócios com empresas americanas, como o Google. Não me interessa julgar quem está certo ou errado nessa história em um review, mas é fato que a experiência fica prejudicada sem Play Store. Por uma questão ética, eu não posso dizer para uma pessoa gastar milhares de reais e ainda ter que procurar gambiarras para usar um celular. Esse é o motivo pelo qual o Tecnoblog não publicou uma análise e não indica o Mate 30 Pro.

Felizmente, a Huawei conseguiu uma licença para embarcar os aplicativos do Google no Nova 5T alguns dias antes do embargo do Trump. Por isso, está tudo aqui: tem Gmail, YouTube, Play Store e o que mais você quiser, incluindo a possibilidade de usar aplicativos de banco e a Netflix sem nenhum sofrimento.

Eu gosto da interface EMUI pela agilidade nas animações e pelas possibilidades de personalização. Como de costume nos Androids chineses, todos os aplicativos ficam espalhados nas telas iniciais por padrão. O visual é consistente e agrada bastante. Só faltou um tema escuro, inexistente no Android 9 da Huawei — a atualização para o Android 10 ainda não estava disponível enquanto eu fazia este review.

E se você tivesse que depender só do ecossistema da Huawei? Isso seria bem complicado. A AppGallery está longe de ter a mesma variedade da Play Store, especialmente devido à falta de aplicativos americanos, o que inclui Facebook, WhatsApp, Instagram, Uber e YouTube. Muitos aplicativos para Android são dependentes de APIs proprietárias do Google, de modo que fica mais difícil até pedir um táxi sem perder tempo procurando tutoriais na internet.

Câmeras

A Huawei conquistou uma certa fama pela qualidade de suas câmeras e não decepcionou no Nova 5T. Apesar de não ter o desempenho absurdo em fotos noturnas do Mate 30 Pro, nem o zoom óptico de 5x do P30 Pro, o intermediário premium da Huawei deve satisfazer quase todos os usuários.

A câmera principal de 48 megapixels captura boas imagens mesmo em condições de baixa iluminação, com ruído controlado e nível de detalhes convincente. As paisagens têm um certo ganho na saturação que torna as cores mais agradáveis, mas sem exageros. O pós-processamento trabalha bem o alcance dinâmico do sensor, sem ocultar áreas de sombra nem estourar pontos de luz com facilidade.

Um dos méritos do Nova 5T é ter um modo noite que impressiona os olhos: é só apontar a câmera em um ambiente escuro, segurar firme o celular por alguns segundos e, tcharam, surge uma imagem com detalhes que você nem sequer tinha percebido antes. Apesar de criar um espetáculo de cores exagerado às vezes, é um recurso que cria a vontade de tirar fotos noturnas.

A lente ultrawide é apenas ok, sem grandes destaques. As fotos com campo de visão mais amplo têm boa qualidade quando a iluminação colabora, mas não é difícil encontrar aberrações cromáticas nas imagens finais. Em ambientes internos, a câmera mostra um pouco de dificuldade em manter um bom nível de detalhes sem aumentar o ruído, mas nada muito pior que em outros smartphones da mesma faixa de preço.

Já a câmera frontal de 32 megapixels é semelhante a dos outros aparelhos da Huawei. A lente com abertura f/2,0 tem foco fixo e uma profundidade de campo não muito ampla, então você pode não conseguir uma nitidez tão boa se não encontrar a distância certa na hora de tirar a selfie.

Mas, no geral, os tons de pele me agradam e a definição é boa com a câmera frontal, desde que você desative ou reduza o modo de embelezamento, que é muito forte por padrão e insiste em remover absolutamente todas as imperfeições da sua pele, o que acaba gerando um efeito de boneco de cera.

Hardware e bateria

O processador Kirin 980, da própria Huawei, é o mesmo que equipa o P30 Pro. O desempenho no topo de linha de 2019 continua muito bom, e é claro que o Nova 5T também segue firme. O celular é ágil, responde bem aos toques e alterna entre aplicativos sem pestanejar, em parte devido aos 8 GB de RAM. O chip gráfico ainda tem força para rodar jogos com os gráficos no máximo.

Se fosse para apontar um defeito, talvez ele esteja no armazenamento de 128 GB. É verdade que esse espaço é mais que suficiente para boa parte dos usuários, mas a Huawei poderia ter lançando versões com mais memória interna ou, pelo menos, mantido a possibilidade de instalar um microSD. Mesmo com a possibilidade de enviar tudo para a nuvem, esse pode ser um fator limitante para algumas pessoas.

A bateria é de 3.750 mAh e lida bem com o hardware do Nova 5T. Eu não consegui fazer um teste de dia normal, com bastante consumo de mídia em 4G e movimentação entre torres de celulares porque, como sabemos, não estamos em dias normais.

Mas, em um teste padrão com 3 horas de vídeo na Netflix com brilho máximo na tela, 1 hora de redes sociais e navegação na web e 30 minutos de Asphalt 9: Legends, a bateria foi de 100% para 44%. O resultado é bom e indica que o Nova 5T pode durar o dia inteiro para boa parte das pessoas.

O Nova 5T ganha pontos pelo carregamento rápido, de 22,5 watts. A Huawei me deixou mal acostumado com o adaptador absurdo de 40 watts do P30 Pro, mas o primo mais novo não faz feio: partindo dos 2%, ele levou apenas 31 minutos para bater nos 50% de carga. A bateria foi completamente abastecida em 1h19min. Então, mesmo que você precise carregar o aparelho no meio do dia, não ficará preso a uma tomada por muito tempo.

Huawei Nova 5T vale a pena?

O Nova 5T entra acima daquela categoria mágica que eu chamo de “bom o suficiente para quase todo mundo”. Ele não é o melhor em nada, mas faz bem tudo o que se propõe: é difícil encontrar um ponto negativo relevante. A tela possui excelente qualidade, o desempenho é consistente, as câmeras fazem um bom serviço e a bateria dura bastante, com direito a uma ótima velocidade de carregamento.

Observando celulares da qualidade do Nova 5T chegando ao mercado, eu me solidarizo com a Huawei, que pode ter lançado seu último smartphone com Google Play. A empresa tenta promover seu próprio ecossistema, mas os desafios à frente são complicados, já que nem a Microsoft, com seu valor de mercado trilionário (e sem as sanções americanas), obteve êxito com um ecossistema móvel. Como consumidor, sigo na torcida para que a disputa seja resolvida da melhor forma.

Por R$ 2.999, o Nova 5T compete com modelos caros da geração passada, como o Galaxy S10, o iPhone XR e o LG G8S ThinQ. Desse trio, o ex-flagship da Samsung seria o mais interessante: ele tem uma tela melhor, apesar de menor, uma câmera traseira com zoom óptico e um software que considero superior, com uma interface bem trabalhada, mas perde em bateria. O iPhone XR também é uma excelente opção, mas, se você quisesse um iPhone, provavelmente não estaria pesquisando um Huawei.

Usando o mesmo motor do P30 Pro, mas com um capô diferente, o Nova 5T é um belo suspiro da Huawei — que espero que não seja o último.

Especificações técnicas

  • Bateria: 3.750 mAh com carregamento de 22,5 watts
  • Câmera frontal: 32 megapixels (f/2,0)
  • Câmeras traseiras:
    • Principal: 48 megapixels (f/1,8)
    • Ultrawide: 16 megapixels (f/2,2)
    • Macro: 2 megapixels (f/2,4)
    • Sensor de profundidade: 2 megapixels (f/2,2)
  • Conectividade: 3G, 4G, Wi-Fi 802.11a/b/g/n/ac, GPS, Glonass, BeiDou, Bluetooth 5.0, USB-C 2.0, NFC, leitor de impressões digitais na lateral
  • Dimensões: 154,25x74x7,9 mm
  • GPU: Mali G76 de 720 MHz
  • Memória externa: sem entrada para cartão de memória
  • Memória interna: 128 GB
  • Peso: 174 gramas
  • Processador: octa-core Huawei Kirin 980 de até 2,6 GHz
  • Plataforma: Android 9 com interface EMUI 9.1
  • RAM: 8 GB
  • Tela: IPS LCD de 6,26 polegadas com resolução Full HD+ (2340×1080 pixels)

Comentários da Comunidade

Participe da discussão

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação