Início » Empreendedorismo » Como funciona o Delivery do Bem? [Entrega sem Taxas]

Como funciona o Delivery do Bem? [Entrega sem Taxas]

Criado na pandemia do novo coronavírus, o Delivery do Bem reúne restaurantes de todo o Brasil; saiba como funciona a plataforma

Karla Soares Por
TB Responde

A pandemia da COVID-19 obrigou pequenos e médios negócios em todo o Brasil a usar novas estratégias para não ficarem parados durante o período de isolamento social. Foi nesse contexto desafiador que a startup Zygo Tecnologia, de Florianópolis (SC), criou o Delivery do Bem, que funciona como uma central na web com restaurantes e estabelecimentos como açaíterias, cafeterias, lojas de produtos naturais e cervejarias.

Atualmente uma plataforma que reúne restaurantes de 19 estados e Distrito Federal. O diferencial em relação aos aplicativos tradicionais de delivery é a ausência de cobrança de taxas para o empreendedor, que podem chegar até 30% sobre o valor do pedido.

Free Deliver / Erik Mclean / Unsplash

Inspiração chinesa

Um dos fundadores da Zygo, Paulo Hashimoto, conta que a inspiração para a criação do serviço veio dos restaurantes chineses, que sobreviveram à crise do novo coronavírus migrando totalmente as suas operações para o sistema de delivery.

“Diante desse cenário, resolvemos parar tudo o que estávamos fazendo e orientar toda a nossa empresa para criar um sistema de delivery completo em sete dias. Com o prazo cumprido, começamos a implementar a ideia junto com outros empreendedores e empresas que se uniram na iniciativa de ajudar quem precisa”, explica Hashimoto.

Como funciona o Delivery do Bem / Karla Soares / Reprodução

Antes de liderar a criação do Delivery do Bem, a Zygo já trabalhava com o Bonuz, um programa de fidelidade para restaurantes de todo o país. Além do diferencial da taxa (inexistente), os restaurantes ficam responsáveis pela logística de entrega com entregadores próprios ou com a contratação de serviços especializados em delivery.

Como funciona o Delivery do Bem / Karla Soares / Reprodução

Ao optar pelo serviço, o cliente pode utilizar a função cashback, sistema em que parte do valor de um produto ou serviço volta para o cliente. Está disponível no pagamento com a carteira digital da Ame, empresa responsável pela devolução dos valores.

No caso do Delivery do Bem, o cashback é de 10% em lojas selecionadas, pagando online com a Ame. Para utilizar, o cliente e o estabelecimento devem ter contas na Ame.

Como funciona o Delivery do Bem [Restaurante]

Para fazer parte do Delivery do Bem o empreendedor ou lojista deve entrar no site deliverydobem.com.br e fazer o seu cadastro. Nesse momento, é hora de informar dados do estabelecimento como nome, endereço, cardápio, área de entrega e etc.

Desde março (2020), a plataforma conta com restaurantes e outros estabelecimentos alimentícios como opções de entrega aos clientes. Verifique o que há na sua cidade.

Como funciona o Delivery do Bem / Karla Soares / Reprodução

Plataforma não tem suporte

O ponto positivo de todo esse processo é que ele é gratuito e foi desenvolvido para facilitar o uso do lojista. O negativo é que, por não ter custos, não oferece suporte.

“Não temos suporte para o Delivery do Bem, justamente por ele ser gratuito, então a plataforma foi feita de forma super simples para que todos pudessem acessar e já começar a usar”, complementa Hashimoto.

Economia de R$ 300 mil em taxas

Você deve estar se perguntando: de onde vem o dinheiro? O fundador conta que o projeto foi financiado com capital próprio da Zygo, que capta recursos como doações.

Pacote de Entrega / Yu Hosoi / Unsplash

“Em muito pouco tempo, passamos a marca de 1 mil lojas operando e a economia desses negócios com taxas (que seriam pagas a outros apps) já passa dos R$ 300 mil. Estamos crescendo bem e conseguindo ajudar os negócios e esses são os planos para o pós-pandemia, seguir ajudando da melhor forma os negócios locais”, avalia.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
4 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Matt (@hadtohear)

A história tá meio mal contada. Uma hora essa doação vai acabar e eles precisam manter o serviço de alguma forma(repassando a taxa para o cliente ou a empresa)

² (@centauro)

Se eu entendi direito, esse app é só um agregador de estabelecimentos que possuem um serviço de entrega e que organiza esses estabelecimentos por estado/cidade e categoria.
O serviço de carteria digital provavelmente é separado também, então os custos pra manter o serviço deve ser só servidor, já que nem suporte eles oferecem.

Não que seja fácil dizer o custo do servidor que eles precisam, mas pode ser que eles estejam usando alguma capacidade ociosa em algum servidor deles mesmo ou o custo não seja tão grande (ainda) e eles ainda acham que vale a pena bancar do próprio bolso.

undefined (@el_dust)

É isso mesmo. Ele é só um front-end pra entrega das próprias lojas, imagino que ele simplesmente receba o pedido e repasse para elas. Tanto é que pagamento é pelo Ame Digital ou na entrega, direto com o entregador.