Tecnoblog
Início » Aplicativos e Software » 10 dicas do WhatsApp para médicos e profissionais de saúde

10 dicas do WhatsApp para médicos e profissionais de saúde

WhatsApp para médicos; versão criada para pequenas empresas tem ferramentas que podem ser úteis na prática da telemedicina

O WhatsApp, para médicos e outros profissionais da saúde, pode ser uma ferramenta auxiliar no trabalho, em meio a pandemia da COVID-19. O uso do app de mensagens como método de comunicação complementar, entre os próprios especialistas ou entre eles e seus pacientes, faz parte de uma modalidade recente chamada telemedicina.

Telemedicina impulsionada pela COVID-19

A prestação de serviço médico — feito à distância por meio de apps que permitem videoconferências e troca de mensagens de áudio e texto — é permitida pela lei Nº 13.989 [in.gov.br], enquanto durar a crise causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2).

É importante destacar que a medida é de caráter excepcional e emergencial, tendo em vista as consequências do cenário de pandemia, como a superlotação dos hospitais e o maior risco de contaminação, no ambiente das casas de saúde.

Nesse contexto, o Conselho Federal de Medicina (CFM), reconhece três tipos de atuação, inseridas na modalidade:

  • Teleorientação: torna possível que médicos, de forma remota, orientem as pessoas ou encaminhem pacientes em isolamento.
  • Telemonitoramento: permite que parâmetros de saúde sejam acompanhados, à distância, sob supervisão médica.
  • Teleinterconsulta: troca de informações, apenas entre especialistas, com o objetivo de auxiliar na conclusão de diagnósticos e métodos terapêuticos.

Ao considerar esse critérios, veja sugestões para usar o mensageiro a seu favor.

WhatsApp para médicos e profissionais da saúde [Dicas]

1. Crie uma conta no WhatsApp Business

O WhatsApp Business é um aplicativo do WhatsApp pensado para atender às necessidades de pequenas empresas. Por isso, essa versão do mensageiro tem ferramentas adicionais, em comparação ao app “tradicional” — como as respostas rápidas e a classificação de conversas por meio de etiquetas coloridas.

Esses recursos, que serão abordados nas próximas dicas, também podem ser bem aproveitados para a prestação de serviços médicos e marcação de consultas.

2. Responda à perguntas frequentes rapidamente

É inevitável que, dentro de uma especialidade médica ou ao abordar a questão da COVID-19, não surjam dúvidas repetidas, entre as pessoas atendidas.

Com o recurso de respostas rápidas, o profissional pode criar atalhos para mensagens que envia de maneira mais frequente e, até mesmo, criar uma lista dessas informações e organizá-las por meio de palavras-chave e frequência de uso.

3. Dê orientações por chamada de voz ou vídeo

Em um contexto de pandemia, pessoas que não apresentam sintomas da COVID-19, mas querem direcionamentos médicos sobre casos simples, podem correr o risco de serem infectadas no ambiente hospitalar.

Por meio da chamada de vídeo ou de voz, o médico pode avaliar a necessidade da consulta presencial ou, em casos realmente simples, orientar o paciente sem expor o indivíduo a uma possível contaminação.

Além disso, as videochamadas em grupo representam mais uma forma de manter contato com a sua equipe ou conversar sobre um caso com diferentes médicos (Teleinterconsulta).

4. Use etiquetas para classificar a ordem de atendimento

Esse recurso pode ser útil, por exemplo, na função de telemonitoramento.

O profissional de saúde pode usar as etiquetas de cores diferentes para estabelecer uma ordem dos acompanhamentos. Outra ideia é aplicar cores específicas para cada tipo de caso ou relacionar cada tom à uma doença diferente.

5. Informe seus horários de atendimento

No seu perfil, indique seus horários e locais de atendimento, para direcionar seus pacientes, nos casos em que a consulta presencial é fundamental. Pode-se informar, também, eventuais alterações para atender à demandas urgentes.

6. Indique quando estará disponível

Em dias de agenda cheia até determinado horário, responder perguntas pelo WhatsApp não é uma prioridade. Sendo assim, é possível personalizar uma mensagem de ausência automática, para dizer quando estará disponível.

7. Crie uma mensagem de saudação

Na mensagem de saudação, é possível incluir informações gerais para todos os seus contatos. Nela, também é possível indicar outras formas de contato com você.

8. Divulgue seu canal de comunicação

Quando os números de telefone dos pacientes não estão salvos no celular, é possível criar um link curto e divulgá-lo por e-mail ou nos perfis de redes sociais, como Facebook e Instagram. Dessa forma, eles podem usar o link para iniciar uma conversa.

9. Envie mensagens para vários contatos de uma vez

Pode-se criar uma lista de transmissão para enviar mensagens para várias pessoas de uma vez. Vale destacar que apenas quem salvou seu número na própria agenda receberá sua mensagem, em uma conversa individual, pela lista de transmissão.

10. Eduque sua comunidade

Textos informativos, fotos e vídeos podem ser adicionados ao seu status. Dessa forma, é possível compartilhar dicas e outros conteúdos interessantes de prevenção.

Com informações de: Diário Oficial da União, EBC, WhatsApp

Comentários da Comunidade

Participe da discussão

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação