Início » Negócios » Exclusivo: Grin e Yellow são alvo de processos por dívida milionária

Exclusivo: Grin e Yellow são alvo de processos por dívida milionária

Fundo de investimento Mountain Nazca nega ter comprado Grow Mobility, dona das bicicletas Yellow e patinetes Grin

Felipe Ventura Por

Grin, Yellow e Grow Mobility estão sendo processadas no TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) em ações judiciais por dívidas com valor total acima de R$ 2 milhões, segundo apurou o Tecnoblog. Os problemas jurídicos se tornaram graves o suficiente para o fundo de investimento Mountain Nazca solicitar correção dizendo que não adquiriu a Grow — um negócio anunciado originalmente em março.

Patinete da Grin

Encontramos três grandes processos judiciais no TJ-SP contra a Grin (patinetes elétricos), Yellow (bicicletas) e Grow (dona das duas marcas). Todas as ações vêm correndo ao longo dos meses de maio e junho de 2020; eis um resumo:

  • uma imobiliária cobra R$ 579.516,00 da Yellow Soluções de Mobilidade em ação de despejo por falta de pagamento de aluguel;
  • uma empresa de serviços de monitoramento cobra R$ 792.930,43 não pagos pela Yellow;
  • uma empresa de terceirização e gestão de frotas cobra R$ 826.242,07 devidos pela Yellow, Grin e Grow.

Neste último processo, o juiz autorizou o envio de mandado “para penhora e avaliação de bens, tantos quantos bastem para o pagamento do principal atualizado, juros, custas e honorários advocatícios”. No entanto, a empresa de gestão de frotas “não aceitou os bens apresentados como garantia”.

Além disso, a Grow enfrenta alguns processos de pessoas que sofreram acidentes, seja ao pilotarem um patinete ou serem atingidos por um. No entanto, o valor pedido como indenização é bem menor que as cobranças de dívida listadas acima. A empresa diz ao Tecnoblog que não vai comentar o assunto no momento.

A Yellow retirou todas as bicicletas de circulação em janeiro em meio a uma situação financeira difícil. Então, em março, a Grin suspendeu o aluguel de patinetes elétricos devido à pandemia da COVID-19. Esta semana, a Grow demitiu metade de seus funcionários no Brasil; ela também atua no México e Colômbia.

Grow não foi adquirida por fundo Mountain Nazca

Em março, a Grow anunciou em comunicado à imprensa que havia sido adquirida pelo fundo de investimento Mountain Nazca, dono do Peixe Urbano. Agora em junho, a empresa exigiu uma correção, dizendo que não é dona da Grin e Yellow.

“A Grow não foi comprada pela Mountain Nazca, e sim pelo investidor Felipe Henríquez”, diz o fundo de investimento em declaração ao Tecnoblog. “Infelizmente, como a Grow vem enfrentando vários problemas jurídicos crescentes, o mal-entendido está causando danos à Mountain Nazca.”

Ela explica que a suposta aquisição de uma empresa com problemas jurídicos “pode causar danos financeiros significativos” porque prejudica a captação de investimentos, algo essencial para um fundo de private equity.

Em comunicado ao Tecnoblog, a Grow confirma que o controle da empresa atualmente é de Felipe Henríquez. Ela “esclarece que as negociações de compra, efetivada em março deste ano, foram efetuadas como um investimento pessoal pela pessoa física Felipe Henríquez Meyer, sem o envolvimento da Mountain Nazca”.

A empresa “pede desculpas pelo mal-entendido”, e afirma que “houve uma falha de entendimento ao longo das negociações” e “uma divulgação equivocada” porque Henríquez é cofundador da Mountain Nazca.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
12 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação