Início » Negócios » Epic Games e dona do Tinder criticam taxa da Apple na App Store

Epic Games e dona do Tinder criticam taxa da Apple na App Store

Briga é antiga dentro da Apple e já respingou até mesmo na Play Store do Google, que levou anos para receber Fortnite da Epic Games

André Fogaça Por

A Match Group, dona do Tinder, e a Epic Games aumentaram o tom de reclamações sobre a cobrança de 30% de toda transação que passa pelos apps que são baixados pela App Store, da Apple. As acusação acontecem um dia após a abertura de investigações das práticas anticompetitivas da empresa pela Comissão Europeia.

Fortnite na App Store da Apple

A cobrança de uma taxa por todos os pagamentos que passam pela App Store e Play Store não é novidade. As empresas fazem um pedágio de 30% e o desenvolvedor fica com 70% de tudo que vende, desde a compra de um app ou jogo, indo até o valor recorrente de uma assinatura. O problema é que muitos desenvolvedores se revoltaram e isso até deu o que falar quando a Epic Games lançou o Fortnite fora da Play Store para evitar a cobrança.

Nesta semana as empresas aumentaram o tom das reclamações que fazem contra a Apple, em especial a Match Group que comanda apps como o Tinder, junto da Epic Games que tem nomes de peso como o Fortnite. O catalisador é uma ajuda que a Apple oferece para algumas empresas e que não precisam fazer o pagamento do pedágio, como acontece com o Prime Video que não precisa repassar os 30% de algumas transações, junto do Airbnb.

Para estes parceiros, a Apple permite o desconto de 100% na taxa que cobra se alguns pontos forem respeitados, como suporte para AirPlay 2, integração com serviços da Apple e até suporte universal para a Siri. Empresas que não conseguem a isenção, como a Netflix, alertam os usuários que eles podem realizar o pagamento da assinatura fora do aplicativo do iOS.

O CEO da Epic comentou nesta quarta-feira (17) que não aceitará um tratamento especial apenas para sua empresa, deixando os outros desenvolvedores dentro do programa que cobra os 30%. Um representante da Match Group disse que quer sentar com a Apple e negociar um equilíbrio melhor para a cobrança das taxas em toda a loja.

Em comunicado para a imprensa americana, a Apple diz que todos os aplicativos que estão disponíveis na App Store seguem uma cartilha com regras rígidas. Ela diz que uma opção de compra in-app precisa estar presente no app se ele quiser oferecer algum recurso que foi comprado por fora, em outra plataforma.

Com informações: The Verge.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
8 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Paulo Manso (@paulo1manso)

O problema é que iOS e Android chegaram num ponto de dominância tão grande, que a possibilidade de um novo sistema operacional conseguir market share é praticamente nula. Portanto qualquer empresa se torna refém dessas taxas da Apple e Google.

Se houvessem mais sistemas operacionais disputando mercado de forma similar, não teríamos essa conversa de taxa nas lojas de aplicativo. Mas como só há essas duas alternativas, sem perspectiva de um novo concorrente, é necessária que haja uma investigação antitruste. Não basta dizer ‘‘não tá satisfeito, tirem os aplicativos da plataforma’’.

Sérgio (@trovalds)

Expor fatos é diferente de defender marcas. Se você se confundiu nisso, então não tem nem porque eu continuar argumentando.