Início » Computador » Fim de uma era: Apple anuncia transição de chips Intel para ARM nos Macs

Fim de uma era: Apple anuncia transição de chips Intel para ARM nos Macs

macOS 11.0 rodará nativamente apps do iPhone e iPad em ARM; computadores com chip Apple Silicon serão lançados ainda em 2020

Paulo HigaPor

Dia histórico: a Apple anunciou nesta segunda-feira (22), durante a conferência WWDC 2020, que o sistema operacional macOS está sendo desenvolvido para a arquitetura de processadores ARM. A novidade representa o fim da era Intel nos Macs, que passarão a ser equipados com chips projetados pela própria Apple, como já acontece nos iPhones e iPads. A transição começará ainda em 2020 e levará dois anos para ser concluída.

Apple / Processador ARM

O macOS 11.0 Big Sur será o primeiro a suportar os chips com arquitetura ARM. A nova versão possui uma interface redesenhada, com ícones, Central de Notificações e efeitos visuais semelhantes aos do iOS. O navegador Safari terá suporte a mais extensões e ganhou melhorias de privacidade, passando a exibir os rastreadores existentes em um site; ele será 50% mais rápido que o Chrome, segundo a Apple.

Mas a maior novidade do macOS é a transição. O CEO Tim Cook anunciou a mudança como um “dia histórico para o Mac”. Os chips Apple Silicon prometem oferecer a melhor performance possível com o menor consumo energético. Eles terão “GPU integrada de alto desempenho”, recursos de segurança, gerenciamento avançado de energia e reprodução de vídeo com baixo consumo.

Apple Silicon

Macs com Apple Silicon rodarão apps de iPhone e iPad

Os softwares profissionais da Apple, como o Final Cut Pro e o Logic Pro, rodarão nos novos chips. A empresa também fechou parceria com a Microsoft e a Adobe para lançar o Office (Word, Excel e PowerPoint) e a Creative Cloud (Photoshop e Lightroom) nos futuros computadores com Apple Silicon, com código nativo para ARM.

Microsoft Word e outros apps rodam nativamente em ARM no macOS

Microsoft Word e outros apps rodam nativamente em ARM no macOS

O macOS ainda ganha a acesso a mais um leque de softwares: os aplicativos do iPhone e iPad rodarão nativamente e poderão ser baixados na Mac App Store. O vice-presidente de engenharia de software da Apple, Craig Federighi, diz que a “vasta maioria” dos apps poderá ser recompilada em alguns dias.

Mesmo os aplicativos existentes do macOS, desenvolvidos para x86, poderão ser executados sem modificações nos Macs com ARM. Isso acontecerá graças ao Rosetta 2, que “traduz” o código dos softwares no momento da instalação. Jogos também serão suportados: a Apple demonstrou Shadow of the Tomb Raider rodando no chip Apple Silicon.

MacBook com macOS Big Sur

Para os programadores, a transição começa nesta semana, com o lançamento de um kit de desenvolvimento que parece um Mac mini por fora, mas é equipado com um chip Apple A12Z Bionic, uma versão personalizada do macOS Big Sur e um Xcode com suporte à nova arquitetura. Será possível criar apps Universal 2, que funcionem tanto em x86 quanto ARM.

O primeiro Mac com processador da Apple será lançado até o final de 2020, segundo Tim Cook, sendo que a transição de arquitetura deverá ser completada em dois anos. O CEO diz que Macs baseados em Intel ainda receberão atualizações de hardware e terão suporte pelos próximos anos.

Transição do PowerPC para a Intel foi há 15 anos

Macs passaram por transição de PowerPC para Intel em 2005

Esta é a primeira mudança de arquitetura nos Macs em 15 anos. A última havia sido anunciada na WWDC 2005, quando os processadores PowerPC, fabricados por Motorola e IBM, começaram a ser substituídos pelos atuais x86. Steve Jobs subiu ao palco e mostrou a frase “It’s true” (“É verdade”), com o “e” caído, em uma referência ao logotipo da Intel da época. Rumores da transição já circulavam desde 2002.

Os primeiros MacBooks com Intel chegaram em janeiro de 2006, rodando o Mac OS X Tiger (10.4). Em agosto daquele ano, toda a linha de computadores da Apple já havia passado pela transição. Na época, a empresa vendia os laptops iBook e PowerBook, os desktops iMac e Power Mac e até o servidor Xserve. Eles saíram de cena e logo abriram caminho para o MacBook, MacBook Pro, iMac e Mac Pro.

MacBook Pro (16 polegadas)

O Mac OS X Leopard (10.5), lançado em outubro de 2007, foi o último com suporte aos computadores da Apple com PowerPC. Mas o software Rosetta, que permitia executar programas da arquitetura antiga sem modificações nos novos Macs com chips da Intel, só foi removido completamente do sistema operacional em 2011, com a chegada do Mac OS X Lion (10.7).

A Apple projeta chips ARM desde 2010, quando o primeiro iPad e o iPhone 4 foram lançados com o Apple A4, substituindo os componentes desenvolvidos pela Samsung. O processador mais recente da marca é o Apple A12Z Bionic, do iPad Pro (2020), que possui um chip gráfico de oito núcleos com arquitetura térmica otimizada para melhorar o desempenho em edição de vídeos 4K e aplicações de realidade aumentada.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
24 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Caleb Enyawbruce (@Enyawbruce)

A transição pra ARM com processadores próprios faz todo sentido. Eles tem muita experiencia nessa área e acredito que vão conseguir entregar na prática tudo que essa mudança promete. Vamos ver…

J. Alves (@alves)

Em computadores vejo a Apple anos à frente da concorrência, com essa transição imagino que a distância vai aumentar ainda mais.

FLeite (@fabioleitedias)

Não deixa ser bem feito pra Intel. Notebook que esquenta demais, bateria 2 a 6 horas, e ainda caro em relação a desempenho de celular. Se o Windows tá tentando fazer a mesma transição significa que a arquitetura x86 tá com prazo de validade menor que imaginávamos.

Jhonny (@jokalokao)

Acho que não hein

seinper capi (@seinper_capi)

Muito inocente da sua parte achar que eles irão custar menos. Só vão aumentar a margem de lucro deles.

Zanac_Compile (@Zanac_Compile)

Esse é o ESTADO DA ARTE de uma plataforma proprietária!
A Apple chega ao ápice !

O máximo de otimização, sistema operacional e hardware integrados, tudo fechado e proprietário do mesmo fabricante.

Isso é muito legal! A anos que não tínhamos mais isso. Agora de fato, uma plataforma concorrente.

🤷‍♀️ (@xavier)

Só consigo pensar em: Bem feito Intel.
Entregou processadores medíocres nos últimos anos, agora estão perdendo mercado rapidamente.
Apple saiu fora, servidores apostando em Threadripper, desktop AMD com custoXbenefício muito superior e notebooks também AMD sendo mais populares.

🤷‍♀️ (@xavier)

Colega, em que mundo você vive? Apple não vende produtos com base em preço de hardware.
A estratégia é MUITO simples. Se lançar com processador ARM e preço menor, o público pode achar que é um produto inferior.

Diogo Silva (@uzu)

Não sei qual é a do Hackintosh, já fiz com High Sierra pra ver como era, totalmente dispensável, só é bonitinho, desculpa de editar vídeo e blá, blá, blá, quem realmente precisa, se adequa, antes era Sketch, Sketch, Sketch, tá ai o Figma e o XD batendo na porta, único problema realmente relevante é questão da App Store para desenvolvedores e tudo mais.

Sérgio (@trovalds)

Nem tanto, jovem. Macbook Air começa hoje em US$ 899. Um Intel equivalente com a mesma qualidade de construção vai custar praticamente o mesmo. Uma coisa é você ter arquitetura parecida, outra é ter a qualidade de componentes como tela e carcaça. Aliás o único pra mim que é superior em construção são os Lenovo Thinkpad Carbon. De resto poucos se equivalem e o que sobra (a maioria) nem se compara.

Sérgio (@trovalds)

Esses “notebooks gamer” tem carcaça de alumínio e monitor com qualidade bem acima do resto? Como eu disse antes, pode até custar mais barato mas em qualidade de construção pouquíssimos superam. E notebook gamer o que mais tem é coisa com erro de projeto. Aqui mesmo um Asus de 2018, “gamer”, esquentava horrores e sem eu perceber a ventoinha parou de funcionar. Resultado foi que o notebook aqueceu tanto que derreteu parte da carcaça.

Se eu teria um Apple? Tenho vontade. MAS só quando dinheiro não for problema.

Bruno Cabral Peixoto (@Bruno_Cabral_Peixoto)

Windows Phone fracassou pq a Microsoft agiu de uma forma inadequada:
1º - Prometeu atualizações pra telefones e não entregou.
2º - Havia quem temesse um mundo com um Windows Phone que seguisse
as regras da MS sem qualquer personalização ou que as empresas tivesse
que pagar altas licenças pro W Phone (como eu), o que encareceria os smartphones
(imagina uma licença de no mínimo uns 300 R$ no Windows Phone).
3º - Processo de atualizações pra novas versões confuso e faltando recursos.
4º - Apps de conversão de APK pra ajudar os Devs que não ajudava os Devs (dai cada vez menos apps).
5º - Estratégias de venda dos Lumia mal feita.
6º - Compra da Nokia (se ao menos tivessem uma estratégia mais inteligente, poderiam ser uma “Apple” de baixo custo).
7º - Apps incompatíveis entre as versões.

Zanac_Compile (@Zanac_Compile)

O PC que custa 3x menos, segundo teu relato, não dura 10 anos. Tenho um MacBook de 2011 e uso todos os dias até hoje, com teclas desgastadas e atualizado até hoje.

Minha mulher já passou por dois HP nesse mesmo período.

O Mac precisa trocar Só pq gasta as teclas. O PC tu troca na metade do tempo pq vira uma carroça.

Comprei um HP no EUA por 599 e o vendedor tava puto da cara que eu estava comprando aquele lixo. Depois comprei um Mac por 999 e daí fazia sentido pra qualquer americano. Pagar 999 num laptop não é absurdo. Já pagar 10.000,00 aqui no Brasil é uma loucura.

Suki Desu - Kevinbk (@Suki_Desu_Kevinbk)

Não discordo que muitos compram Apple, principalmente iPhones por status ou pra ser artigo de luxo… Mas suas afirmações são meio generalizadas…

Quer comparar um Xtudo com hambúrguer artesanal? Ambos enchem o estômago, na verdade o Xtudo enche até mais… Mas são coisas diferentes… artesanal é o dobro do preço do Xtudo e vem menos ingredientes. Depois que migrei pra Apple com um simples macmini, nunca tive nenhuma dor de cabeça…

São comparações idiotas, igual comparam o PS4 com um Switch. Eu tenho o Switch, foi mais caro, é mais fraco, mas entrega os jogos que me interessam… Vai por mim, tirando a minoria que compra mac por ser luxo, grande parte dos usuários do macOS tem um motivo mais relevante para compra-lo.

jacob (@jacob)

Tenho um Acer de 2010 que passei pra minha irmã e que ganhou uma boa sobrevida depois de instalar um SSD. Durar 10 anos não é uma feature exclusiva da Apple, basta o produto ter um mínimo de qualidade e ser bem cuidado.

Exibir mais comentários