Início » Computador » Fim de uma era: Apple anuncia transição de chips Intel para ARM nos Macs

Fim de uma era: Apple anuncia transição de chips Intel para ARM nos Macs

macOS 11.0 rodará nativamente apps do iPhone e iPad em ARM; computadores com chip Apple Silicon serão lançados ainda em 2020

Paulo Higa Por

Dia histórico: a Apple anunciou nesta segunda-feira (22), durante a conferência WWDC 2020, que o sistema operacional macOS está sendo desenvolvido para a arquitetura de processadores ARM. A novidade representa o fim da era Intel nos Macs, que passarão a ser equipados com chips projetados pela própria Apple, como já acontece nos iPhones e iPads. A transição começará ainda em 2020 e levará dois anos para ser concluída.

Apple / Processador ARM

O macOS 11.0 Big Sur será o primeiro a suportar os chips com arquitetura ARM. A nova versão possui uma interface redesenhada, com ícones, Central de Notificações e efeitos visuais semelhantes aos do iOS. O navegador Safari terá suporte a mais extensões e ganhou melhorias de privacidade, passando a exibir os rastreadores existentes em um site; ele será 50% mais rápido que o Chrome, segundo a Apple.

Mas a maior novidade do macOS é a transição. O CEO Tim Cook anunciou a mudança como um “dia histórico para o Mac”. Os chips Apple Silicon prometem oferecer a melhor performance possível com o menor consumo energético. Eles terão “GPU integrada de alto desempenho”, recursos de segurança, gerenciamento avançado de energia e reprodução de vídeo com baixo consumo.

Apple Silicon

Macs com Apple Silicon rodarão apps de iPhone e iPad

Os softwares profissionais da Apple, como o Final Cut Pro e o Logic Pro, rodarão nos novos chips. A empresa também fechou parceria com a Microsoft e a Adobe para lançar o Office (Word, Excel e PowerPoint) e a Creative Cloud (Photoshop e Lightroom) nos futuros computadores com Apple Silicon, com código nativo para ARM.

Microsoft Word e outros apps rodam nativamente em ARM no macOS

Microsoft Word e outros apps rodam nativamente em ARM no macOS

O macOS ainda ganha a acesso a mais um leque de softwares: os aplicativos do iPhone e iPad rodarão nativamente e poderão ser baixados na Mac App Store. O vice-presidente de engenharia de software da Apple, Craig Federighi, diz que a “vasta maioria” dos apps poderá ser recompilada em alguns dias.

Mesmo os aplicativos existentes do macOS, desenvolvidos para x86, poderão ser executados sem modificações nos Macs com ARM. Isso acontecerá graças ao Rosetta 2, que “traduz” o código dos softwares no momento da instalação. Jogos também serão suportados: a Apple demonstrou Shadow of the Tomb Raider rodando no chip Apple Silicon.

MacBook com macOS Big Sur

Para os programadores, a transição começa nesta semana, com o lançamento de um kit de desenvolvimento que parece um Mac mini por fora, mas é equipado com um chip Apple A12Z Bionic, uma versão personalizada do macOS Big Sur e um Xcode com suporte à nova arquitetura. Será possível criar apps Universal 2, que funcionem tanto em x86 quanto ARM.

O primeiro Mac com processador da Apple será lançado até o final de 2020, segundo Tim Cook, sendo que a transição de arquitetura deverá ser completada em dois anos. O CEO diz que Macs baseados em Intel ainda receberão atualizações de hardware e terão suporte pelos próximos anos.

Transição do PowerPC para a Intel foi há 15 anos

Macs passaram por transição de PowerPC para Intel em 2005

Esta é a primeira mudança de arquitetura nos Macs em 15 anos. A última havia sido anunciada na WWDC 2005, quando os processadores PowerPC, fabricados por Motorola e IBM, começaram a ser substituídos pelos atuais x86. Steve Jobs subiu ao palco e mostrou a frase “It’s true” (“É verdade”), com o “e” caído, em uma referência ao logotipo da Intel da época. Rumores da transição já circulavam desde 2002.

Os primeiros MacBooks com Intel chegaram em janeiro de 2006, rodando o Mac OS X Tiger (10.4). Em agosto daquele ano, toda a linha de computadores da Apple já havia passado pela transição. Na época, a empresa vendia os laptops iBook e PowerBook, os desktops iMac e Power Mac e até o servidor Xserve. Eles saíram de cena e logo abriram caminho para o MacBook, MacBook Pro, iMac e Mac Pro.

MacBook Pro (16 polegadas)

O Mac OS X Leopard (10.5), lançado em outubro de 2007, foi o último com suporte aos computadores da Apple com PowerPC. Mas o software Rosetta, que permitia executar programas da arquitetura antiga sem modificações nos novos Macs com chips da Intel, só foi removido completamente do sistema operacional em 2011, com a chegada do Mac OS X Lion (10.7).

A Apple projeta chips ARM desde 2010, quando o primeiro iPad e o iPhone 4 foram lançados com o Apple A4, substituindo os componentes desenvolvidos pela Samsung. O processador mais recente da marca é o Apple A12Z Bionic, do iPad Pro (2020), que possui um chip gráfico de oito núcleos com arquitetura térmica otimizada para melhorar o desempenho em edição de vídeos 4K e aplicações de realidade aumentada.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
24 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Caleb Enyawbruce (@Enyawbruce)

A transição pra ARM com processadores próprios faz todo sentido. Eles tem muita experiencia nessa área e acredito que vão conseguir entregar na prática tudo que essa mudança promete. Vamos ver…

J. Alves (@alves)

Em computadores vejo a Apple anos à frente da concorrência, com essa transição imagino que a distância vai aumentar ainda mais.

Jean De Souza da Costa (@Jean_Samyr)

finalmente o império da intel vai acabar, não só a apple esta mudando para ARM, mas a indústria toda está tendendo para a arquitetura ARM, microsoft já está algum tempo desenvolvendo Hardware e uma versão do Windows para processadores ARM e agora com a apple entrando nessa ARM vai ganhar ainda mais força.

Matheus Moreno (@Matheusandyou)

Interessante que usando arquitetura própria, os Macs terão um salto em desempenho e energia, além de custarem menos.($$)

Thiago Silva (@iamthiagosilva)

Concordo, mas fica uma duvida: se eu tivesse com necessidade de comprar um Mac por agora, estaria numa tremenda duvida de comprar um dos modelos mais novos com intel, ou um dos futuros modelos iniciais com ARM.

FLeite (@fabioleitedias)

Não deixa ser bem feito pra Intel. Notebook que esquenta demais, bateria 2 a 6 horas, e ainda caro em relação a desempenho de celular. Se o Windows tá tentando fazer a mesma transição significa que a arquitetura x86 tá com prazo de validade menor que imaginávamos.

seinper capi (@seinper_capi)

Muito inocente da sua parte achar que eles irão custar menos. Só vão aumentar a margem de lucro deles.

Rmcrys (@rmcrys)

Os chip ARM são incomparavelmente melhor optimizados e a maioria das aplicações em Mac OS e iOS usam o GPU para tudo; em Windows com x64, não só as aplicações dependem muito do CPU, como a Intel só agora (que a Apple e outros estão a optar por ARM/ AMD) está a entregar GPU rápidos. Se você compara o Adobe Photoshop em iPad Pro e PC, você consegue fazer no PC tão rápido só se você tiver computador de topo

Sherlock (@Holmes)

Vão custar menos na produção, mas não vão ter o preço reduzido ao consumidor, quer apostar? Eu não duvidaria de preço maior, com a desculpa de ser uma nova geração, capaz de rodar as aplicações do Ipad e Iphone.

Sherlock (@Holmes)

Kernel Linux dando suporte faz um bom tempo ao ARM, Microsoft também acenando para o ARM e agora Apple indo para o ARM. Com isso, a arquitetura X86_64 vai sendo deixada de lado.

A pena fica para a perda de desempenho, porque ainda é uma arquitetura de menor desempenho. Porém tira o trono da Intel e abre para mais concorrentes, já que na ARM temos Samsung, Apple (Produzidos pela Samsung), Qualcom e Mediatek na disputa.

Zanac_Compile (@Zanac_Compile)

Esse é o ESTADO DA ARTE de uma plataforma proprietária!
A Apple chega ao ápice !

O máximo de otimização, sistema operacional e hardware integrados, tudo fechado e proprietário do mesmo fabricante.

Isso é muito legal! A anos que não tínhamos mais isso. Agora de fato, uma plataforma concorrente.

Paulo Cesar (@Paulo_Cesar)

Adeus hackintosh daqui uns anos, pelos menos até o Windows se popularizar com ARM, e os grandes fabricantes passarem a fabricar “pcs de alto desempenho com arm”. Mas creio eu que o x86 vai continuar por muitos anos ainda. Como vão portar o hardware de um mac pro pra arm em 2020/21/22? Escuro em, quanto a cpus de basico a mid range fico calado arm da conta e sobra. Os hackintosh já tem kernel patched pra rodar com os Ryzen, falta a apple fazer a implementação deles disso e chutar a bunda da intel de vez dos macs, mac air com gpu integrada de vergonha que são as que vem nos novos ryzen.

🤷‍♀️ (@xavier)

Só consigo pensar em: Bem feito Intel.
Entregou processadores medíocres nos últimos anos, agora estão perdendo mercado rapidamente.
Apple saiu fora, servidores apostando em Threadripper, desktop AMD com custoXbenefício muito superior e notebooks também AMD sendo mais populares.

Exibir mais comentários