Início » Finanças » Golpe do auxílio: como recuperar valor roubado do Caixa Tem

Golpe do auxílio: como recuperar valor roubado do Caixa Tem

Golpe do Auxílio Emergencial faz app do Caixa Tem ter dados cadastrais alterados e benefício sacado; Caixa sugere ir à agência

Lucas Lima Por
TB Responde

Um golpe envolvendo o Auxílio Emergencial permite que invasores acessem a Poupança Social Digital pelo app Caixa Tem e altere os dados cadastrais (e-mail, telefone e senha) do beneficiário, para trocar a conta de depósito dos R$ 600. Caso tenha sido alvo dessa fraude, a Caixa recomenda ir até agência fazer contestação para ter o dinheiro de volta.

Auxílio Emergencial

Como funciona o golpe do Auxílio Emergencial

A troca dos dados cadastrais do aplicativo era feita de forma simples: um formulário pedia para o usuário informar apenas o CPF e a senha numérica de seis dígitos. Muitas pessoas usavam a própria data de nascimento como senha, facilitando o processo para mal-intencionados.

Uma vez que tinham o acesso ao app, os golpistas poderiam alterar a conta de destino da parcela do Auxílio Emergencial ou fazer compras com o cartão de débito virtual.

Como recuperar o valor do auxílio

Em comunicado ao Tecnoblog, a Caixa Econômica Federal recomenda que os cidadãos que foram vítimas dessa fraude procurem uma agência para formalizar a contestação do uso indevido do Auxílio Emergencial. Até o momento, não há formas de realizar a operação de forma virtual.

O pedido entrará em análise — há relatos de que o banco pede 10 dias úteis para investigação do ocorrido — e, em seguida, caso tenha sido comprovado o saque fraudulento, o beneficiário será ressarcido.

Não é preciso ir até a Polícia Federal

Ao abrir uma contestação na Caixa Econômica Federal, a vítima não precisa comparecer ou comunicar a Polícia Federal do ocorrido. Uma vez que o processo é iniciado na Caixa, todas as informações são compartilhadas com a PF para fins de investigação.

Em comunicado, a Polícia Federal também cita que poderá entrar em contato com o cidadão para esclarecimentos adicionais da investigação, por meio dos dados informados durante o registro da contestação na Caixa.

Dinheiro do Auxílio na poupança

Em junho, a Caixa voltou a pagar a primeira parcela do Auxílio Emergencial para alguns beneficiários que ficaram aguardando a análise do cadastro e tiveram, neste momento, o perfil aprovado para receber. Ao todo, foram 4,9 milhões de pessoas que não receberam a primeira parcela do benefício.

De acordo com o banco, o valor será transferido automaticamente na conta indicada pelo beneficiário, podendo ser a poupança da Caixa ou de qualquer outra instituição.

Dessa forma, é válido verificar, primeiro, se o Auxílio Emergencial fora transferido para outra conta, antes de se dirigir até uma agência, para não se expor ao contágio do novo coronavírus.

Com informações: Caixa, Polícia Federal.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
24 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Kamila Arráh (@KamilaArrah)

Uma pessoa da minha família infelizmente sofreu esse golpe…
foi na Caixa enfrentou fila, fez a contestação e sim, 10 dias depois foi reembolsada… É um caos isso, sistema vulnerável desse e ainda ter que enfrentar duas filas: uma pra contestar e depois outra fila novamente pra ter o resultado

@doorspaulo

Fui vítima desse golpe, e utilizava uma senha única para logar no aplicativo.
Tentei logar várias vezes, e percebi que não existe bloqueio por tentativas.

Então, é provável que também utilizem meios de força bruta, já que é simples descobrir uma senha de seis números dessa forma.

@doorspaulo

CPF é o que mais tem por aí, ainda mais com aquele vazamento do SUS ano passado (ou retrasado, não lembro).

Mas é realmente um algorítimo muito simples de ser implementado, e deve rodar de forma satisfatória até num netbook de 2008.

Jansen Bispo (@Jansen)

Fui vítima desse golpe, mas ao contrário da maioria eu não tinha usuário no aplicativo da Caixa TEM, já que quando fiz a solicitação fiz direto pelo site porque o app estava fora, inscrevi a minha conta da própria Caixa, e recebi a primeira parcela normalmente.

O problema pelo visto foi que da segunda parcela pra frente eles mudaram o processo e mesmo quem já tinha conta na Caixa iria receber pelo App do Caixa TEM e a conta virtual. Nesse meio tempo, conseguiram cadastrar um usuário com meus dados e alteraram o valor pra outra conta.

Fiz a contestação na Caixa e na próxima terça completam 10 dias. Espero que dê certo de conseguir a restituição. E de qualquer forma eu fiz um B.O online pra constar.

Depois eu volto aqui pra relatar qual foi a solução.

Jansen Bispo (@Jansen)

Alan recebi uma ligação ontem da Caixa dizendo que não foi encontrado indícios de fraude eletrônica.
Como eu havia feito um B.O eu fui lá novamente e abri uma nova contestação, com o B.O falando as mesmas coisas.
Agora é esperar mais 10 dias. E nesse tempo a 3a parcela vai ficar bloqueada.
Vamos ver se agora vai dar certo. Tendo a resposta eu volto aqui pra atualizar.

Tecnoblog, vocês poderiam entrar em contato com a Caixa pra cobrar uma posição sobre isso? Porque teoricamente eles conseguem acesso ao IP de quem fez o cadastro do usuário e da transação, não conseguem? Deve haver alguma forma de provar que o acesso foi feito de outro lugar. Alguma dica do que fazer para ajudar na contestação?

Obrigado.

Jansen Bispo (@Jansen)

Voltando pra dar o parecer. Abri uma segunda contestação, depois de alguns dias foi liberado o valor mas tive que ir na agência sacar direto no caixa.

Talvez o que tenha ajudado é que no dia que saí da agência depois de abrir a primeira contestação eu já fiz um B.O online. Quando ligaram falando que não havia sinal de fraude eu voltei lá com toda a documentação do B.O, os prints das telas do app com o e-mail estranho que usaram pra cadastrar um usuário e tudo mais.

No final deu certo, eles desbloquearam o meu CPF e pude então fazer o cadastro no Caixa TEM pra receber a terceira parcela.