Início » Finanças » Cade suspende WhatsApp Pagamentos por risco à concorrência

Cade suspende WhatsApp Pagamentos por risco à concorrência

WhatsApp Pagamentos é suspenso por medida cautelar; Cade teme "danos irreparáveis" com parceria entre Facebook e Cielo

Felipe Ventura Por

O WhatsApp Pagamentos também está na mira do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica): o órgão impôs medida cautelar para suspender a parceria entre o Facebook e a Cielo citando “consideráveis riscos à concorrência”. O serviço é oferecido através da carteira digital Facebook Pay, e empresas precisam se cadastrar na Cielo para receberem dinheiro, com taxa de 3,99% por transação.

WhatsApp Pagamentos

A Superintendência-Geral do Cade abriu um procedimento administrativo na terça-feira (23). Em comunicado, o órgão nota que a Cielo já tem market share alto no processamento de transações, enquanto o WhatsApp possui milhões de usuários no Brasil; essa combinação poderia “causar danos irreparáveis ou de difícil reversibilidade nos mercados afetados”.

Seria extremamente difícil para um concorrente da Cielo replicar a base de usuários do WhatsApp Pagamentos, “sobretudo se o acordo em apuração envolver exclusividade”, diz o Cade. O receio é que a Cielo pudesse explorar esse mercado de forma isolada: “há potencialmente consideráveis riscos à concorrência que merecem ser mitigados ou evitados via intervenção deste Conselho”.

A Cielo publicou um fato relevante nesta quarta-feira (24) informando que já suspendeu suas operações do WhatsApp Pagamentos por ordem do Banco Central e do Cade.

WhatsApp Pagamentos foi suspenso pelo Banco Central

O WhatsApp Pagamentos foi suspenso pelo Banco Central para “avaliar eventuais riscos”; a instituição teme que o novo serviço cause “danos irreparáveis” à concorrência e à privacidade.

De acordo com a Bloomberg, o WhatsApp manteve contato com o Bacen antes do lançamento do Pagamentos no Brasil. A empresa promete integrar seu serviço ao PIX, sistema de transações instantâneas que deve ser lançado ao público em novembro.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
10 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tech Nerd 🤓 (@technerd)

Realmente é um grande risco para os bancões serem obrigados a pararem de cobrar R$ 10,00 por TED.

@ksio89

Lobby descarado dos bancões.

João Almeida (@Joao_Almeida)

O medo dos bancos é real… Eles não querem um WeChat da vida acabando com eles, que tão em 1999 ainda.

Wendel Schelhan (@Schelhan)

Valeu CADE! O serviço tava permitindo transferência gratuita e de maneira acessível entre usuários, de maneira instantânea e 24 horas por dia. Claramente nocivo para a concorrência - fico feliz de ter vocês aí pra proteger a gente deste grande mal.

Rafael de Paula (@Red)

O que não falta é banco aí fazendo TED de graça. Tem portabilidade de salário, é só escolher o seu.

Facebook quer monopólio, e no monopólio só ele ganha.

Vocês que citam o WeChat… Saibam que o WeChat É UM MONOPÓLIO. O Estado Chinês é basicamente o dono dele.

O WhatsApp (Facebook) está oferecendo migalhas de “livre mercado” pra acabar com o livre mercado. Mesma coisa que queria fazer com a Calibra, e no MUNDO TODO, foi proibido de fazer.

Tiago Celestino (@tcelestino)

Tentaram na India, se ferraram. Agora tentaram aqui e acharam que ñ iam questionar.

João M. (@RonDamon)

Como se o povo que usa internet paga 10 reais pra bancão. Quase todo mundo já usa banco digital gratuito.

Tech Nerd 🤓 (@technerd)

Isso na tua bolha né?

João M. (@RonDamon)

Como eu disse, o povo que usa e entende de internet e apps/celular já usam bancos digitais. O resto que não usa também não usaria whatsapp para pagar contas (nem conhecem o facebook pay e blablabla), então é irrelevante isso de que bancões “não querem perder 10 reais”.