Início » Finanças » Cade suspende WhatsApp Pagamentos por risco à concorrência

Cade suspende WhatsApp Pagamentos por risco à concorrência

WhatsApp Pagamentos é suspenso por medida cautelar; Cade teme "danos irreparáveis" com parceria entre Facebook e Cielo

Felipe Ventura Por

O WhatsApp Pagamentos também está na mira do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica): o órgão impôs medida cautelar para suspender a parceria entre o Facebook e a Cielo citando “consideráveis riscos à concorrência”. O serviço é oferecido através da carteira digital Facebook Pay, e empresas precisam se cadastrar na Cielo para receberem dinheiro, com taxa de 3,99% por transação.

WhatsApp Pagamentos

A Superintendência-Geral do Cade abriu um procedimento administrativo na terça-feira (23). Em comunicado, o órgão nota que a Cielo já tem market share alto no processamento de transações, enquanto o WhatsApp possui milhões de usuários no Brasil; essa combinação poderia “causar danos irreparáveis ou de difícil reversibilidade nos mercados afetados”.

Seria extremamente difícil para um concorrente da Cielo replicar a base de usuários do WhatsApp Pagamentos, “sobretudo se o acordo em apuração envolver exclusividade”, diz o Cade. O receio é que a Cielo pudesse explorar esse mercado de forma isolada: “há potencialmente consideráveis riscos à concorrência que merecem ser mitigados ou evitados via intervenção deste Conselho”.

A Cielo publicou um fato relevante nesta quarta-feira (24) informando que já suspendeu suas operações do WhatsApp Pagamentos por ordem do Banco Central e do Cade.

WhatsApp Pagamentos foi suspenso pelo Banco Central

O WhatsApp Pagamentos foi suspenso pelo Banco Central para “avaliar eventuais riscos”; a instituição teme que o novo serviço cause “danos irreparáveis” à concorrência e à privacidade.

De acordo com a Bloomberg, o WhatsApp manteve contato com o Bacen antes do lançamento do Pagamentos no Brasil. A empresa promete integrar seu serviço ao PIX, sistema de transações instantâneas que deve ser lançado ao público em novembro.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
9 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Tech Nerd 🤓 (@technerd)

Realmente é um grande risco para os bancões serem obrigados a pararem de cobrar R$ 10,00 por TED.

@ksio89

Lobby descarado dos bancões.

João Almeida (@Joao_Almeida)

O medo dos bancos é real… Eles não querem um WeChat da vida acabando com eles, que tão em 1999 ainda.

Wendel Schelhan (@Schelhan)

Valeu CADE! O serviço tava permitindo transferência gratuita e de maneira acessível entre usuários, de maneira instantânea e 24 horas por dia. Claramente nocivo para a concorrência - fico feliz de ter vocês aí pra proteger a gente deste grande mal.

Rafael de Paula (@Red)

O que não falta é banco aí fazendo TED de graça. Tem portabilidade de salário, é só escolher o seu.

Facebook quer monopólio, e no monopólio só ele ganha.

Vocês que citam o WeChat… Saibam que o WeChat É UM MONOPÓLIO. O Estado Chinês é basicamente o dono dele.

O WhatsApp (Facebook) está oferecendo migalhas de “livre mercado” pra acabar com o livre mercado. Mesma coisa que queria fazer com a Calibra, e no MUNDO TODO, foi proibido de fazer.

Tiago Celestino (@tcelestino)

Tentaram na India, se ferraram. Agora tentaram aqui e acharam que ñ iam questionar.

João M. (@RonDamon)

Como se o povo que usa internet paga 10 reais pra bancão. Quase todo mundo já usa banco digital gratuito.

Tech Nerd 🤓 (@technerd)

Isso na tua bolha né?

João M. (@RonDamon)

Como eu disse, o povo que usa e entende de internet e apps/celular já usam bancos digitais. O resto que não usa também não usaria whatsapp para pagar contas (nem conhecem o facebook pay e blablabla), então é irrelevante isso de que bancões “não querem perder 10 reais”.