Início » Aplicativos e Software » Google Chrome: teste em notebooks faz bateria durar até 2 horas a mais

Google Chrome: teste em notebooks faz bateria durar até 2 horas a mais

Recurso experimental do Google Chrome 86 pode reduzir consumo de energia ao limitar JavaScript em guias em segundo plano

Bruno Gall De Blasi Por

Um recurso do Google Chrome pode reduzir significativamente o consumo de energia em computadores. Segundo testes realizados pelo Google, a função experimental do navegador, que limita a ativação do JavaScript em abas minimizadas, pode garantir até mais duas horas de bateria em notebooks.

Google Chrome (Foto: Bruno Gall De Blasi/Tecnoblog)

As informações foram reveladas pelo TheWindowsClub neste domingo (5). Segundo o site especializado, assim como no Safari, o recurso experimental do Google Chrome 86 limita o timer do Javascript a uma ativação por minuto em abas ou janelas em segundo plano sem afetar o desempenho das páginas abertas.

Os resultados podem ser observados diretamente no consumo de energia. De acordo com testes realizados pelo Google descritos em um documento técnico, a alteração no navegador fez a bateria do notebook durar quase duas horas a mais mesmo com 36 abas em segundo plano, sendo a primeira em branco (about:blank).

O Google ainda experimentou outro cenário ao executar um vídeo do YouTube em tela cheia no lugar da página em branco. Neste caso, o navegador garantiu mais 36 minutos de carga com a mesma quantidade de guias abertas em segundo plano, como no teste citado anteriormente.

Apesar das melhorias, ainda não há previsão de quando o recurso estará disponível no Google Chrome para Android, Chrome OS, Linux, Mac e Windows para todos os usuários. O Google ainda testa uma nova função para reduzir o consumo de memória RAM do navegador no sistema operacional da Microsoft.

Com informações: Engadget e TheWindowsClub

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
4 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Giovani (@Giovani)

Tomara que vingue, que seja eficaz, e que a Mozilla copie rapidamente (não uso Chromium-based).

@bkdwt

Tinham é que expurgar essa bomba desse Javascript e mandar pra forca quem inventou essa joça.