Início » Celular » Samsung Galaxy A01 Core com bateria removível é homologado na Anatel

Samsung Galaxy A01 Core com bateria removível é homologado na Anatel

Samsung Galaxy A01 Core pode ser o próximo celular de entrada e baixo custo da marca sul-coreana com Android Go

Bruno Gall De Blasi Por

O Samsung Galaxy A01 Core recebeu o certificado de homologação da Anatel antes mesmo do anúncio oficial. Aprovado pela Agência Nacional de Telecomunicações nesta segunda-feira (6), o celular da Samsung já está apto para ser comercializado no Brasil. A data de lançamento do smartphone, porém, ainda é um mistério.

Certificado de homologação do Samsung Galaxy A01 Core (Foto: Reprodução/Tecnoblog)

As informações foram reveladas por Everton Favretto, do Plantão Anatel, também nesta segunda-feira (6). Conforme aponta o documento emitido pela agência, o celular “SM-A013M/DS”, referente ao possível Galaxy A01 Core, já recebeu as bênçãos do órgão e está autorizado para ser vendido no país por tempo indeterminado.

O Galaxy A01 Core pode ser o próximo celular com ficha técnica de entrada da Samsung. De acordo com informações disponíveis no Google Play Console, a tela do smartphone terá resolução de 1480 x 720 pixels, formato 18:9, bordas espessas e densidade de 320 pixels por polegada.

Já a câmera tende a ser única. Segundo fotos imagens divulgadas por Evan Blass no final de junho de 2020, o telefone deve possuir apenas um sensor na porção traseira, acompanhado somente por um flash. Espera-se que o celular esteja disponível em duas opções de cores: azul e vermelho.

Por dentro, o smartphone deve ser apresentado com o processador MediaTek MT6739WW, memória RAM de 1 GB e bateria removível de 3.000 mAh entre suas especificações. O telefone ainda pode sair da caixa com Android 10 de fábrica, possivelmente com uma edição mais leve do sistema operacional (Android Go).

Ainda não há previsão de data e preço de lançamento do Samsung Galaxy A01 Core no Brasil.

Com informações: Plantão Anatel e SamMobile (1, 2 e 3)

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
6 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Matheus Motta (@Matheus_Motta)

Puts, que raiva. Mais uma bomba no mercado, o pior é que vai ter gente que ainda vai comprar

Eu (@Keaton)

Uai, pra quem não precisa de muito e/ou não pode/quer gastar muito em celular, é uma excelente opção. Por exemplo, eu queria um celular pra uso diário, só whatsapp e maps… esse ai deve dar e sobrar.

Se fosse até uns 400 reais, seria bem mais interessante. Ainda mais nessa época de preços zoados.

Matheus Motta (@Matheus_Motta)

Mesmo sendo o Android GO, 1 GB de RAM é muito pouco hoje em dia. Daqui um ano quem comprar esse celular vai começar a ter dor de cabeças por causa disso

Bruno Gall De Blasi (@brunogdb)

Depende. Se os aplicativos mais usados tiverem versão otimizada, pode não ser um problema. Quando testei um celular com Android Go, lembro que eu só lidava com lentidão quando não era um app “lite”. Ou seja, vai muito do que o usuário realmente quer (e precisa).

A conclusão que cheguei é que esses smartphones são promissores e podem atender muito bem quem só quer o básico do básico: falar ao telefone e trocar mensagem no WhatsApp. E ainda há quem procure somente isso, mesmo nos dias dias atuais.

(Sim, confesso que sou fã do Android Go)

² (@centauro)

Se for barato, pode servir como o celular “pra balada” ou “pro bandido”.

Felipe Silva (@Felipe_Silva)

Vai ter de fica toda hora apagando mídia (porque em 2020 o whatsapp não tem nenhuma função de nuvem nem de usar o cartão sd) e tenho minhas duvidas se o whatsapp roda bem em 1gb de ram, já ta na hora de lançarem uma versão lite dele.

Eu (@Keaton)

Tecnicamente falando, se a pessoa usar aplicativos não otimizados nesse celular, ela pode ter problemas no exato momento que ela tentar usar o app. hahaha

Mas no caso, dá sim pra assistir os videos e tals.

Eu (@Keaton)

Existe a opção de desabilitar o download automático de midia… que já tá ativo desde que ela apareceu. hahaha

Funciona em 1GB sim, já vi pessoas usando o whatsapp num Semp Go… com 512MB de RAM. (isso a uns anos atras, pré covid)

CAV (@cav)

Vejamos o quanto a One UI 2 será capada nesse aparelho.

No J2 Core e J4 Core, a Samsung Experience 9.5 está tão capada, que era preferível deixar o Android Puro, mesmo (por isso prefiro o J2 Core lançado nos Estados Unidos, sem Android Go, mas com 1 GB de RAM a mais e a One UI 1.5 praticamente intacta - só não suporta a Galaxy Themes e o Smart View, mas o J2 Prime e o J2 Pro também não suportavam, então não dá pra ser muito exigente).

Não via uma customização tão tenebrosa desde o Galaxy Pocket 2, com a TouchWiz Essence UX, e olha que esta ainda parecia ser bem acabada (O Android Go da Samsung parece que foi feito as pressas, deixando de retocar várias coisas, além de não suportar o Samsung My Files, Samsung Mail e Samsung Music).

Já estou aguardando esse A01 Core, pra ver se o Samsung Internet Browser Lite finalmente será atualizado, já que ele parou na versão 7.2.60.7, e não está instalando em aparelhos com sistema em 64-bits.
Uma pena que não receberá o Android 11, sendo que o Nokia 1.3 tem tudo pra receber o Android 11, e também o Android 12, mesmo sendo do Android Go.

E olha que poderia ser 1.5 GB de RAM, já que o Android 10 Go Edition suporta essa configuração.
O mais engraçado é que a Samsung era a única que colocava essa quantidade de RAM nos seus aparelhos em anos anteriores (o último acho que foi o Galaxy J2 Pro, de 2018), e não fará isso agora, quando deveria.

Eu sou da ideia de que a pessoa, por menos grana que tenha, junte mais grana pra comprar coisa melhor, mesmo que tenha que adiar a compra por mais algum tempo.
Só assim para que futuros aparelhos de R$ 400 sejam melhores.
O consumidor, por mais ignorante que seja, não deveria aceitar algo com custo-benefício questionável, mesmo o custo sendo atraente, porque incentiva a empresa a continuar fazendo isso.

Só que uma pessoa nunca vai só usar redes sociais nesses aparelhos.
Ás vezes, não precisa ser algo muito mais exigente do que o recomendado, a pessoa logo vai perceber que o barato saiu caro.
E, conhecendo o Android Go, pode ser que nem com os apps Lite, a experiência de uso dela será mais tranquila.
O pior é quando a pessoa precisa revender esses aparelhos lá na frente.