Início » Aplicativos e Software » Rappi vai oferecer jogos, lives e streaming de música

Rappi vai oferecer jogos, lives e streaming de música

Rappi Entertainment é um pacote de serviços digitais que inclui jogos casuais, lives e streaming de vídeo

Emerson Alecrim Por

A Rappi não quer ser lembrada apenas como uma plataforma de entregas sob demanda. Nesta quarta-feira (8), a companhia anunciou um pacote de serviços digitais para entretenimento: o Rappi Entertainment vai oferecer jogos casuais, eventos ao vivo (lives) e até um serviço de streaming de música.

Rappi

Rappi Games

O Rappi Games é a primeira novidade revelada pela companhia no evento (online) de apresentação dos serviços. A ideia é oferecer ao usuário jogos simples e fáceis para serem acessados na sala de espera de uma consulta médica ou na fila do mercado, por exemplo.

Mais de 150 títulos foram preparados para o RappiGames. Alguns permitem disputas com amigos ou criação de grupos. A parte mais interessante é que pontos ou prêmios obtidos nos jogos podem ser convertidos em RappiCréditos para aquisição de produtos ou serviços reais.

Se você abrir o aplicativo da Rappi e tocar em “Ver mais”, provavelmente já encontrará o “RappiGames” por lá. A explicação está no fato de que, apesar de ter sido anunciado hoje, o serviço começou a ser testado há três meses. De lá para cá, 266 mil usuários já experimentaram os jogos, o que resultou em mais de 3,5 milhões de partidas realizadas.

Rappi Games

Rappi Live Events

Você sabe, a pandemia tornou as lives extremamente populares. O Rappi Live Events vem para ser uma opção para esses eventos. A ideia é oferecer pelo menos 50 transmissões por mês. Os “ingressos” podem ser comprados dentro do aplicativo.

O usuário também terá a possibilidade de interagir. Um artista, por exemplo, poderá conversar com um fã por meio de uma visita virtual deste ao backstage (visita paga, obviamente).

Além de shows, o Rappi Live Events poderá ser usado para palestras, aulas, programas culinários, entre outros.

Rappi Live Shopping

O Rappi Live Shopping une o serviço convencional de entregas da plataforma com os eventos online. A ideia é permitir que o usuário adquira um produto que está sendo exibido em uma live, como uma bebida ou um modelo de roupa. É um recurso que tende a ser particularmente interessante para interação com marcas.

Rappi Music

Eis o anúncio mais surpreendente: a Rappi vai explorar o segmento de música. Sim, trata-se de um serviço que, pelo menos até certo ponto, vai concorrer com plataformas como Spotify e Apple Music.

Infelizmente, ainda há poucas informações a respeito. O preço da assinatura, por exemplo, ainda não foi definido, embora a Rappi fale em aplicar um valor competitivo.

O que sabemos por ora é que o Rappi Music está sendo desenvolvido especialmente para a América Latina, o que talvez implique em maior foco sobre artistas da região. Sabe-se também que o serviço permitirá criação de playlists, downloads ilimitados e compartilhamento de hits com os amigos.

Rappi Entertainment

Rappi Entertainment: quando?

O Brasil vai ser o primeiro país (entre os nove em que a Rappi opera) a contar com os novos serviços. Todos serão disponibilizados a partir deste mês de julho.

A companhia destaca que, por serem digitais, os serviços do Rappi Entertainment poderão ser acessados até por usuários que estão fora das áreas de cobertura de entregas da plataforma (com óbvia exceção para as entregas do Live Shopping).

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
4 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Bruno Who? (@brunossn)

Foco é tudo nessa vida, não é mesmo?

² (@centauro)

Fala isso pro WeChat, que tem até mini-app dentro do app.

Bruno Who? (@brunossn)

O WeChat tem praticamente monopólio em mais de um bilhão de aparelhos. O rappi não é nem o maior de seu segmento, mal consegue cobrir as principais capitais do país.

@ksio89

Rappi não consegue nem entregar pedido de mercado ou farmácia sem gerar dor de cabeça ao cliente, aí fica inventando de oferecer essas firulas, agora que o suporte vai se tornar mais inútil do que já é.