Tecnoblog
Início » Internet » Facebook e Instagram removem perfis ligados a Bolsonaro e PSL

Facebook e Instagram removem perfis ligados a Bolsonaro e PSL

O Facebook removeu 35 contas, 14 páginas e 1 grupo ligados a Bolsonaro e ao PSL, enquanto Instagram retirou 38 perfis do ar

O Facebook removeu nesta quarta-feira (8) contas falsas ligadas aos gabinetes do presidente Jair Bolsonaro, seus filhos Flávio e Eduardo, e ao PSL (Partido Social Liberal). A medida, que também foi adotada no Instagram, envolve a violação de regras sobre o comportamento inautêntico e coordenado de páginas nas redes sociais – e não sobre o conteúdo compartilhado nelas. Ao todo, foram excluídas 35 contas, 14 páginas e 1 grupo no Facebook, além de 38 contas no Instagram.

Em comunicado, o Facebook afirmou que, apesar dos envolvidos com a prática tentarem esconder suas identidades, a investigação levou a pessoas associadas ao PSL. A apuração da empresa também apontou para funcionários nos gabinetes do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e dos deputados estaduais do Rio de Janeiro, Anderson Moraes (PSL) e Alana Passos (PSL).

“A atividade incluiu a criação de pessoas fictícias fingindo ser repórteres, publicação de conteúdo e gerenciamento de Páginas fingindo ser veículos de notícias”, indicou o Facebook. “Os conteúdos publicados eram sobre notícias e eventos locais, incluindo política e eleições, memes políticos, críticas à oposição política, organizações de mídia e jornalistas, e mais recentemente sobre a pandemia do coronavírus”.

As páginas no Facebook somavam 883 mil seguidores, o grupo tinha cerca de 350 pessoas e os perfis no Instagram contavam, ao todo, com 917 mil seguidores. A ação coordenada também incluiu despesa de cerca de US$ 1.500 com anúncios no Facebook, pagos em reais. Entre as páginas removidas, estão Bolsonaro News e Jogo Político.

Segundo a empresa, as páginas foram identificadas a partir de notícias na imprensa brasileira e de uma audiência no Congresso Nacional. Esta não é a primeira vez que a rede social remove contas falsas com teor favorável ao presidente Bolsonaro. No final de 2018, 68 páginas e 43 contas foram excluídas da plataforma por violarem políticas de autenticidade e spam.

Facebook também removeu páginas de EUA, Canadá, Equador e Ucrânia

A remoção de páginas por comportamento inautêntico coordenado também envolve redes de Estados Unidos, Canadá, Equador e Ucrânia. Nos EUA, foram 54 contas e 50 páginas do Facebook removidas, além de 4 contas no Instagram. A ação, que durou de 2015 a 2017, envolvia a criação de perfis falsos que se passavam por moradores da Flórida. O Facebook afirma ter encontrado ligações com Roger Stone, conselheiro do presidente dos EUA, Donald Trump, e condenado por mentir em investigação sobre interferência russa nas eleições americanas de 2016.

Outra decisão envolve a ação coordenada entre pessoas no Canadá e no Equador. A empresa removeu 41 contas e 77 páginas do Facebook, bem como 56 perfis no Instagram. O esquema combinava contas falsas e contas replicadas de pessoas reais para interferir na política de Argentina, Uruguai, Venezuela, Chile, El Salvador e do próprio Equador. A rede social encontrou ligações ligação com consultorias políticas e ex-funcionários do governo equatoriano e com a Estraterra, empresa canadense de relações públicas.

O Facebook removeu ainda 72 contas e 35 páginas da Ucrânia, além de 13 contas no Instagram. Esse grupo usava contas falsas para criar pessoas fictícias e interagir em grupos e páginas com memes políticos, sátiras e outros conteúdos sobre política ucraniana. As páginas passaram por mudanças significativas de nome e, segundo o Facebook, a ação coordenada tinha relação com a Postmen DA, uma agência de publicidade do país.

Com informações: Facebook.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação